terça-feira, março 08, 2005

Excertos de discursos

«A nação é uma unidade completa, onde todos os indivíduos e todas as classes estão integradas. A nação é uma síntese transcendente e individual com fins próprios a alcançar; e o estado que cria será o instrumento eficiente, autoritário, que serve essa indisputável, permanente, irrevogável unidade que se chama nação.»

«Nós queremos que todos sintam ser parte de uma séria e completa comunidade. Por outras palavras, existem claramente muitos tipos de tarefas a ser desempenhadas: algumas manuais, algumas intelectuais, outras na educação ou nos campos social ou cultural; mas numa comunidade como a que procuramos, fique claro que não deverão existir passageiros ou inúteis.»

«Nós não queremos cantigas sobre direitos individuais do tipo que nunca poderão ser impostos nas casas dos famintos. Em vez disso permita-se que a cada homem, a cada membro da comunidade política, simplesmente por fazer parte dela, sejam dados os meios de conseguir uma vida justa e decente pelo seu trabalho.»

«Nós queremos que o espírito religioso, que é a pedra chave nos maiores feitos da nossa história, seja respeitado e apoiado como merece; mas isso não significa que o Estado deva interferir em funções que não lhe pertençam»

«A falange vê o homem como uma combinação de corpo e alma; isto é, tão capaz de um destino eterno como o portador de eternos valores. Assim, o máximo respeito é devido à dignidade humana, à integridade do homem e à sua liberdade. Mas essa liberdade profunda não dá a ninguém o direito de minar as fundações da vida pública social.»

«A falange não pode olhar a vida como uma mera conjugação de factores económicos. Rejeita a interpretação materialista da história. O espiritual foi e é a força motriz na vida do homem e das gentes.»

«Todas as revoluções foram até agora incompletas, já que nenhuma delas serviu tanto a ideia nacional da Nação como a ideia de justiça social. Nós combinamos ambas as coisas: a Nação e a justiça social, e assentes naqueles dois princípios inabaláveis estamos categoricamente decididos a fazer a nossa revolução»

«Nós compreendemos que uma nação não é somente a força atractiva do solo em que nascemos, não é aquela emoção sentimental directa que todos sentimos na presença da nossa própria terra, mas uma nação é uma unidade de destino na ordem mundial, é um plano ao qual um povo ascende quando realiza uma missão universal na história.»

«O trabalho é a melhor reivindicação para a dignidade civil. Nada pode merecer mais atenção por parte do Estado que a dignidade e bem-estar dos trabalhadores.»

«O primeiro propósito da riqueza é melhorar as condições de vida da generalidade, não é sacrificar a generalidade ao luxo e ao lucro dos poucos.»

«O socialismo proclama o dogma monstruoso da luta de classes. Proclama o dogma de que a luta de classes é indispensável e ocorre naturalmente na vida porque não poderá existir nunca um agente apaziguador. Assim, o socialismo, que começou como uma crítica justa do liberalismo económico, trouxe-nos por uma via diferente ao mesmo estado do liberalismo económico: Desunião, ódio, separação, esquecimento de qualquer laço de irmandade e solidariedade entre os homens.»

José Antonio Primo de Rivera


3 Comentários:

Blogger Saady Roots disse...

Sempre gostei de ler Primo de Rivera....

http://saadyroots.blogspot.com/

9:13 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Palavras sábias.
José António!
presente!

Legionário

10:53 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Essa da Nação ser uma "unidade de destino no Universal" nunca me há-de entrar na cabeça.

NC

8:18 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial