sexta-feira, junho 10, 2005

O Dia de Portugal

Organizada pela Causa Identitária decorreu no Largo de Camões uma cerimónia de comemoração do Dia de Portugal. Os nacionalistas presentes evocaram a Pátria e aqueles que por ela tombaram. O presidente da CI, Rui Pereira, proferiu um breve e incisivo discurso lembrando a todos os presentes a razão de ali estarem, no seguimento do qual se realizou um minuto de silêncio pelos heróis caídos. Os nacionalistas uniram-se então e em uníssono entoaram a plenos pulmões a "Portuguesa" num momento de grande fervor patriótico seguido de três enérgicos “vivas” a Portugal. O momento foi de grande emoção e recordo em particular um senhor, nos seus 60 anos, que não conseguiu conter algumas lágrimas. Disse-me que havia combatido no Ultramar e vivia agora num albergue, abandonado à sua sorte, falou com mágoa da gente que tem traído a pátria enquanto emocionado me mostrava o BI exibindo com orgulho a sua naturalidade: Vila Viçosa. « Sou português, nasci aqui e lutei por Portugal para agora ver este país transformado nisto…, olho para estes homens e digo-lhe que Portugal não os merece.»_Foram as suas palavras enquanto limpava a cara e apontava para as figuras representadas no monumento evocativo de Camões.

Quando os nacionalistas se preparavam para abandonarem o local em direcção ao restaurante onde se realizaria o almoço-convívio surgiram no Largo algumas dezenas de energúmenos de extrema-esquerda; como autênticos pusilânimes vieram armados com ferros de cerca de um metro de cumprimento e pedras, de cara coberta, começando a gritar slogans contra o nacionalismo. Os vagabundos, que pareciam saídos de uma qualquer sarjeta, não se atreveram a aproximar-se, limitaram-se a insultar cobardemente à distância. As forças de segurança tiveram um comportamento exemplar e imediatamente agiram sobre os delinquentes que não duraram mais de 1 minuto no local, fazendo uma das mais patéticas figuras que presenciei na vida. A escumalha, armada e de cara tapada, fugia desorientadamente enquanto os nacionalistas, firmes e tranquilos, respeitando a ordem pública e armados apenas com a honra e a convicção, de cara ao sol, clamavam a uma só voz uma palavra que ressoava por todo o Largo: «PORTUGAL!»

40 Comentários:

Blogger acja disse...

Os covardes bem q mereciam uma sova, bem dada, e sabem bem onde pôr aqueles tais ferros, não duvido que não os usasem para tal meso....

10:03 da manhã  
Blogger Pantera disse...

Esta escumalha de extrema esquerda não tem cura!!!

1:15 da tarde  
Blogger WerWolf disse...

A Frente Nacional apela a todas as forças nacionalistas, e a todos os patriotas em particular, para que se juntem a nós na próxima manifestação(pacifica) que irá ter lugar em Lisboa no próximo sábado 18 Junho.

O motivo do protesto, a criminalidade grupal que aumentou 6% este ano, as marés negras de crude que assolam as nossas praias de Quarteia a Carcavelos, os Apátridas que massacram as populações de Coruche, a Vila Verde, e a Imigração Colonização que estamos a ser vitimas..

Realizamos ontem uma reunião extraordinária da FN, e o sitio e as horas serão disponibilizados em breve.

Mobilização total

5:00 da tarde  
Blogger Rodrigo Nunes disse...

Estarei presente!

5:19 da tarde  
Blogger Caturo disse...

Força Nisso!!!

8:06 da tarde  
Blogger Pantera disse...

Concordo com voces!!Vamos a isso!!

8:23 da tarde  
Blogger Pantera disse...

O Local pode ser em Carcavelos!!

8:24 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Comentário retirado do Correio da Manhã sobre a "maré negra de Carcavelos":

- ac
Ficam aqui links para que todos os que se sentem revoltados com a falta de segurança em portugal mandem mensagens ao poder politico. Quantas mais melhor!http://www.portugal.gov.pt/Portal/PT/Geral/Contactos (para o 1º ministro e ministro da administração interna).

Então, nacionalistas, vamos escolher um dia de protesto para entupirmos de mails as caixas de correio desses filhos da puta dos políticos do sistema e degovernantes? quem redige o texto? ou mandamos cada um a sua própria mensagem?

10:09 da tarde  
Blogger Suevo disse...

O ministro da administração interna é "parente" dos jovens da Cova da Moura, de todos os politicos só podes esperar que intensifiquem os esforços de integração, então no do Antonio Costa...

Espero que os africanos continuem a causar disturbios, tudo menos a integração deles na nossa sociedade!
Não me canso de dizer que os africanos de Carcavelos são os nossos maiores aliados.

10:57 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

http://www.correiodamanha.pt/noticia.asp?id=163219&idselect=9&idCanal=9&p=94

Isto é paradigmático do poder que estas associações de imigrantes começam a ter na nossa sociedade. Agora vão apresentar-se ao poder político, como interlocutores das comunidades africanas e exigir mais privilégios ao melhor estilo mafioso, pressionando para a atribuição da cidadania Portuguesa a estes africanos e assim evitar mais conflitos. Ou seja os pretos fazem o trabalho sujo e aparecem estas elites como interlocutores e pacifistas para obterem aquilo que sempre queriam, e assim ganhar mais influência em Portugal.
A estes africanos seguem-se seguramente os saloios brasucas, lançam os jagunços na rua a fazer terrorismo e depois surgem os “mário soares” do costume a querer negociar com eles armados em grandes estadistas e por esta via vão ganhando poder em Portugal e assumindo como interlocutores privilegiados das comunidades e impondo os seus interesses.
Desde a imposição da sua presença que se torna cada vez mais óbvia constitui uma ameaça à segurança nacional, como passar a patamares seguintes de exigências.
Se os brasucas como intriguistas e falsos que são percebem que a técnica do bater e aparecer com lágrimas de crocodilo armados em pacificadores resulta, então preparem-se para novos arrastões generalizados pelo país inteiro. Dado que essa ralé apenas pára com os pelotões da morte, encontram em Portugal terreno para dar largas à selvajaria a que está habituada lá pelas colónias.

Ricardo

12:46 da manhã  
Blogger Caturo disse...

Agora vão apresentar-se ao poder político, como interlocutores das comunidades africanas e exigir mais privilégios ao melhor estilo mafioso, pressionando para a atribuição da cidadania Portuguesa a estes africanos e assim evitar mais conflitos. Ou seja os pretos fazem o trabalho sujo e aparecem estas elites como interlocutores e pacifistas para obterem aquilo que sempre queriam, e assim ganhar mais influência em Portugal.

Sem dúvida. É escumalha pura, em todos os aspectos.



dado que essa ralé apenas pára com os pelotões da morte, encontram em Portugal terreno para dar largas à selvajaria a que está habituada lá pelas colónias.

Precisamente. Um país habituado a ser de brandos costumes, não está preparado para lidar com essa espécie de nojo.

1:31 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Quere-me parecer que uma dúzia de soldados com a farda negra das Waffen-SS e de MP-40 em riste fariam o trabalho de afugentar essa cambada escurinha sem ter de disparar um tiro. E o mesmo seria de esperar da Assembleia de políticos vendidos se eles lhes entrassem hemiciclo dentro...

1:37 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

«Precisamente. Um país habituado a ser de brandos costumes, não está preparado para lidar com essa espécie de nojo.»

Precisamente mas não é apenas Portugal é a Europa, é a sociedade Ocidental.
A opinião pública recusa-se a encarar de frente estas novas ameaças.
O que aconteceu em França após o "arrastamento" à manifestação de estudantes em Paris, ou aos selvagens argelinos que no jogo França- Argélia no qual o hino françês foi veementemente assobiado e bandeiras francesas incendiadas, além dos curriqueiros actos de hooliganismo?
Que eu saiba, rigorosamente nada. Deixa andar.

É esta a mentalidade vigente e a escumalha invasora aproveita-se disto, além disso lançam os chavões do racismo da xenofobia da perseguição que não os deixam integrar que é dificil controlar a juventude e essa tretas que há muito estamos fartos de ouvir como alibis.
E agora exigem direitos iguais e lançam a treta que a Europa precisa dele e a Europa, pasme-se, vai ser construída com base na imigração.
Com a atribuição da nacionalidade está todo perdido, começam a ser um faixa eleitoral a conquistar pelos partidos politicos do sistema, e assim exigem politicas que os beneficiem em troca de votos.
Ricardo

1:56 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

"O ministro da administração interna é "parente" dos jovens da Cova da Moura, de todos os politicos só podes esperar que intensifiquem os esforços de integração, então no do Antonio Costa..."

Oh JAPMG só te posso dizer que és muito básico e não percebeste nada da ideia dos mails para os desgovernantes, porque a ideia é mostrar-lhes que a população já se começa a revoltar e por isso têm que parar de deixar entrar pretos e outros em Portugal. Não queres cá mais pretos pois não? Então é boa ideia que a população comece a mostrar aos desgovernantes através de campanhas de protesto como esta dos mails que quer mais segurança. Como no fundo os desgovernantes sabem que mais pretos significa mais insegurança, no dia em que a população der mostras de estar revoltada eles começarão a conter a entrada de pretos.

6:31 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

anónimo das 6:31 na minha opinião isso poderia ser praticável se neste momento os estados europeus não enfrentassem todos a mesma situação:
- imigração descontrolada de gente proveniente do 3ºMundo

- reféns do politicamente correcto

-reféns das organizações de apoio a imigrantes e organizações do género "de associação cultural" que se vão estabelecendo nos países

- reféns das pressões dos países das antigas colónias que pretendem ter privilégios na entrada e fixação dos seus cidadãos nos países da antiga metrópole, vê em Portugal a pressão exercida pela antiga provincia ultramarina brasil que exigiu privilégios mesmo relativamente às antigas provincias africanas, palop's, com as quais nós temos uma relação muito mais próxima, criando cisões no seio da organização da cplp. o brasil tal como eles andam por aí a apregoar agora, está neste momento a descobrir Portugauuuu, depois de sermos nós a descobri-los, estão eles agora a descobrir-nos a nós.

- em determinados países, o jogo de interesses obscuros que pensam ter vantagens económicas em ter mão de obra barata se bem que desqualifcada, e em outros interesses num aumento populacional e assim uma vantagem demográfica.

Os estados há muito sabem que a população europeia não quer mais gente no seu seio vinda do 3ºmundo. Fácilmente constatam esse descontentamento pelos estudos de opinião que se têm feito quer a nível nacional quer a nivel europeu, mais recentemente, neste último referendo o NÃO foi muito influenciado pelo medo de novas hordas provenientes da Turquia.
O então comissário António Vitorino afirmou sem margem de más interpretações que os Estados nacionais e a União Europeia estão a esforçar-se para tentar passar a imagem que o fenómeno da imigração neste momento está controlado, com os repatriamentos e politicas de imigração mais restritivas e em fase posterior implementarem a mensagem que precisamos deles para a própria sobrevivência do nosso sistema de segurança social e, mantermos o nosso nível de vida. Vão lavar-te o cérebro e repetir-te esta cantiga milhares de vezes de modo a que quem ouse afirmar que não é este o caminho, precisamos de encontrar outro que efectivamente assegure a nossa independência e sobrevivência seja imediatamente apontado na praça publica como imbecil, ignorante e acusado de viver no século passado.
Ricardo

3:34 da tarde  
Anonymous joao do greg disse...

No jornal cm vinha a dizer em título que a polícia impediu confrontos entre skins e anarcas...curiosamente se lêr a noticia percebia-se que n havia skins nehuns e que confrontos houve mas entre polícia e anarcas tendo um polícia levado uma pedrada na cara segundo o mm jornal.Entao rebatet o q achaste das comemrações do 10 de junho em carcavelos?só lá faltou o presidente e o governo em peso para ajudar á festa...

3:44 da tarde  
Anonymous PMG disse...

«O momento foi de grande emoção e recordo em particular um senhor, nos seus 60 anos, que não conseguiu conter algumas lágrimas. Disse-me que havia combatido no Ultramar e vivia agora num albergue, abandonado à sua sorte, falou com mágoa da gente que tem traído a pátria enquanto emocionado me mostrava o BI exibindo com orgulho a sua naturalidade: Vila Viçosa. « Sou português, nasci aqui e lutei por Portugal para agora ver este país transformado nisto…, olho para estes homens e digo-lhe que Portugal não os merece.»_Foram as suas palavras enquanto limpava a cara e apontava para as figuras representadas no monumento evocativo de Camões.»

Muito interessante. Tal como ele, houve dezenas de milhares de soldados do exército português, a combater em África, que eram pretos, mulatos, indianos de Moçambique ou oriundos do Estado Português da Índia (e seguramente o ocasional timorense ou chinoca de Macau ou de Lourenço Marques). Muitos deles foram lá mortos. Presumo que estes não se possam considerar portugueses... até porque, a muitos destes "coloridos" que ficaram vivos, nem se atribuíu a nacionalidade portuguesa. Também se podia falar das cerimónias do ex-combatentes, que decorreram noutro lugar, talvez mais adequados a este glorioso velhote. Acabou como joguete nas mãos de uns patéticos "nacionalistas", skinheads e coisas afins. Que sorte desgraçada, de facto.

10:02 da tarde  
Blogger Caturo disse...

Muito interessante. Tal como ele, houve dezenas de milhares de soldados do exército português, a combater em África, que eram pretos, mulatos, indianos de Moçambique ou oriundos do Estado Português da Índia (e seguramente o ocasional timorense ou chinoca de Macau ou de Lourenço Marques). Muitos deles foram lá mortos. Presumo que estes não se possam considerar portugueses...

Correcto. Não são de facto portugueses.

10:37 da tarde  
Blogger Caturo disse...

Acabou como joguete nas mãos de uns patéticos "nacionalistas", skinheads e coisas afins.

Enfim, antes isso do que servir de fantoche a uma escumalha nojenta pseudo-patrioteira e mentalmente indigente que quer servir-se da guerra em África para fazer chantagem emocional com o intuito de obrigar os nacionalistas a aceitarem alienígenas como «seus irmãos».

10:44 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

«Muitos deles foram lá mortos. Presumo que estes não se possam considerar portugueses... até porque, a muitos destes "coloridos" que ficaram vivos, nem se atribuíu a nacionalidade portuguesa.»
Ainda mais continuaram lá onde combateram, e foram perseguidos por muitos africanos, muitos deles com responsabilidades politicas, pelo facto de terem combatido do nosso lado. Esse facto também o indigna pmg? Ou apenas pretende usar essas pessoas como arma de arremesso para se conceder a nacionalidade Portuguesa a tudo o que vem de lá incluindo quem combateu contra nós, os seus descendentes e quem persegue esses combatentes.

Ricardo

11:08 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

«Muitos deles foram lá mortos. Presumo que estes não se possam considerar portugueses...»
Como fala em em guerra e em mortos, não o indigna o facto de africanos na nossa (pelo menos minha)Pátria fazerem assumidamente o culto de terroristas africanos que combateram os nossos soldados,e também esses combatentes de outras raças como refere?
Não o indigna o facto de a muitos dos nossos combatentes não serem reconhecidos direitos e o sacrificio ao qual foram chamados, e a Câmara de Lisboa homenagear terroristas africanos com nomes d eruas em bairros habitados por maioritáriamente habitados por africanos que combateram soldados Portugueses e de outras raças?

Não o indigna Portugal ter servido durante muito tempo e provavelmente ainda serve, de abrigo a terroristas africanos que combateram as tropas que serviram sob a nossa bandeira??

Não o indigna o estado português dispender mais atenção e recursos a africanos do que a antigos combatentes??

Ricardo

11:22 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Pois é Ricardo falas daquelas pressões todas que os governantes sofrem por parte dos nossos inimigos, então é tempo de nós começarmos a pressionar também por todos os meios ao nosso alcance. Entupir-lhes as caixas de mails será um deles. Ou em alternativa será que vamos ficar a chorar-nos de que os outros pressionam em vez de pressionarmos nós também?

11:47 da tarde  
Blogger Rodrigo Nunes disse...

Amigo anónimo,entupir as caixas de correio dos ministérios, da ACIME, do SOSRacismo, tudo isso pode e deve ser feito, mas é importante que não nos limitemos a isso. Neste próximo sábado vai haver uma manifestação contra as desastrosas políticas de imigração e o crescimento impune da criminalidade no nosso país.A mobilização está a ser geral e todas as correntes nacionalistas vão estar representadas, Autocarros de todo o país virão e é importante para além de escrever esses mails, coisa que eu também faço,também marcar presença na rua como forma de protesto. Podemos contar consigo?

Ricardo, vou pedir ao Caturo que lhe dê o meu endereço de e-mail, se puder aparecer na manifestação diga, estou a pensar fazer uma iniciativa para discutir o nacionalismo e a economia num futuro próximo e gostaria de saber da sua disponibilidade para uma eventual participação.Se aparecer na manifestação poderemos falar lá...

João, tens toda a razão,mas com alguma sorte ainda lá estariam alguns eleitores do BE ou do PCP :)...

pmg, o tal glorioso velhote saberia de certeza que nesse outro local estavam a decorrer as cerimónias de que fala já que todos os anos estas são muito publicitadas, se o velhote, como lhe chama, não quis lá estar foi por opção, calhando não quis ser joguete dos hipócritas que ano após ano aí comparecem...

12:17 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Aquela bandalhada pseudo-nacionalista deveria ter sido presa por conspurcar a memória de Camões (algo que seguramente acontecerá, se isso se voltar a repetir, agora que o país inteiro conhece a "coisa"). Em memória de Camões e da grandeza de Portugal, vilipendiada abominavelmente por estas paragens, aqui ficam alguns poemas, para que aprendam alguma coisa e o nome do poeta não tenha aqui aparecido em vão (sobre o amor, e sobre a escura Bárbara da Índia). Muito se riria ele ao ver aqueles palhaços ali reunidos:

«««

Amor é fogo

Amor é fogo que arde sem se ver,
é ferida que dói e não se sente;
é um contentamento descontente;
é dor que desatina sem doer.

É um não querer mais que bem-querer;
é solitário andar por entre a gente;
é nunca contentar-se de contente;
é cuidar que se ganha em se perder.

É querer estar preso por vontade,
é servir a quem vence, o vencedor,
é ter com quem nos mata lealdade.

Mas como causar pode seu favor
nos corações humanos amizade,
se tão contrário a si é o mesmo Amor?




--------------------------------------------------------------------------------

Endechas a Bárbara escrava

Aquela cativa
Que me tem cativo,
Porque nela vivo
Já não quer que viva.
Eu nunca vi rosa
Em suaves molhos,
Que pera meus olhos
Fosse mais fermosa.

Nem no campo flores,
Nem no céu estrelas
Me parecem belas
Como os meus amores.
Rosto singular,
Olhos sossegados,
Pretos e cansados,
Mas não de matar.

Ua graça viva,
Que neles lhe mora,
Pera ser senhora
De quem é cativa.
Pretos os cabelos,
Onde o povo vão
Perde opinião
Que os louros são belos.

Pretidão de Amor
Tão doce a figura,
Que a neve lhe jura
Que trocara a cor.
Leda mansidão,
Que o siso acompanha;
Bem parece estranha,
Mas bárbara não.

Presença serena
Que a tormenta amansa;
Nela, enfim, descansa
Toda minha pena.
Esta é a cativa
Que me tem cativo,
E, pois nela vivo,
É força que viva.

»»»

12:21 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Penso que deveremos fazer ainda muito mais que isso, aliás isso pode até ser uma iniciativa.
Recordo uma entrevista de um tachista do PSD que passou pelo antigo governo responsável pelo tacho da integração das minorias, já nessa altura recebia inúmeras cartas de cidadãos Portugueses relativamente ao que se estava a passar com a imigração, e as suas preocupações face ao impacto na sociedade Portuguesa. Ele com toda a sua fleuma de grande estadista respondeu com a estória da carochinha “do medo do estranho e que Portugal tem que se abrir ainda mais e dar ainda mais condições de integração a esta gente e reforçar as campanhas para a aceitação deste fenómeno recente na sociedade Portuguesa e que nós precisamos muito deles”.

Na minha opinião, as iniciativas deverão ser mobilizadoras de toda a sociedade Portuguesa, e eu muito gostaria que Organizações como a Causa Identitária despertassem uma maior consciência nacional e que corporizassem os anseios e mobilizasse a sociedade Portuguesa. Assim em vez de actos isolados seriam encarados como resposta da sociedade civil, e a partir daí pudesse contribuir para maior notoriedade de um novo Nacionalismo que pode emergir.

Ricardo

12:31 da manhã  
Blogger Caturo disse...

Onde o povo vão
Perde opinião
Que os louros são belos.


Pelos vistos, o Povo Português dessa época era «nazi»...

Queria o nojento anónimo das 12:21 que os nacionalistas da Causa Identitária fossem presos. O chungoso não admite que um grupo de indivíduos deite para o lixo a treta patrioteira anti-racista que o anónimo 12:21 quer ver instituída como única e obrigatória. E, para não destoar do resto da escumalha, resolve falar em nome do povo, como se o Povo lhe tivesse passado alguma procuração, e logo a ele, imbecil ressabiado e argumentativamente impotente.

2:27 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

O Anónimo 12:21 ou não sabe ou finge não saber que a mulher que há uma forte teoria que defende que Camões não se referia a escrava negra nenhuma, mas sim a uma portuguesa morena que ele conheceu em Coimbra e por quem se apaixonou e que era casada nada mais nada menos do que com alguém da alta nobreza, a cujo serviço Camões se encontrava (daé Camões dizer que ela estava "cativa"). Rebatet: sou o anónimo que fala em entupir as caixas de mails e quanto à manif farei um esforço para poder ir a Lisboa nesse dia. Ricardo: sim, todas as iniciativas são válidas, quanto mais organizadas melhor.

2:39 da manhã  
Blogger Rodrigo Nunes disse...

Assine com um nome para poder distingui-lo.Quanto à campanha de e-mails tem de ser feita de forma concertada e maciça.Talvez o melhor seja colocar a ideia no fórum-nacional com os respectivos enedereços de e-mail. Talvez não fosse má ideia escrever apenas uma mensagem e depois fazermos copy/paste e enviar...O que acha?

3:28 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Agora sou basico porque acho inutil mandar mails a pretos a dizer que estamos fartos de pretos, ou que não queremos mais pretos cá. Agora quem não manda e-mails a pretos a dizer que está farto deles é basico, esta é boa!

Ó anonimo manda um abraço no teu e-mail ao Costa! Já agora mandem tambem ao SOS racismo.

Anonimo basico eu não me importo que voces mandem e-mails, nem tenho nada contra, tiraste conclusoes precipitadas e partes para o insulto sem razão.

Assinado: JAPMG (nao tou no meu pc nem tou para meter passwords)

11:49 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Algumas mentes mentecaptas afirmam que este blogue é elaborado por elementos de extrema direita, enfim.... sem comentários. Africanos aliados à extrema direita??? Somos estúpidos?

Este blogue existe desde MAIO, não foi uma criação do 10 de JUNHO.

E avisamos já a extrema direita que dia 18 de Junho os Africanos esperam por voçês.
Os meninos skinheads e os betinhos e fedorentos salazaristas são tão medrosos que ainda nem anunciaram a hora e o local da manifestação contra a imigração.

Os palhaços antifas falharam contra voçês, mas nós não perdoaremos.

Apelamos a todos os Africanos que façam uma Contra Manifestação. E os meninos antifas que fiquem em casa, porque não queremos cobardes ao pé de nós.

Portugal Africano, JÁ!

retirado de http://irmandadenegra.blogspot.com/

12:59 da tarde  
Anonymous PMG disse...

"Portugal Africano, JÁ!

retirado de http://irmandadenegra.blogspot.com/"

Por aqui se vê o quão idiotas estas bestas julgam os seus próprios camaradas, que caem ali aos gritos que nem patinhos. Há uns anos tinha sido o famoso projecto "Nzingalis". É, todavia, um exercício interessante. Funciona como uma espécie de catarse da disfunção patológica e, só por isso, vale a pena ler (e rir um pouco dos traumas ali expostos).

6:05 da tarde  
Blogger m disse...

E' incrivel como o racismo reina por aqui!

E nao vale a pena vir com a "desculpa" de que querem apenas defender o povo portugues de todos os demaias apatridas.

Assusta-vos a cor de pele diferente e as culturas diferentes.

E' um facto!

A imigracao e os gangs de marginais que estao a invadir Portugal sao um grave problema actual, mas isso nao implica que tenhemos de entrar no campo do racismo!

9:25 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Ser racista, é foleiro e cobarde. Ser homem é outra coisa. É aceitar uma humanidade como ela é. Que é corrupta e que por este motivo a terra será invadida pelos ratos.

Chocota

1:56 da manhã  
Blogger acja disse...

O Blog irmandade Negra não é encontrado quando acessado com este endereço, mas acho bem provável que exista tal grupo e tal mentalidade.Quando aportei na Blogosfera procura um grupo ao qual me identificar, que tivesse orgulho de ser Português como eu o tenho e que não fosse excencialmente neo-nazista, me enquadrei muito bem ao pensamento neo-salazarista do genial A.C.R. que muito me influênciou neste curto espaço de tempo na minha identidade política.Acreditava e ainda creio na TOLERÂNCIA e na ordem, tônico maior do Salazarismo, mas , quanto mais vivo quanto mais presencio situações , vejo cada vez mais que hoje, diferente dos tempos do Império e na atul conjectura dos fatos , tolerar é muitas vezes transgredir a própia existência e fada-la a um final pouco alentador, por tanto em resposta ao M e ao Chocota , a atual conjectura nos leva a pensar diferente e se iso for rascismo , sim eu sou rascista.

12:39 da tarde  
Blogger acja disse...

Gostaria de saber porque os comunas que postam comentários não se identificam, eles têm tanto medo assim?

1:31 da tarde  
Blogger miazuria disse...

Ah! Entao a Barbara era escrava!

7:46 da tarde  
Anonymous eumesmo disse...

Eu gostaria de poder fazer um freve comentario ao teu blog(opiniao); começo por dizer que a frente nacional e uma verdadeira palhaçada que nao tem qualquer razao de existir visto a na vossa visao das coisas e tudo o q de mal acontece no nosso pais e de pura resposabilidade dos emigrantes, o que nao passa de uma perspectiva extremante injusta e xenofoba, pois um criminoso nao se torna num por sua exclusiva vontade; os aspectos sociais como a pobreza a miseria, a exploração desmedida dos patroes e todo sistema politico que com estes compactua sim causam e perpetuam este fenomeno social que denomina por criminalidade.
Depois todos as pessoas com um minimo de "tino" conseguem ver e entender quais as vossas verdadeiras motivações e ambições...No que diz respeito ao cidadao portugues com quem falaste, sim e verdadeiramente triste e injusto toda a sua situação em que encontra mas o que e ainda mais desonesto e pessoas como voces uzarem a desgrassa alheia para enconbrir os vossos ideais sordidos em vez de fazerem algo de concreto para ajudar todos aqueles que sao oprimidos e conduzidos a miseria (em vez de andarem pa i a porrada por tudo e por nada).
Por fim a LIBERDADE que voces desejam de liberdade nada tem...
P.S. deixam de andarem armados em salazares, hitleres, e Le Pens e começem a ser homenzitos para variar.

8:45 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

«um criminoso nao se torna num por sua exclusiva vontade»
Claro que não, querem ver que é por minha vontade?

«ainda mais desonesto e pessoas como voces uzarem a desgrassa alheia»
O teu texto é que é uma desgraça.

«P.S. deixam de andarem armados em salazares, hitleres, e Le Pens e começem a ser homenzitos para variar.»
E tu, para variar, deixa de ser idiota.

NC

7:54 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Best regards from NY! Shopping clothing swimwear men &aposs Dating line bbw loft for sale san francisco ca yasmin kazzaz farm bureau medical insurance yasmin morning Greenwichconnecticut plastic surgeons Blumen laden in alts ten Order imitrex canada Latin amateur xxx Home theatre projector discount Jewelry party oneida handbag purse parties new york

4:38 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Keep up the good work »

8:16 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial