segunda-feira, setembro 26, 2005

Eles comem tudo e não deixam nada...

Walter Lippmann, em “Public Opinion” afirma que o conceito de opinião pública é uma ilusão. Tem razão. E Porquê? Porque a opinião pública é o resultado da oferta de informação, é o espelho da absorção das ideias veiculadas pelas estruturas de poder, políticas, como refere Lippmann, mas sobretudo “informativas”( sendo que estas duas não são independentes). A informação é a mais poderosa arma nas sociedades actuais, quem detém a informação detém o poder. A opinião pública, um conceito muito do agrado dos “líderes ocidentais”, é em si, frequentemente, uma ideia vazia de sentido, a opinião do público, ou se preferirmos, da maioria em relação a determinados assuntos, é apenas a resposta aos condicionamentos da informação. Não é tanto a opinião pública que molda o poder mas muito mais o poder que define a opinião pública. Obviamente que ainda assim as estruturas que dominam as nossas sociedades não conseguem um monopólio completo, existirão sempre franjas da população capazes de fugir, correcta ou incorrectamente, com ou sem razão, ao pensamento dominante, mas a maioria será sempre o resultado da oferta de informação, a maioria espelhará sempre a mundivisão dominante nos centros de controlo da informação e da cultura, porque a partir do momento em que isso não sucede o poder transfere-se para outro lado, isto é, o prazo de validade dos poderes dominantes está delimitado pela capacidade de fazerem a opinião pública defender e argumentar em seu favor, em prol dos seus interesses.

O prémio Nobel da literatura é um caso paradigmático de um prémio que é cada vez mais político e duvidosamente meritório, um exemplo do controlo da esquerda sobre a cultura e por tabela sobre a opinião pública, porque a guerra da cultura é a guerra pela caracterização da chamada opinião pública. Nos últimos 7 anos, uma análise aos vencedores deste prémio demonstra uma prevalência clara, inequívoca, de autores que partilham os valores e as lutas da esquerda clássica e contemporânea.

-Em 1998 vence Saramago, autor de méritos literários contestáveis mas de méritos políticos provadíssimos, militante comunista assumido e empenhado, de créditos bem firmados portanto.

-Em 1999 o prémio é atribuído a Gunter Grass, escritor alemão da esquerda, primeiramente apoiante do SPD, depois activista do “movimento pacifista”. Grass opôs-se à reunificação da Alemanha, o seu próprio país, com o argumento de que isso contribuiria para o fortalecimento da nação e a retomada da natureza beligerante do Estado germânico, viria posteriormente a defender a “acção directa” como forma de actuação política, a filosofia que esteve na génese dos movimentos terroristas de esquerda na Europa da década de 70 e que faz parte da natureza de grupos violentos de esquerda como o «Black Bloc».

-Em 2000 vence Gao Xingjian, refugiado político em França, perseguido pelo regime chinês.

-Em 2001 o prémio vai para V.S.Naipul, as suas novelas focam constantemente temas como o exílio e o drama da opressão colonialista nos países do terceiro mundo. Considera-se um cosmopolita, um cidadão do mundo, apátrida (estão a ver o padrão, não é?), define-se como um desenraizado, no fundo encarna na perfeição o ideal do mundo sem pátrias, do universalismo militante da esquerda moderna, do desenraizamento das gentes da tradição e história, personifica o homem final do multiculturalismo, destituido das identidades nacionais.

-No ano de 2002 ganha Imre Kertész, um Húngaro judeu que foi prisioneiro em Auschwitz, logo aqui reúne mais que as qualificações necessárias para vencer o Nobel. É particularmente conhecido por uma trilogia (“Sem Destino”, “A Recusa” e “Kaddish para uma Criança que não Vai Nascer”) que retracta a experiência de vida de um jovem durante o período do holocausto.

-Em 2003 vence J.M.Coetzee, um escritor Sul-Africano crítico da civilização ocidental e da sua moral (um talento à espera da descoberta por parte da esquerda trotskista) e conhecido pelas suas posições contra o Apartheid.

-Em 2004 o prémio vai para Elfried Jelinek, uma austríaca que foi filiada no partido comunista e “activista da paz” e que enquanto tal nunca se esqueceu de fazer a defesa da União Soviética( esse baluarte do pacifismo). De ascendência judaica pela parte do pai, sempre mostrou desprezo pela sua ascendência europeia pelo lado materno; tomou para si as causas da luta “anti-fascista”( seja lá isso o que for) e juntamente com Gunter Grass opôs-se à reunificação da Alemanha nunca deixando de contribuir sempre que a oportunidade surgiu para a manutenção do sentimento de culpabilização do povo alemão desde o pós-guerra. É famosa também pela sua ridicularização do político austríaco jörg Haider, num texto intitulado “O Monólogo de Haider”. É pena que nunca se tenha lembrado de escrever o “Monólogo de Estaline”…

Coincidências, nada mais que coincidências?

Se o prémio Nobel é um caso exemplar na cultura, tanto ou mais interessante será compreender até que ponto está politizada a informação que mais molda a tal opinião pública_ a comunicação social. Os jornalistas têm sido verdadeiramente agentes da revolução social e da transformação do ocidente durante o século XX, e perante o precipício, à beira do abismo, a Europa deve ao menos tentar compreender quem a empurrou até aqui, como e porquê. Nada influencia hoje mais o pensamento dominante do que a televisão, mas a televisão não é apenas entretenimento inocente e aparentemente descomprometido, é também política e formatação social, informação subliminar, demasiado subtil por vezes, mas não perdendo nunca a sua dimensão mais séria, nos programas de debate, nos documentários, nas reportagens de investigação, tudo isto é jornalismo, entre a televisão e o jornalismo escrito partilham-se não só origens e influências como nomes( pessoas que passam de um ambiente para outro, gente que frequentou as mesma faculdades, que frequenta os mesmo grupos sociais). E alguém hoje desconhece a enorme influência que a esquerda possui entre a classe jornalística?

O prémio Pulitzer será provavelmente o prémio jornalístico mais conhecido no mundo, entender até que ponto, mesmo nos E.U.A., a informação está dividida pela esquerda e direita permite-nos extrapolar algumas conclusões para o resto do mundo ocidental, porque por lá a imprensa é fortemente politizada, porque os Estados Unidos ainda vão tendo alguma “direita” e porque serão o país que mais influencia culturalmente o resto do mundo, em particular o Ocidente. Sem surpresa, ao longo dos anos a quase totalidade dos prémios foram atribuídos a jornalistas e órgãos de informação de esquerda, com uma tendência mais acentuada desde a década de 60, e embora o rácio em todas as categorias consideradas seja sempre favorável à esquerda existem algumas categorias em que o prémio nunca foi ganho por um jornalista reconhecidamente de direita. Este ano não foi excepção, atente-se nos seguintes casos:

- O prémio “Public Service” foi atribuído ao “Los Angeles Times”, um jornal da esquerda liberal, recompensando uma série de reportagens onde o jornal denunciava supostos casos de discriminação racial num Hospital público.

-O prémio “ Breaking News Reporting” foi atribuído ao “Star-ledger” pela cobertura “humanista” dada à história da resignação do Governador de New Jersey depois de se ter descoberto que traía a mulher com um homem e ter exposto a sua homossexualidade. A “coragem” do Governador foi aplaudida nas páginas do dito jornal, os anos de mentiras e o sofrimento familiar passaram para segundo plano. Merece o prémio, pois claro.

-O prémio “National Reporting” foi ganho por Walt Bogdanich do “New York Times”, um jornal que é um bastião da esquerda, pela investigação de casos de fraude levados a cabo por grandes empresas procurando a desresponsabilização por acidentes fatais ocorridos em cruzamentos de linhas ferroviárias.

-O primeiro prémio “Internacional Reporting” foi para a jornalista Kim Murphy , uma vez mais do esquerdista “Los Angeles Times”, sobre a realidade actual da Rússia e os seus problemas políticos.

-O segundo prémio “Internacional Reporting” foi para Dele Olojede da “Newsday”, uma revista de esquerda, por um artigo sobre o Rwanda e o massacre da tribo Tutsi. ( É pena que nenhum jornalista se preocupe com o massacre da minoria europeia em alguns países de África, mas isso provavelmente não ganha prémios)

-O prémio “Commentary”,um dos mais importantes, foi para Connie Schultz, uma conhecida jornalista de esquerda casada com um político do partido Democrata, conhecida pelas suas posições de defesa das minorias étnicas, sexuais e religiosas, pela sua defesa intransigente da sociedade multicultural e pela sua psicose anti-racista que vê no “middle american white man” a causa de todos os males( prémio mais que merecido, evidentemente!)

À direita o “Wall Street Journal” ganhou dois prémios, mas nenhum dos artigos premiado tinha qualquer conotação política. Nas categorias de jornalismo, a esquerda, uma vez mais, foi hegemónica. Nada de novo. A questão não é sequer o eventual merecimento dos prémios ou a qualidade e interesse dos artigos, a questão é outra, é a sucessiva repetição do mesmo padrão. Não existirão reportagens, jornais e jornalistas de qualidade à direita? Obviamente que existem, o problema é que as temáticas que ganham prémios pertencem à esquerda, é um ciclo vicioso, os temas políticos que vencem prémios são temas definidos pela esquerda e como ganham os prémios aumentam a sua notoriedade e impacto ,a sua capacidade de marcar a agenda política, a sua capacidade de moldar a opinião pública, que assim se reconhece cada vez mais na visão do mundo própria dessa esquerda.

De resto não são apenas os prémios em si que a esquerda vai amealhando que são motivo de reflexão mas também que prémios existem e são criados, no fundo, a questão passa também por saber o que se pretende premiar. E também aqui, não fugindo à regra, é a esquerda que decide o que deve ser recompensado, que temas merecem distinção. Recordo-me dos vários prémios que distinguem trabalhos jornalísticos relacionados com os "direitos humanos". À partida os mais desprevenidos pensarão que o tema é completamente merecedor de atenção, mas quem acompanha o fenómeno político sabe bem a manietação política que estes prémios usualmente sofrem, o famoso texto de Guillaume Faye ,“ A religião dos direitos humanos”, é um bom desmistificador do assunto. Sob a bandeira dos "direitos humanos" tem sido forçado todo o ocidente a aceitar a descaracterização da sua identidade, a recusa em fazê-lo transformou-se num atentado aos direitos do homem, um abjecto crime, a ideologia dos "direitos humanos", que prima pela hipocrisia, instalou-se no ocidente como frente avançada do multiculturalismo. Apenas o mundo europeu é forçado a aceitar a sociedade multicultural, com todos os problemas que isso acarreta. A ideia de multiculturalidade tem sido a principal responsável pela diluição das especificidades nacionais e pela descaracterização da riqueza cultural e histórica única do ocidente, mas está protegida pela capa dos “direitos humanos”.

Na Ásia, de onde virão os países líderes do século XXI, o conceito é liminarmente rejeitado, por lá não se aceita a destruição da identidade nacional em nome do humanismo, por cá premeiam-se os jornalista que o defendam, por lá emergem as novas potências, por cá morrem decrépitas as antigas, já sem memória do que foram e sem possibilidade de se defenderem no presente. E enquanto por lá sabem que o futuro lhes pertence, nós por cá vamos decaindo mas alegremente, pois afinal impera o humanismo, e nem percebemos que o futuro já não será nosso. Não saberemos sequer mais como nos defender perante culturas que não terão piedade perante nós, culturas que não esqueceram que a história do mundo representa o triunfo dos mais aptos.

No dia 7 de Junho a Comissão Europeia anunciou a segunda edição do prémio jornalístico “Pela diversidade. Contra a discriminação”, brilhante! Mas claro que a defesa da diversidade nos obriga apenas a nós, só o ocidente deve aceitar sem reflexão a diversidade dentro de portas, o conceito não se aplica aos outros povos, que conscientes da sua história e empenhados na legítima preservação da sua identidade entendem o ridículo do conceito, e acrescento que fazem muitíssimo bem, se o suicídio nacional foi aceite pelos europeus não o deverá ser por quem ainda mantém alguma dignidade e sanidade. O facto é que algum jornalista será premiado nesta categoria, ó o prestígio, a glória, o reconhecimento público, já imagino…e assim se continua a formar a opinião pública, essa entidade vazia de sentido que não representa mais que o sistema de valores que lhe é imposto, sem sequer o entender. Marcha triunfal a esquerda ao som dos tambores que uma certa direita vai sorridentemente rufando; que direita? A direita liberal, é evidente.

Isto porque existe um espaço de oferta de informação que a esquerda não controla, falo da informação económica, aí domina aquilo que designamos por direita liberal. É o triunfo do primado do mercado mas sem grandes considerações morais, esta direita liberal é relativista, interessa-lhe a apenas a “liberdade individual” e a maximização da eficiência, questões que impliquem juízos de valor, como justiça social ou interesse comunitário, são-lhe estranhas ou quase indiferentes, questões menores se é que podem ser definidas, afinal são ideias subjectivas, para a direita liberal tudo é relativo e por isso faz com a esquerda uma parelha de sucesso. A esquerda define a agenda social, política, marca os costumes e as mentalidades, define os valores, e para aquela direita tudo vai bem, porque o que lhes interessa é o triunfo do capital e apenas isso, de resto que caiam todas as instituições e tradições. A esquerda tendo perdido a batalha da economia contenta-se com o que lhe sobrou, a definição do espaço político e dos valores, pois sabe, também porque sempre foi muito mais ideológica, que são esses valores que definirão o homem de amanhã.

E aos nacionalistas sobra a Internet, por quanto tempo não sabemos, sabemos que a informação deve ser controlada, a opinião pública deve ser ajustada de acordo com os interesses do «establishment». A censura e o controlo da informação acabarão por chegar à Internet, se terão sucesso ou não será outra questão, mas os indícios já se apresentam, é incontornável, é a oferta de informação e, por consequência, a existência de uma opinião pública útil aos propósitos do poder que o exigem. Como a opinião pública em geral é o espelho do domínio sobre a informação «mainstream», as “maiorias” acabam por reflectir a visão do mundo que lhes é vendida na informação quotidiana ou, por vezes, em bandejas doiradas com prémios culturais ou jornalísticos a adorná-las. Neste cenário é por enquanto inevitável sermos considerados os retrógrados, os reaccionários, os fascistas, os déspotas, os perigosos…a culpa não é de quem o debita qual papagaio doméstico, a culpa é dos donos, são eles que lhes ensinam a imitar aqueles sons, a repetir aquelas palavras, orgulhemo-nos, pois somos mais “opinião” (embora pouco pública) do que eles alguma vez hão-de ser.

27 Comentários:

Anonymous Mendo Ramires disse...

Mais um texto de Antologia. Parabéns!

2:20 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Your blog is great . If I can help, let me know. If you ever need any printing done, I'm sure you'd be interested in Brochures Try Brochures

2:23 da manhã  
Blogger Maria Afonso Sancho disse...

Passa sempre boa informação.
Mas a esquerda/direita hoje ainda existe?
Politica é: servir a Polis.
Que alternativas temos a esta farsa?
E telejornais, telenovelas e revistas cor de rosa são só junk food para a nossa inteligência.

3:29 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Mais uma brilhante análise.
Parabéns.

Respondendo à Maria Afonso Sancho, se hoje existe direita e esquerda, existe. Agora no que se refere aos que alternam na cadeira do Poder, é que não se verifica o antagonismo esquerda/direita. É a lógica da dita democracia, a bipolarização da política, que em Portugal resume-se ao PS e PSD.
Qual deles representa a direita ou a esquerda? Não sei, o que sei é que representam uma ideologia ocidental que hoje vigora na Europa.

Nuno- CI

12:57 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

ps e psd não serão o mesmo partido dividido em dois!Quem controla os meios de comunicação controla o mundo.Europa hoje moribunda, amanhã talvez morta!!!

2:30 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Como habitualmente o texto é muito bom mas uma vez mais você não consegue evitar o ataquezinho à direita liberal.É uma pedra no seu sapato, volta e meia lá vem o toque.Se calhar se não fossem os liberais você nem poderia ter um blog destes a escrever o que escreve.

5:52 da tarde  
Anonymous Mendo Ramires disse...

O postal que o BOS produz a partir deste notável artigo é obrigatório como memória futura. Digo-o aqui, pois não consigo penetrar naquelas blindadas caixas.

7:13 da tarde  
Blogger PlanetaTerra disse...

///

Anonymous said: " ... Europa hoje moribunda, amanhã talvez morta!!! ... "

--- Para mim, a estratégia do 'TUDO OU NADA' é uma estratégia SUICIDA e IMBECIL!!!

--- É ÓBVIO que só existe um caminho a seguir: o SEPARATISMO!!!

O LEGÍTIMO Direito ao Separatismo:
http://divisao--50--50.blogspot.com/

///

8:32 da tarde  
Blogger alex disse...

O texto do Rebatet é, como de costume, muito bem escrito e estruturado.
Mas (e nisto há sempre um 'mas'), faz algumas avaliações erradas e, de certos factos ineludíveis, tira conclusões absolutamente extraordinárias.

Diz o Rebatet, e bem, que a esuqerda perdeu a Economia e se refugiou na cultura.

O Rebatet deveria perceber que a esquerda está num ghetto... de onde não tem saída possível.
A 'armadilha' está tão bem montada que,no médio longo prazo, nem esse guetto lhes restará.

faço-çlhe a pergunta:
Durante quanto tempo +e que acha que a Esquerda vai subsistir sem poder interferir na Economia?

A perda da Economia foi só um primeiro passo atá ao seu total esmagamento.
Não se iluda: a Esquerda est+a, a médio-prazo, liquidada.
Não há 'humanismo' ou 'outrismo' que supere outras 'estéticas'.
Nunca se esqueça: o 'humanismo' e o 'outrismo' não são imanentes....o 'self-interest' É!

A Esquerda, convem não esquecer, está constantemente a queixar-se de que, lenta e 'insidiosamente', está a ser destilada uma ideologia individualista e materialista que ganha cada vez mais fôlego.

A moderna 'transcrição' de Liberalismo (pois é disso que se trata) traz consigo o individualismo, a inevitabilidade e naturalidade das desigualdades (que chegam a ser consideradas até desejáveis) e uma lógica materialista não ao estilo marxista mas sim numa lógica de estímulo proprietário, ou seja, de espicaçar à 'outrance' o instinto de propriedade privada e de competição.

Lá se vão o 'outrismo e o 'humanismo p'ró galheiro, está a ver?!.

Ora tudo isto é antagónico à matriz daquilo a que se convencionou chamar Esquerda.

Desta forma, lentamente (que isto não é do pé 'rá mão e a malta tem calma) o quadro de valores em que a Esquerda ganhou terreno fértil para crescer, está a ser substituido por um outro 'terreno' que lhe é adverso e antagónico.

Um belo dia....adeus Esquerda.
O 'trabalho' está a ser feito (e bem feito, note-se) da Economia para as outras áreas.
O ghetto em que a Esquerda JAZ não subsitirá muito mais tempo, á mdeida que os valores emergentes forem ganhando, inevitavelmente, força.

A força do Liberalismo está no silencioso e sub-reptício inquinar dos valores da esquerda....até à sua completa inversão.

Devagar, devagarinho....não falhará.

Tudo isto partitu de uma singela descoberta por parte dos Neo-Liberais: o 'humanismo', o 'colectivismo' e o 'outrismo' não são naturais e podem ser fácilmente desmontados, espicaçando instintos naturais da espécie.
É algo 'zoológico', mas that's the way it works.

A Economia funciona aqui não tanto como único motor da História mas mais como 'cenoura à frente do burro'.

É de notar que, muitas vezes, os Liberais têm sido algo substimados, mas isso é um erro crasso.
Basta ver o que se passou, o que se passa e perspectivar o futuro.
É ainda de salientar que Liberalismo (entendido mais própriamente na sua formulação económica) não é necessáriamente sinónimo de Democracia nem anda com a dita atrelada.
Se puder ser Democracia, tanto melhor.
Se não puder ser....olhe....paciência....acontecem 'coisas' como no Chile, por exemplo.

A srªJelineck, o Saramago (que escreve mal a pacotes) e o Gunter Erva não são 'santos' do meu 'rosário' e estou-me a cagar para 'obra' deles.
Pode zurzir neles à sua vontade.
O tempo dos prémios, a seu tempo, chegará também ao fim, com a 'destruição' final do Guetto.

Qaunto à Europa, quem o ler, pensa que vem aí o fim do mundo.
Tenha calma homem.
É só uma mutação. Uma crise de crescimento.
No fundo, uma mudança de paradigma.
Uma mudança, até, de sistema económico que, como se vê, está a ruir e urge reformular e refundar.
O Oriente (China, Japão, Coreia do Sul, Tailândia, Taiwan, ert...) vai crescer e ganhar peso, como é óbvio....mas o 'centro' continuará a ser o Ocidente.
Basta ter o poderio militar que tem e que, no futuro, estou certo, se acentuará ainda mais.

"...para a direita liberal tudo é relativo..."

AÍ É QUE VOCÊ SE ENGANA REDONDAMENTE!
Não é não!
Parece ás vezes, mas não é.
Os objectivos finais são imut+aveis e inamovíveis.
Trata-se tão só de flexibilidade estratégica sem NUNCA se perderem de vista os objectivos FINAIS.
A realidade dá-me razão: a berraria da Esquerda vai sendo tanto maior quanto mais confinados estáo no 'terreno', no ghetto, por um 'trabalho' bem feito (porque discreto).
Sentem-se crescentemente empurrados.
Ainda pensam que estão em 1968, mas enganam-se.
Substimaram quem tiveram pela frente durante décadas: lixaram-se em 1989.
Continuam a 'sonhar': vão se lixar de novo, desta feita em lume brando, que dá mais gosto vê-los 'chiar' lentamente.

A Esquerda é um moribundo histórico, económico e filosófico que ainda não tem consciência que está irremediavelmente condenado.

Depois do mundo islâmico se 'submeter' (só tem duas saídas: ou torcem, ou quebram).....a 'auto-estrada' fica livre.

Percebeu agora?!
Ou quer esperar mais uns anitos para ver que eu tenho o dom da profecia?
:)

9:49 da tarde  
Blogger alex disse...

Realmente o seu blog tem um nome apropriado.
É mesmo a 'Batalha Final'.
E estamos todo a assistir a ela.

9:54 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Parabéns, belo texto. Uma ou duas pequenas divergências, mas pouca
coisa.

Maria.

10:51 da tarde  
Blogger PlanetaTerra disse...

///
--- A Bicharada Europeia continua IGUAL a si própria...
--- Aqueles que ambicionam ser Novos Senhores Feudais continuam IGUAIS a si próprios...
--- O GRANDE PROBLEMA da Europa é que os Movimentos Nacionalistas estão infestados de IMBECIS!


NOTE-SE O SEGUINTE:
- Destruição/Diluição (... 'dividir para reinar'... ) das Identidades...
- Promoção do caos social...
- Estados a caminho da falência...
- Forças Militares profissionais... que irão trabalhar para quem lhes pagar mais...
- Mega-Capitalistas que controlam todos os sectores estratégicos ( água, alimentos, energia, etc... )
- Mega-Capitalistas com capacidade financeira para constituir Forças Militares Privadas...
- Novas Armas de Alta Tecnologia que vão permitir controlar FACILMENTE grandes populações por intermédio de 'meia-dúzia' de Mercenários muito bem pagos...
- É ÓBVIO QUE ESTÁ NA FORJA A IMPLEMENTAÇÃO DUMA NOVA ORDEM FEUDAL NA EUROPA!!!!!!!!!!!!!!!

- ( NOTA: Os Media [ propriedade dos Mega-Capitalistas ] não divulgam as mensagens dos Nacionalistas... todavia, a extrema-esquerda possui toda a liberdade de expressão... porque... os Mega-Capitalistas perceberam que a extrema-esquerda pode ser utilizada como IDIOTA ÚTIL!!!... )

---> No passado os Nacionalistas salvaram a Europa da garras dos Senhores Feudais...
---> No futuro os Nacionalistas devem voltar a salvar a Europa das garras dos (Novos) Senhores Feudais... através da constituição dos Estados de Reserva Natural... 50%... [ ver http://divisao--50--50.blogspot.com/]


P.S.
--- No entanto, olhamos para os Nacionalistas... e ... vemos um BANDO DE IMBECIS em guerrilhas PATÉTICAS com os IDIOTAS ÚTEIS da Esquerdalha...
///

11:45 da tarde  
Blogger Rodrigo Nunes disse...

A esquerda e a direita ainda existem? No plano ideológico digo que sim, no que concerne ao poder real existe cada vez menos essa divisão, esse poder está cada vez mais reduzido a uma alternância entre partidos que representam o mesmo.

Como está Nelson? O anónimo das 5.52 representou a primeira frente antes da chegada da artilharia pesada da direita liberal :)?

«faço-çlhe a pergunta:
Durante quanto tempo +e que acha que a Esquerda vai subsistir sem poder interferir na Economia?»

Quem lhe garante que a esquerda não poderá interferir na economia? Não se esqueça que os valores que pautam uma sociedade definem também a visão dos homens perante a economia, por enquanto a direita liberal tem um potencial de crescimento que é fruto das dificuldades actuais do modelo social europeu em se auto-financiar, mas note bem que mesmo nessas circunstâncias a senhora Merkel, com um programa económico liberal, conseguiu um péssimo resultado na Alemanha em face das expectativas. Talvez não fosse má ideia o Nelson formular diversos cenários... e se em vez de perguntar durante quanto tempo sobreviverá a esquerda sem a economia colocar a questão de outra forma, durante quanto tempo manterá força o dogma liberal sem a cultura? As coisas não são lineares...

«A perda da Economia foi só um primeiro passo atá ao seu total esmagamento.
Não se iluda: a Esquerda est+a, a médio-prazo, liquidada.»

Pois, já o ouvi dizer isso antes, veremos, sou um céptico...

«A Esquerda, convem não esquecer, está constantemente a queixar-se de que, lenta e 'insidiosamente', está a ser destilada uma ideologia individualista e materialista que ganha cada vez mais fôlego.»

E com toda a razão, disso também eu me queixo.

«A moderna 'transcrição' de Liberalismo (pois é disso que se trata) traz consigo o individualismo, a inevitabilidade e naturalidade das desigualdades (que chegam a ser consideradas até desejáveis) e uma lógica materialista não ao estilo marxista mas sim numa lógica de estímulo proprietário, ou seja, de espicaçar à 'outrance' o instinto de propriedade privada e de competição.»

Que rica ideia de sociedade essa, e você vê isso quase como a chegada do paraíso à terra?

«A força do Liberalismo está no silencioso e sub-reptício inquinar dos valores da esquerda....até à sua completa inversão.»

A força do liberalismo está em permitir ou não um melhor nível de vida às populações, os liberais clássicos desprezam a ideia de intervenção estatal para efeitos de redistribuição do rendimento, ora, para a saúde do liberalismo contará sobretudo a capacidade de lidar com as desigualdades de rendimento na sociedade, lembro-lhe que a Inglaterra tem um dos mais elevados índices de desigualdade da Europa e nos EUA o índice de Gini aumentou, revelando que a desigualdade no país continua a crescer. Esse crescendo de desigualdade tem um enorme potencial de criação de tensões sociais e é um terreno fértil para a esquerda. É também o que poderá fazer ruir esse edifício que o Nelson já imagina a brilhar.

«É de notar que, muitas vezes, os Liberais têm sido algo substimados, mas isso é um erro crasso.
Basta ver o que se passou, o que se passa e perspectivar o futuro.
É ainda de salientar que Liberalismo (entendido mais própriamente na sua formulação económica) não é necessáriamente sinónimo de Democracia nem anda com a dita atrelada.
Se puder ser Democracia, tanto melhor.
Se não puder ser....olhe....paciência....acontecem 'coisas' como no Chile, por exemplo.»

De acordo. Eu não os subestimo de forma alguma, sei bem que têm um corpo intelectual respeitável.

«Qaunto à Europa, quem o ler, pensa que vem aí o fim do mundo.»

Apenas o fim da Europa como a conhecemos :)E o Nelson sabe bem que eu não me conformo com a ideia de ter os EUA a liderar o ocidente qual Messias.

« Percebeu agora?!
Ou quer esperar mais uns anitos para ver que eu tenho o dom da profecia?
:) »

Espero mais uns anitos e vou travando a minha pequena luta entretanto, o Nelson sabe que nós, nacionalistas, somos uns românticos :). Mas também lhe digo, se o que aí vier for a sociedade do individualismo radical que você descreve, olhe, venha o Diabo e escolha.

«Realmente o seu blog tem um nome apropriado.
É mesmo a 'Batalha Final'.
E estamos todo a assistir a ela.»

Exactamente, infelizmente estamos em lados contrários, mas no final apertaremos as mãos e ficaremos bons amigos, eu gosto das causas que parecem perdidas, é da minha natureza. É a chama da Pátria que arde...e depois enquanto há vida há esperança.

Cumprimentos para si e também para o Mendo, a Maria Sancho, o Nuno a Maria e o meu amigo do "Planeta Terra",sem esquecer os anónimos, claro

2:21 da manhã  
Blogger Euro-Ultramarino disse...

Parabéns pelo brilhante texto. A estratégica gramsciana caracteriza o combate hodierno. O objectivo de destruir a "sociedade burguesa" a partir da sabotagem dos seus próprios valores está a ser atingido pela hegemonia "cultural" da esquerda.

5:31 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

This is an excellent blog which I will visit on a regular basis.

I have a cad drafting site. It pretty much covers cad drafting related stuff.

Please visit sometime and see if you like it. And good luck to your fascinating blog!

5:54 da tarde  
Anonymous Mendo Ramires disse...

Saibamos, também nós, farpear a ditadura 'cultural' de esquerda, caro Euro-Ultramarino (aliás, o seu magnífico blogue é um bom exemplo dessa capacidade, que, infelizmente, poucos têm).

Ao Rebatet e ao Euro-Ultramarino,
os meus melhores Respeitos e
as minhas mais altas Saudações!

Mendo Ramires

5:54 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

o Salazar hoje a primeira coisa que fazia era

voltar ao padrão ouro

pois sem ele o dinheiro não existe.
Existe só o crédito. Que é uma vigarice inventada pelos bancos que são piores que a D. Branca, que só fazem panelinha entre eles e já nos sacaram o ouro todo do tesouro nacional. E nos andam só a enganar com prestações inventadas que só nos escravizam.

Recebi este email de uma amiga que me parece fazer uma critica certa da nossa situação actual.
Aqui vai para pensarmos juntos:

"I think Portugal is the most advanced in globalization. Here we can't live without IDcards.
Since the begining of the XX Century we have IDCard with our finger print...
How can we use our money to buy only in choosed places if we can't anymore donate things or work for free?
We live against one onother. To complet their work they put in Lisbon a muslim who ask the time and them attacks you with a knife in your belly. Already killed someone.
It reminds me of the crazy secretly engeneered to kill people in the rural US that starts shooting in schools after to be properly activated by the secret services......They, in banks can invent infinit money, or credit, just typing it in their computers!

Since the last year there is an invasion of chinese slaves with a franchizing from their governement. They buy all small shops and restaurants to sell there everything with dumping prices besides poisonous perfums or food.
Now only 10 % shops in Lisbon survived. But those owners are expecting to sell them to those chinese. They pay very well to get the shops. They pay no taxes. They do familiar economy. Portuguese are not allowed.
The taxes are for the pt people. They are very high, and drains all liquidity...... the euro created an inflation of 600% since it's begining, but they don't say so, nobody notices it (even if they complain: but with this euro the money desapears!) because the media are all controled, the banks pay only to build houses that will stay just for 30/40 years (the time of the mortage...) everybody are loosing their jobs but in a way they divide the workers so they don't fight anymore.
One minister already said only criminals will be using Cash: banknotes or coins...
They call "desbureaucratizaton" their effort to put everybody with the mark of the beast: the barcode or the chip.
The crise will be for ever.
Until only elite and the 5% of few needed slaves resist.
They don't lent money to buy land. (They ridicularize surviving agriculture.) Only to buy flats or so.
But Malls everywhere destroyed the comerce and jobs inside the towns.
In tv the mindwashing is at their best: News full of horror, after the "big brother" for commun people they have done it for celebrities.
Now there is another even worst. Where a woman named Julia Pinheiro banalizes all violence and torture.
It is a camp for celebrities but in a military way of life. Yesterday one said to the winner of the Celebrities Farm:
--"Welcome to Hell!"
They destroy the dignity of everyone, banalize violence and torture; but most people thing that is only other stupid tv fashion.

The message is:
---If those role models accepted to be tortured and loose their dignity who the hell do you think you are trying to keep yours?!

For the last 2 years they are detroying even the agriculture: no rain (haarp?) and lots of taxes.
Fires in all forests made by small planes droping parachutes with firing stuff.
All governements since 1974 only have done mistakes for us. But not for themselves...
We in Europe we are the most druged people by doctors; with downers.
Most of the population pie in their pants. Lots of aluminium in water. Fluor in toothpaste. Aspartame everywere. And so on.
Never heard nothing wrong about vaccines in tha media since ever.
We have no law to oblige the vaccination but no kids are allowed to go to school without it. I've been pursecuted by the doctor of my area until I vaccinated them. Even if I used homeopatic remedies to avoid the moutain of side effects.
And everything is official in vaccinations.
We can not ask a friend doctor to declare he has vaccined the child.
And this total control of our imunity systems they can destroy only the population they want.

The doctors and nurses have very bad conditions of work: no time to rest and think.

Doctors, nurses and teachers usualy are good people. So dangerous to this cruel elite.
They are "discretement" destroying them.

My doctor has a court of humble clients asking for their dose of drugs.
He treats them as bad little kids. Last time I was there, he was abusing this humble crowd; telling them nasty things about the time they were arrived. Later or early.
I told him:
---"Please, doctor! Don't torture us!"
And he stoped and went back to his room.
Un old lady stared of me with an air of excuse: we need him for our medicines...
Typicall drug addicts problems.
And this is a nice guy... the others are much more arrogant.

One day I will tell you what they have done with sexual abused children in the main children Hospital in Lisbon. They just avoid to see any bruises or hurts in children. Much more confortable. And if someone sees, so he will have problems later. The problem comes from the top.
But here the laws protects the abusers not the children.
Children doesn't make laws.

This year they are pursecuting the teachers.
Lots of them, even before where having psichiatric problems.
This year they decided to make them the scapegoat to the schools faillure.

People suicide everyday in the metro of Lisbon, or in trains the from Estoril, Sintra,etc. They are stoping all time to clean the rails.
But they don't write it in newspapers not to give bad ideas... They tryed to do it with fires in forests too.
Not in the media so it doesn't exists.
Now the pandemia of avian flu they are preparing to close everybody in the buldings if there is one only ill person inside. It will kill 1/3 of the pt population of course...

The publicity, in mass media for the last year, is convincing people to have, at home and cars, gadgets to parfum them with very toxic sintetics. They call "Ambience deodorants" to this poisonous things. And the poors do what they see in tv. The rich people uses 100% natural oil for it. And only the rich can afford the price of ecological food.
The poors eat the last fashion in tv...
Fashion is being used to destroy the slaves for the elite.
It's prooved The "deodorizantes de ambiente" causes carcer.
Besides they destroy very quickly the imunitary system. But this nobody says.
I had already 3 flu just after to visit people who use it. Now I ask taxis not with this stuff and tell people to put those miserable things inside a plastic bag while I'm visiting them.
Imagine during the pandemia with the people closed in those huge buildings with ills and this toxic air, food and water they provide.

Ils sont en train de gazer toute la population et avec un virus... Discret et efficient pour eliminer l'exces populationel.

Here the money is no longer ciculating: with so much taxes (not for the huge supermarkets and malls, of course!) and the housebills going up all time...
They just complain "the euro desapears so fast!"

6:37 da tarde  
Blogger acja disse...

Perfeito.A informação e a verdade são parte integrante da governação.Portugal e a Europa hoje são governados por uma verdade q condena seu passado.Mas os fatos não mentem, são ocultados e manipulados , mas não mentem.Um dia a verdade apareçe.

8:50 da manhã  
Blogger acja disse...

Portugal têm de se voltar a si e aos seus valores.Portugal , sempre.Salazar, sempre!

8:56 da manhã  
Blogger MKW Industries disse...

I was looking for some AutoCAD training and found this new site for
autocad training along with your site. Have you seen this one yet?

6:25 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Now you could find Classes for a multitude of subjects on your area , like autocad clasess and they could be found by visiting autocad clasess

9:55 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Looking for information and found it at this great site... »

3:50 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Looking for information and found it at this great site... »

12:21 da manhã  
Anonymous average auto insurance disse...

Everyday is a new challenge and adventure. Incredibly interesting..

6:55 da manhã  
Anonymous shimanomountainbike.com disse...

Take chances and move forward to achieving something huge in life..

8:07 da manhã  
Anonymous firexsmokealarms.net disse...

Change some change if the current situation is not working well as intended.

7:55 da manhã  
Anonymous symptomsofleakygutsyndrome.net disse...

Take chances and see what works well for you.

6:18 da manhã  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial