domingo, dezembro 18, 2005

Os libertadores

No debate entre Putin e Bush, sobre a II Guerra Mundial, Putin tinha a tarefa mais difícil, defender o papel da Rússia na “Grande guerra patriótica”; o presidente Russo declarou:”O nosso povo não só defendeu a sua pátria mas libertou 11 países europeus”.

Esses países seriam, presumivelmente, a Lituânia, a Letónia, a Estónia, a Polónia, a Alemanha Oriental, a Checoslováquia, a Hungria, a Roménia, a Bulgária, a Jugoslávia e a Finlândia.

Para saber se a Rússia libertou realmente essas terras poderíamos interrogar os filhos e filhas da geração que sobreviveu à libertação por um exército vermelho que pilhou, violou e matou, na sua investida por essa Europa. Na Floresta de Katyn esse exército erradicou os verdadeiros heróis que lutaram para manter o carácter nacional e cristão dos seus países.

Para Bush estas nações não foram libertadas.” Enquanto celebramos a vitória de há 6 décadas, temos presente um paradoxo”, referiu:

"Para grande parte da Europa central e de leste a vitória trouxe o punho de ferro de outro império. O dia da vitória marcou o fim do fascismo mas não acabou com a opressão. O acordo de Yalta seguiu a tradição injusta de Munique e do Pacto Molotov-Ribbentrop. Mais uma vez, quando governos poderosos negociaram, a liberdade de nações pequenas foi de certo modo descartável… O cativeiro de milhões na Europa Oriental e Central será lembrado como um dos grandes erros da história"

Bush revelou a verdade terrível sobre o que realmente triunfou na II Guerra Mundial a Este do Elbe. E não foi a liberdade. Foi Estaline, o tirano mais odioso do século. Onde Hitler matou milhões, Estaline, Mao, Ho Chi Minh, Pol Pot e Castro mataram dezenas de milhões.

O leninismo foi a Peste Negra do Século XX.

As verdades corajosamente declaradas por Bush em Riga, Letónia, levantam questões que permaneceram por demasiado tempo escondidas, enterradas ou ignoradas.

Se o Acordo de Yalta foi uma traição às pequenas nações tão imoral quanto o pacto Molotov-Ribbentrop, por que veneramos Winston Churchill e Franklin Delano Roosevelt? Em Yalta, este par secretamente cedeu estas nações a Estaline ,assinando uma cínica “ Declaração da Europa libertada” que foi uma mentira monstruosa.

Já que Roosevelt e Churchill entregaram esses povos a um inferno estalinista liderado por um monstro que eles alternadamente e afectuosamente chamavam “Uncle Joe” e “ Old Bear”, porque não estão nos livros de história ao lado de Neville Chamberlain, que vendeu os checos em Munique ao dar os Sudetos à Alemanha? Pelo menos os alemães dos Sudetos queriam ficar com a Alemanha. Nenhum dos povos cristãos da Europa aceitou alguma vez os seus captores soviéticos ou traidores estalinistas.

Outras questões se colocam. Se a Inglaterra aguentou seis anos de guerra e milhares de mortos numa guerra que ela declarou para defender a liberdade polaca, e se a liberdade da Polónia acabou perdida para o comunismo, como podemos dizer que a Inglaterra ganhou a guerra?

Se o Ocidente entrou na guerra para impedir Hitler de dominar a Europa Oriental e Central, e essas regiões acabaram debaixo de uma tirania ainda mais odiosa, como Bush sugere, será que a civilização ocidental ganhou a guerra?

Em 1938 Churchill queria que a Inglaterra lutasse pela Checoslováquia. Chamberlain recusou. Em 1939, Churchill queria que a Inglaterra lutasse pela Polónia. Chamberlain concordou. No fim da guerra Churchill conseguiu o que queria, a Checoslováquia e a Polónia estavam inseridas no império de Estaline.

Como podem então os homens proclamar Churchill o “Homem do Século”?

É verdade, as tropas americanas e britânicas libertaram a França, a Holanda e a Bélgica da ocupação nazi. Mas antes que a Grã-bretanha declarasse guerra à Alemanha, a França, a Holanda e a Bélgica não precisavam ser libertadas. Elas eram livres. Foram apenas invadidas e ocupadas depois que Grã-bretanha e França declararam guerra à Alemanha_ em nome da Polónia.

Quando consideramos as perdas sofridas pela Grã-bretanha e França — centenas de milhares de mortos, carência, falência, o fim dos impérios — terá valido a pena a II Guerra Mundial, considerando que a Polónia e todos as outras nações a Este do Elbe estavam de qualquer forma perdidas?

Se o objectivo do Ocidente era a destruição da Alemanha nazi, foi um sucesso “retumbante”. Mas porquê destruir Hitler? Se para "libertar" os alemães, não valeu a pena. Afinal, os alemães votaram em Hitler.

Se foi para manter Hitler fora da Europa Ocidental , porquê declarar-lhe guerra e atraí-lo para a Europa Ocidental? Se foi para manter Hitler fora da Europa Central e Oriental então, inevitavelmente, Estaline acabaria por herdar essa região da Europa.

Terá isso valido 50 milhões de mortos?

A guerra que a Grã-bretanha e a França declararam para defender a liberdade da Polónia acabou por fazer da Polónia e de toda a Europa Oriental e Central uma zona segura para o estalinismo. E nas festividades em Moscovo, eram os americanos e os russos que estavam na frente e no centro, sorrindo_ não os britânicos e os franceses. Compreensivelmente.


Patrick J. Buchanan

26 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

Questões pertinentes, mas de certeza que o Buiça não tarda aí com as respostas.

NC

7:43 da tarde  
Anonymous Anjo Infernal disse...

Grande visão. Vou copiar para o Word.
Outra coisa que não referiu no texto,Grã-Bretanha e França tinham um pacto que quando a Polónia fosse invadida,atacariam esse país. Alamanha invadiu e foi atacada,mas então e a União Soviética? Invadiu na mesma altura.
Sistema...

10:26 da tarde  
Blogger alex disse...

"... mas de certeza que o Buiça não tarda aí com as respostas."

Não sou nenhum oráculo.
;)

"... libertou 11 países europeus”."

O Czar Putin é um excelente humorista.

"Para Bush estas nações não foram libertadas.”

Go, Go W.Bush!

"...O acordo de Yalta seguiu a tradição injusta de Munique e do Pacto Molotov-Ribbentrop."

Ora esta!
O Bush anda a aprender umas coisas.
E nós que pensávamos que ele nem sabia o que era Molotov em forma de pudim...quanto mais quem foi o outro e, ainda por cima, o Ribbentrop.
Bush a caminho da intelectualidade.


"... a liberdade de nações pequenas foi de certo modo descartável… "

Como sempre foi ao longo da História.

"O leninismo foi a Peste Negra do Século XX."

Certíssimo.

"As verdades corajosamente declaradas por Bush..."

Ah ganda Bush! É assim mesmo!
MARRETA nesses comunas!

"...que vendeu os checos em Munique ao dar os Sudetos à Alemanha?"

Foi mais uma doação.
O Chamberlain, artolas como era, jamais receberia um tostão do pintor.

"Bush revelou a verdade terrível..."
Neste momento as massas, em descabelada histeria, aplaudem frenéticamente o actual presidente dos EUA. Mais berros que num concerto dos Beatles.

(Porra. O que é que o Pat terá bebido?! Ou será que o George lhe vai arranjar emprego na actual Administração)

"Se a Inglaterra aguentou seis anos de guerra e milhares de mortos..."

Aguentou e de que maneira.
Absolutamente intrépidos.
A Batalha de Inglaterra foi de rebimb'ó malho.
O Goering e a Luftwaffe que o digam.

"Como podem então os homens proclamar Churchill o “Homem do Século”?"

Não podem.
A condecorar algum inglês, esse teria que ser o General Montgomery, que fez os ingleses derrotarem os alemães de Rommel em El-Alamein. Nunca o Winston.
Ainda por cima, no final da guerra, perdeu estrondosamente as eleições em Inglaterra.

"Se o objectivo do Ocidente era a destruição da Alemanha nazi..."

No princípio o objectivo não era tão radical.
A partir de 1941 passou a ser.

"Afinal, os alemães votaram em Hitler."

Não é correcto (é até desonesto) invocar aqui o critério da 'legitimidade Democrática'.
Se é verdade que Hitler foi de facto eleito, não menos verídico é o facto de que a Democracia cessou completamente no momento em que subiu ao poder e nunca mais os alemães puderam ter outro partido senão o NSDAP.
(e se tivessem estavam fodidos, tal como na URSS estava quem não fosse do PCUS).


Em suma, o sr.Bush disse umas verdades nas 'trombas' dos Russos.
E é muito bem feita!

(este e outros textos de Buchanan, no quadro interno da política americana, para quem saiba ler nas entrelinhas, só provam o que penso dele. Para bom entendedor...)

3:42 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

O gozo que me dá sempre que num quarto de banho público vejo as iniciais W.C.!

Legionário

1:47 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Este é mais um post excelente do Rebatet.

Mas o anjo infernal também ajudou!
Completando com uma evidência (com óbvias consequências) que nem o próprio Buchanan teve a coragem de dizer!

Quanto ao Buiça não disse mais do que o que já se previa! (Afinal tem que defender a sua religião e os "seus queridos").

O Montgomery "Burns" tb não foi nenhum grande herói, apenas um oportunista que se aproveitou de um momento de fraqueza de um adversário que sempre tinha estado indubitavelmente em menor numero e que mesmo assim fez aos "bifinhos" aquilo que eles mereciam!

É mais do que óbvio que existia um ódio latente contra a Alemanha re-erguida! E portanto os mesmos que financiaram a "revolução bolchevista" mostraram que preferiam o bolchevismo, e portanto deram-lhe cobertura!

Isto faz lembrar o grande Só-ares
que agora se diz o "salvdor de portugal" mas que no tempo das guerras coloniais apelou a "em caso de dúvidas disparar sobre os brancos (subentendido: os portugueses)".

Quanto aos problemas com o sr. Putin começaram quando este pôs "na cadeia" os usurpadores (oligarcas) que se apropriaram do petróleo russo (um recurso natural de todo um pais) e portanto contrariaram os interesses dos neo-con(a)s, que pensam que são donos do mundo!


O sr. Bush veio mais uma vez ler um discurso escrito por outros, desta vez até consuguiu dizer uma verdade (para variar) mas veio quase 70 anos demasiado tarde.

3:05 da tarde  
Blogger JoaoViriato disse...

Grande texto, sim senhor (como habitualmente).

«A condecorar algum inglês, esse teria que ser o General Montgomery, que fez os ingleses derrotarem os alemães de Rommel em El-Alamein. Nunca o Winston.
Ainda por cima, no final da guerra, perdeu estrondosamente as eleições em Inglaterra.»

É preciso ter descaramento e má-fé! A "genialidade" de Montgomery só se deveu à debilidade de Rommel (que, entre outras coisas, tinha os víveres cortados por parte da administração central do Reich). A condecorar alguém por feitos militares, teriam que ser os militares alemães (e eu sou insuspeito ao dizer isto, já que não sou de forma alguma nacional-socialista), que inauguraram uma nova era na arte da guerra. Enquanto os franceses esperavam entrincheirados na linha Maginot (o orgulho do hexágono), os alemães contornaram o problema pela Holanda e Bélgica (e pelo caminho ainda tomaram Eben Emael - a fortaleza "intransponível" - e mais alguns países). Tudo isto enquanto os Churchill coçava a "micose"!
Voltando ao velho caquético do Montgomery e à sua alegada "genialidade", basta ver o descalabro da operação "Marketgarden" (na Holanda), que teria como objectivo terminar com a guerra pelo Natal. Sure...

Na minha húmilde opinião, o único erro do III Reich foi a operação Barbarossa. Ignoraram as partidas da História e quiseram dar um passo maior que a perna. Não fosse isso e hoje, muito provavelmente, andaríamos todos a ler "Mein Kampf" na escola (o que, para dizer a verdade, é muito mais interessante que o Saramago)...

7:21 da tarde  
Blogger alex disse...

"Afinal tem que defender a sua religião..."

Não posso defender aquilo que não tenho.
Como não sou sequer crente, não sou seguidor de NENHUMA religião.
Compreendeu agora'
Espero que sim.

"...os "seus queridos""

Alto e pára o baile!
Não tenho 'queridos'!
Só tenho 'queridas'.
Os 'queridos' deixo p'ró anónimo.
:o)


" E portanto os mesmos que financiaram a "revolução bolchevista""

O anónimo é um brincalhão.
Mas acho muito bem que se fale da besta do Kaiser Guilherme II e seu (des)governo.
Os tais que entregaram vários milhões de marcos a um revolucionário russo chamado Valdimir Ilitch Ulianov para que este regressasse à Rússia e derrubasse o governo 'Menchevik' de Alexander Kerensky e retirasse a Rússia da guerra, libertando assim a Alemanha da frente oriental.
Tal veio a suceder no Tratado de Brest-Litovsky.

"... os alemães contornaram o problema pela Holanda e Bélgica (e pelo caminho ainda tomaram Eben Emael - a fortaleza "intransponível" - e mais alguns países)"

É preciso descaramento e má fé!
Pois...e esses países que se fodessem.
Lindos nacionalistas sim senhor!
Ou deverei dizer antes....Imperialistas?!
(se fossem os americanos a inventar tal 'arte' o que o Viriato não diria.....mas assim....)

O Viriato tem razão em relação ao Erwin Rommel que foi, sem dúvida, um grande militar e que se apercebeu,logo em Junho de 1944, que tudo estava (mais cedo ou mais tarde) perdido pois era completamente impossível competir com a capacidade logística dos EUA.

É de notar como o Viriato ignora olímpicamente a Batalha de Inglaterra e a tremenda derrota inflingida à Luftwaffe pela Royal Air Force.
O Viriato só fala do que lhe 'convem'.
(eu não me importo de falar das tremendas derrotas dos Aliados, como em Dunquerque)

"Não fosse isso e hoje, muito provavelmente, andaríamos todos a ler "Mein Kampf" na escola..."

Santa ingenuidade!
Está tão enganadinho....
Mesmo que a História tivesse sido diferente, os regimes regimes baseados numa personalidade não sobrevivem muito à morte desta.
A todo-poderosa URSS ganhou a guerra e olhe o que lhe aconteceu....

A Alemanha dos nosso dias é um país muito aprazível e os alemães são umas jóias de pessoas..
Na nova e moderníssima Berlim reunificada pouco resta da era ente 1914 e 1989.
Uns pedacinhos de um velho muro...e um certo Kindergarten onde as crianças brincam...alegremente.
Como dizia o 'outro': É a vida!
;)

10:02 da tarde  
Blogger Rodrigo Nunes disse...

«Na minha húmilde opinião, o único erro do III Reich foi a operação Barbarossa. Ignoraram as partidas da História e quiseram dar um passo maior que a perna. Não fosse isso e hoje, muito provavelmente, andaríamos todos a ler "Mein Kampf" na escola (o que, para dizer a verdade, é muito mais interessante que o Saramago)... »

DITO!

«Santa ingenuidade!
Está tão enganadinho....
Mesmo que a História tivesse sido diferente, os regimes regimes baseados numa personalidade não sobrevivem muito à morte desta.
A todo-poderosa URSS ganhou a guerra e olhe o que lhe aconteceu....»

O Nacional-socialismo poderia e deveria ter continuado para lá de qualquer personalidade, as contigências da guerra impediram-no, paciência...

«A Alemanha dos nosso dias é um país muito aprazível e os alemães são umas jóias de pessoas..
Na nova e moderníssima Berlim reunificada pouco resta da era ente 1914 e 1989.
Uns pedacinhos de um velho muro...e um certo Kindergarten onde as crianças brincam...alegremente.
Como dizia o 'outro': É a vida!»

Tenha calma Nelson, não há mal que sempre dure :) A Europa reerguer-se-á ou acabará, de uma forma ou outra o que conta é estar do lado justo( aquele em que acreditamos), a história encarregar-se-á de fazer o resto:)

Magna Europa est patria nostra !

10:14 da tarde  
Blogger O Sentinela disse...

Continuem com a discussão, que eu estou a gostar. :)
Não há dúvida que, são nestas alturas, que eu e muita gente pensa que deveríamos já ter aprendido com a História.
Revelem todos os factos, depois cada um entende o que fazer com a informação, ou contra-informação. O que é muito importante nisto tudo, é o facto de se apresentarem todas as versões possíveis e imagináveis, do quer que seja, e deixem o "povo" interpretar.

O "Putin" é o "Putin" e o "Bush" é o "Bush".

Num punho duro e massiço.
Eles são apenas o que eles são
Nada mais do que isso.
Capitalistas sem coração.

Mas enquanto atiram "bombas".
Acontecem os inocentes danos colaterais.
Não sei a quem mais assombras.
Assim ferem os seus próprios ideiais.

10:40 da tarde  
Blogger JoaoViriato disse...

"... os alemães contornaram o problema pela Holanda e Bélgica (e pelo caminho ainda tomaram Eben Emael - a fortaleza "intransponível" - e mais alguns países)"

É preciso descaramento e má fé!
Pois...e esses países que se fodessem.
Lindos nacionalistas sim senhor!
Ou deverei dizer antes....Imperialistas?!
(se fossem os americanos a inventar tal 'arte' o que o Viriato não diria.....mas assim....)

O Viriato tem razão em relação ao Erwin Rommel que foi, sem dúvida, um grande militar e que se apercebeu,logo em Junho de 1944, que tudo estava (mais cedo ou mais tarde) perdido pois era completamente impossível competir com a capacidade logística dos EUA.

É de notar como o Viriato ignora olímpicamente a Batalha de Inglaterra e a tremenda derrota inflingida à Luftwaffe pela Royal Air Force.
O Viriato só fala do que lhe 'convem'.
(eu não me importo de falar das tremendas derrotas dos Aliados, como em Dunquerque)


Só falo do que me convém? Para mencionar todos os episódios importantes da II Grande Guerra, estava toda a noite aqui a escrever. Estávamos a falar da impressionante máquina de guerra nacional-socialista e eu dei a minha opinião! É claro que admiro a capacidade de resistência do povo inglês e a reconquista soviética, mas nesta guerra o mais importante foi o avanço estratégico, tecnológico e científico da guerra por parte da Alemanha!
Aliás, foi o contributo dos "malvados nazis", "olimpicamente ignorado" por todos, que permitiu alguns dos muitos avanços da humanidade no século XX. Não fosse o III Reich e ainda hoje o Homem não tinha pisado a Lua. E não é nenhuma barbaridade, não senhor. Depois da Guerra, os EUA serviram-se de Werner von Braun, da sua equipa e do resto das bombas V2 para desenvolver o programa espacial americano. E agora o Nelson vai dizer-me que isto é tudo revisionismo histórico. Revisionismo é o que anda a fazer esse senhor Putin, que a coberto dos mesmos critérios que colocam históriadores como Irving na prisão, devia ser encarcerado num gulag e aí provar a tal "libertação soviética"!

E voltando à guerra, não ignoro a batalha de Inglaterra, mas fazê-la equivaler a Dunquerque é (de novo) má-fé. Dunquerque não pode sequer ser considerada uma batalha, foi uma debandada mal organizada que custou a vida a muitos soldados aliados. Aliás, em território francês, julgo que não houve nada que possa ser comparado a uma batalha. O plano de Guderian era tão astuto, que os panzers alemães já estavam em Paris ainda antes do desconhecido Da Gaulle ligar os seus blindados Citröen. Blitzkrieg, sabe o que foi? Foi sempre a abrir!

O Nélson é que só fala do que lhe convém. Tem medo de descer de grau se escrever a verdade sobre a máquina de guerra do III Reich?

11:06 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

O Guilherme II tentou parar os Russos da forma que pode.
De qualquer forma o kerensky (que também era comuna), por manter a guerra contra a alemanha já estava na merda, pois a russia estava de rastos, portanto...!
Não chegou a haver uma grande descontinuidade pois uma boa parte dos bolcheviques tinham sido partidários dos mencheviques (a merda era a mesma o nome é que muda).

O G. II não foi de forma alguma o grande financiador do lixo, apenas ajudou a mudar o "porco" que "ocupava o chiqueiro"!
O maior dinheiro veio do outro lado do atlântico.
Entre kerensky, lenin, trotsky ou stalin qual deles a merda maior!?

Engraçado, esse Sr. (kerensky) escapou várias vezes aos seus "opositores" bolchevistas e acabou na américa (mas que sorte que teve...!!!).




"É de notar como o Viriato ignora olímpicamente a Batalha de Inglaterra e a tremenda derrota inflingida à Luftwaffe pela Royal Air Force."

Olhe que não! Olhe que não!
A inglaterra tinha uma grande vantagem devido a uma invenção de um escoçês (na realidade um escocês! Não não, não era um inglês, deve ter sido dificil para um povo arrogante com pretenções de mandar no mundo, e que ainda não as perdeu...)- o radar! Assim até os tolos vencem!

Seja como for meu caro, os ingleses só se safaram com a ajuda industrial dos americanos, caso contrário eram mesmo invadidos! Os russos de ihual forma! Nenhum contra ataque eficaz teria sido possivel sem os americanos! E eles claro, cá vieram! Mas garanto-lhe que não foi só por altruísmo, ou para "libertar" a europa como eles lhe chamam! Nós vemos bem como a europa é e foi "livre"!

11:42 da tarde  
Blogger alex disse...

"A Europa reerguer-se-á..."

De acordo.
Espero bem que sim.
Eu e o Rodrigo/Rebatet :) divergimos é nas soluções e nos caminhos para isso.
(espero que não esteja a sugerir que a Alemanha não é um país aprazível, que os alemães não são uns porreiraços e que a nova Berlim não é fantástica....mau, mau) :)

" Não fosse o III Reich e ainda hoje o Homem não tinha pisado a Lua. E não é nenhuma barbaridade, não senhor. Depois da Guerra, os EUA serviram-se de Werner von Braun, da sua equipa e do resto das bombas V2 para desenvolver o programa espacial americano."

Tem toda a razão.
Nem nunca ninguem me viu dizer o oposto.
É que, ao contrário de alguns 'revisionistas' eu não nego o óbvio.

".. que permitiu alguns dos muitos avanços da humanidade no século XX."

Certíssimo novamente.
Nunca me viu defender o oposto.
No plano tecnológico-científico o NS era '5 Estrelas'.
(a URSS era a modos que 4 Estrelas...mas mesmo assim muito boa. O Koroliov,q lutou com tremendas dificuldades, é um cientista injustamente olvidado)

"Revisionismo é o que anda a fazer esse senhor Putin, que a coberto dos mesmos critérios que colocam históriadores como Irving na prisão, devia ser encarcerado num gulag e aí provar a tal "libertação soviética"!"

Tem TODA a razão.
Mas o Companheiro-Camarada-Presidente-Secretário-Geral W.Bush já o pôs em 'sentido'.

"...julgo que não houve nada que possa ser comparado a uma batalha."

E julga bem.

"...os seus blindados Citröen..."

TEM ALGUMA COISA CONTRA A CITROËN???????
(GRRRRRRRRRR)

Espero bem que não.(falar mal do Bush e de Israel, ainda vá que não vá....agora falar mal da CITROËN é que não posso admitir de modo algum)
Ai, ai, ai, ai, ai...

"O Nélson é que só fala do que lhe convém."

Olhe que não, olhe que não!

"Tem medo de descer de grau se escrever a verdade sobre a máquina de guerra do III Reich?"

Ó homem....é claro que não.
A máquina de guerra do III Reich* era absolutamente fabulosa, bem treinada e bem equipada.
O problema é que a dos EUA não lhe ficava nada atrás e....era muito mais numerosa.


*ao menos serviu o conflito para exemplificar porque é que um Cabo não pode (e não deve) dar ordens a Generais.


:o)

11:51 da tarde  
Blogger alex disse...

"...os ingleses só se safaram com a ajuda industrial dos americanos, caso contrário eram mesmo invadidos! Os russos de ihual forma! Nenhum contra ataque eficaz teria sido possivel sem os americanos!"

Uffa!
Até que enfim alguem reconhece o óbvio.

11:55 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Só que os americanos NÃO são os salvadores do mundo, como diz o Buiça!
Muito pelo contrário, no final da 2ª guerrra não ficaram os "libertadores", mas apenas outros criminosos!
Libertação? Mas qual libertação?
Nem no ocidente quanto mais a leste! Nós vemos bem o que "a libertação" trouxe à europa: a "liberdade" de opinião e a imigração!


Os americanos andam-se a meter em muitos sarilhhos ao mesmo tempo! Estão cheios de dívidas à china!
São uns autenticos suicidas! Quem os governa está-se "marimbando" para o povo americano, andam é com fantasias bíblicas e obcessões perigosas!

Não vêm o perigo onde ele está e continuam a falar de um terrorismo que dificilmente existiria sem a sua importante contribuição! (devo aqui lembra ao Sr. Buiça quem andou a armar o irão e os ditos terroristas do afeganistão)

A imigração é um perigo para já muito maior do que o dito terrorismo!

Mas não, continuam convencidos (ou querem-nos convencer) da sua "superioridade" "democrática" cultural e tecnológica (são realmente lunáticos) que nunca existiu, e se existiu temporariamente (e só a tecnológica) foi à conta do sugar de "cerebros" a nível mundial.
Já nem mesmo com especulações (roubos) financeiras "legais" se conseguem manter!

Estão a apostar tudo em israel e vâo-se foder! Realmente parece que israel é mais importante que o próprio povo americano!

Eu até compreendia que o fizessem desde que os judeus fossem todos para lá! Mas isso não aconteceu nem vai acontecer! Os judeus não querem uma pátria (que ingenuidade), querem é dinheiro (sempre foi assim e parece que nunca mudará), só os judeus pelintras e os que estão na merda nos paises em que vivem (ex: ex-URSS) é que querem ir para israel (ou para a alemanha que é mais rica e onde não se pode por lei "libertadora" dizer a verdade sobre as suas "acções coordenadas de caridade e beneficiência")!

Olha quem! Então os judeus de NY e de Bruxelas! Querem é ocupar cargos como o sr. Wolfovitz (presidente do banco mundial) e controlar a OTAN (uma organização cada vez menos útil aos interesses europeus).

Mas atenção, não sejamos injustos! Existe muito velhaco e cínico para além dos judeus (e nem todos o serão- admito que os haja bem intensionados em israel!)! Alias conta-se a história de um tal de Jesus Cristo (que dizem ser de origem judia) e que acabou todo fodido porque não seguiu as leis "kosher" (imperdoavel)!
A velhacaria e o cínismo ataca até nos melhores espécimes! Que não se exagere, alguem até pode pensar que eles são realmente uns génios do mal (como eles próprios nos querem fazer crer na sua "inigualavel" história!)

12:49 da tarde  
Blogger O Sentinela disse...

Ó anonymous, essa agora foi forte...
Eu continuo a pensar que o III Reich só perdeu pelo número de homens disponívieis para o combate, cientistas tinham muitos, as mulheres trabalhavam que nem doidas nas fábricas (de guerra e não só) e a moral e a ideologia Nacional-Socialista estava profundamente enraízada em todos os sectores da sociedade, estava tudo no bom caminho, mas... Os Russos, Ingleses, Franceses, Americanos e muitos outros das suas colónias, eram demais...
Aqui fica uma pergunta, e gostava de ouvir a vossa opinião, porque é que a Alemanha "virou-se" contra a Rússia? Os russos nem sequer estavam "virados" para a alemanha, no princípio. Tudo só por causa da polónia?

4:37 da tarde  
Anonymous JM disse...

Apenas desejo fazer uma ligeira correcção histórica, nomeadamente ao que o Viriato escreveu sobre a invasão da URSS pelo III Reich.

De acordo com as últimas investigações (até onde podem ir, ou seja, até onde os russos, americanos, ingleses, etc, deixam ir a fim de não permitirem que se saiba o que não se deveria saber jamais...), a Alemnha viu-se como que forçada a lançar uma ofensiva sobre a Rússia exactamente pelo facto desta estar a preparar o mesmo mas em sentido inverso. A Editora Inquérito tem um livro publicado sobre este tema cujo título é, se não me engano, "O pacto germano-soviético". Na obra está patente que a ofensiva sobre a URSS foi uma "guerra preventiva", designação entretanto recuperada pelos norte-americanos para atacarem o Iraque, etc.

Saúdo o meu camarada Rodrigo pela utilização da máxima Magna Europa est patria Nostra! a qual também é minha.

6:48 da tarde  
Blogger PlanetaTerra disse...

///

--- Há algumas Décadas a esta parte que o 'Nacionalismo à Le Pen' anda a lutar contra... 'MOINHOS DE VENTO'!!!

--- Só não vê quem não quer: a MAIORIA dos Europeus não está interessada em construir uma Civilização... mas sim... interessada na Curtição: 'Facturar e Curtir'---> é a filosofia 'LIVE NOW' -->> "a vida são dois dias" -> "a vida é para Curtir" -> "quem vier a seguir que feche a porta".

--- Como é óbvio, só existe um caminho a seguir: o SEPARATISMO!!!
[ http://divisao--50--50.blogspot.com/ ]

///

8:01 da tarde  
Blogger alex disse...

"... a Alemnha viu-se como que forçada a lançar uma ofensiva sobre a Rússia exactamente pelo facto desta estar a preparar o mesmo mas em sentido inverso."

É uma rematada falsidade.
E pode-se confirmar facilmente essa falsidade pelo facto de a URSS ter sido completamente apanhada de 'calças na mão', com o exército largamente desmobilizado...nem sequer as posições defensivas se encontravam convenientemente guarnecidas.
A provar isto mesmo está a quase total ausência de resistência da URSS nos primeiros dias de combate e as estrondosas derrotas que as arcaicas e recuadas forças soviéticas sofreram mum primeiro tempo, permitindo um rapidíssimo avanço alemão quase até Moscovo (só foram detidos perto de Smolensk) e por todo o restante território ocidental da URSS.
Tudo isto contraria a tese de que a URSS estaria a preparar uma ofensiva.
Um exército apanhado de 'calças na mão e extraordináriamente mal equipado nunca poderia estar a preparar uma tal de 'invasão'...'contra-ofensiva'...ou lá o que seja.

É por estas e por outras que acho mal (muito mal mesmo) que tentem 'silenciar' os revisionistas.
Afinal de contas, precisamos de nos divertir.
E quanto mais os deixassem falar livremente, maior seria o divertimento.

9:49 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

"Um exército apanhado de 'calças na mão e extraordináriamente mal equipado nunca poderia estar a preparar uma tal de 'invasão'...'contra-ofensiva'...ou lá o que seja."

Se calhar foi por estar a preparar a tal ofensiva que desguarneceu a defesa...

NC

1:23 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

A ofensiva da urss já à muito estava em marcha! Não era de caracter essencialmente militar, mas de desestabilização! A trampa comuna que nós ja bem conhecemos!

A alemanha VOTOU e escolheu democraticamente (e muito bem, aliás nem tinha alternativa!), para evitar que a escumalha bolchevista tomasse o poder! Infelizmente as coisas acabaram mal. Foi o ocidente cristão e indo-europeu (nem sempre o mesmo! Mas que muitas vezes se indentificaram e identificam entre si) contra o bolchevismo expanssionista mas essencialmente cobarde (nós conhecemos bem a espécie)!

"-Quem é pior? Quem espeta a faca ou quem a leva a espetar?"

Mesmo assim não há qualquer prova de que a urss não estivesse a preparar-se para atacar militarmente! O problema é que não estavam à espera de serem atacados naquela altura! Estavam à espera que a alemanha invadisse a inglaterra!

E contrariamente ao que o Buiça diz, a urss NUNCA foi tecnologicamente avançada! A única coisa que conseguiu desenvolver foi mísseis e armas nucleares.
Alias, o próprio segredo da bomba atómica foi oferecido à urss por um casal americano(?),- os rosenberg- que já nessa altura tinham feito melhor se antes tivesse era emigrado para a pátria deles (israel)! Pelo menos não eram executados por alta traição!

O arsenal convencional russo é inferior ao do ocidente! É é maior!

Não é necessário estar a preparar uma guerra directa para se estar em guerra! Senão vejamos o que está a acontecer neste momento com a invasão da europa a que os imbecis "democratas" chamam "a imigração que a europa necessita"! Uma guerra muito mais eficaz que o terrorismo!

Os comentários do Buiça são esclarecedores das suas intenções!
O Buiça é daqueles que era aliado dos bolchevistas "libertadores". Interessante para quem diz o que diz dos comunas! Se ainda haviam dúvidas!...
Do mal o menos, pelo menos acha mal que tentem silenciar (sem aspas, pois não é figurativo mas apenas a verdade) os revisionistas! Pois arranjam-se sempre alguns "revisionistas" que podem dizer uns quantos disparates para desacreditar os que dizem a verdade!

O revisionismo é quanto a mim necessário, pois quem faz as acusações que foram feitas ao povo alemão (por exemplo, mas não só) têm mesmo é que as provar! E até agora "nipias", nada, nem cheiro! Provas? Onde?
Só se chamarem provas ás "testemunhas" coagidas a "testemunhar" a "verdade" (ou em alternativamente de serem fuziladas!).

9:22 da manhã  
Anonymous JM disse...

Buiça, talvez devesses ler os documentos do "outro lado" e não somente aqueles que o Tio Sam e Coª moldaram para construir a história a seu bel prazer.

Eu não mencionei este facto, a ofensiva alemã contra a URSS, como sendo um dado indiscutível e indesmentível, limitei-me a dar a conhecer (para aqueles que ainda não coneciam) uma outra versão dos factos, e até bem plausível.

Parece-me muito ingénuo da tua parte dizeres que é ridiculo o exército vermelho estar a preparar uma ofensiva, quando existem documentos que comprovam a mobilização e acantonamento de centenas de milhares de tropas nas fronteiras da Polónia e Eslováquia, uma ocupada pela Alemanha e outra aliada da mesma.
Acaso estacionaram ali para um pic-nic?

Por outro lado, acho realmente triste da tua parte dizeres que és favorável ao trabalho dos "revisionistas" (termo empregue pelos sionistas), porque assim fazem-te rir.

Apenas posso responder, com o bem velhinho ditado português, que o riso abunda na boca dos parvos!

5:57 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Coitado do Buiça.
Aqui, é o que se vê.
Lá para os lados de blogue dele vai um quebra pau do caraças, com o Buiça a ser acusado de "fascista" e, pasmem, de ser um terrível NAZI.


hihihihhihihi

2:10 da manhã  
Blogger O Sentinela disse...

Obrigado JM pela explicação, que por acaso era um assunto pendente para mim. Pois, ao ver tantas e variadas imagens e fotografias da 2ª Grande Guerra e quando abordavam o assunto Rússia-Alemanha, estas não correspondiam ao mesmo relatado pelos "meninos" que produziam essas "séries" ou fotografias.
Eu não consigo acreditar que, o regime Nacional-Socialista, com a cultura e conhecimento que tinham na altura, sabendo que vários "imperadores" caíram perante, não só os soldados, mas também às adversidades naturais da Rússia, iriam depois enveredar pelo mesmo caminho. Sempre tive a sensação que as coisas que eu estava a ver, não estavam "sincronizadas".

9:53 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

This is very interesting site... Get a prescription online for adderall 1987 cadillac fleetwood find results for prozac on info.com Florida marlins baseball team Office works stationery supplies bankstown http://www.toronto-home-security-companies.info Super heroine bondage antibiotics adipex http://www.tenuate-on-line.info/Adipex3.html Ritalin fachinformation Botox botchelism

12:59 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Best regards from NY! Vibrator foot massage neuropathy Adults webcams livecams Vinegar acne Low interest credit counseling high credit score approve Coast guard weather fax Cheap air flights cheap first class airfares bourgas Epinions mattresses realistic large dildos Grenada inkjet

9:40 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

This is very interesting site... Legends golf sc ambien sale Breast low breast augmentation

2:07 da manhã  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial