sábado, dezembro 03, 2005

O eixo do mal

Uma sondagem trazida a público em Abril deste ano na Noruega revelava que 67% dos jornalistas se considerava de esquerda. Nos EUA, um país onde, apesar de tudo, alguma direita vai ainda conseguindo ter alguma implementação nos “media” uma sondagem semelhante , levada a cabo pelo Pew Research Center, mostrou que 37% dos jornalistas se assumia de esquerda contra apenas 7% de direita. 57% dos interrogados afirmaram-se “moderados”.Em Portugal, um inquérito do mesmo género, patrocinado há algum tempo pela Fundação Calouste Gulbenkian, revelou que a maioria da classe jornalística assumia situar-se à esquerda. O cenário repete-se por todo o Ocidente, no norte da Europa, no sul como nos EUA. Não há aqui surpresa alguma, estes inquéritos mais não fazem que confirmar aquilo que qualquer pessoa atenta às tendências políticas na comunicação social já sabia, quanto muito, para alguns mais incautos, comprova apenas que o fenómeno não é exclusivamente nacional.

A importância da força que a esquerda detém na informação é óbvia e mais decisiva se torna na era dos “mass media” onde, cada vez mais, é a comunicação social, sobretudo a televisão, que define valores, estéticas, comportamentos. Controlar a informação significa moldar a sociedade , consequentemente, os países ocidentais são hoje o espelho das ideias que dominam essa informação, as ideias da esquerda.

Em Portugal o caso atinge, no entanto, contornos peculiares, por força da nossa história recente, da revolução de Abril, o que ela significou e a estrutura política que dela emergiu. Portugal é um país onde 2 partidos de índole marxista( BE e PCP) detêm quase 20% do eleitorado e onde os 2 partidos de poder( PS e PSD), que alternam sistematicamente no governo, pertencem à mesma tradição política, à mesma família alargada.

O caso dos partidos da esfera de poder em Portugal é paradigmático, o PS é um partido herdeiro do socialismo dito democrático e o PSD é um partido que, como o nome indica, se assume social-democrata. Uns e outros são herdeiros da tradição marxista reformista. É verdade que no PSD existem e sempre existiram forças consideradas liberais mas isso não invalida ou apaga a sua filiação social-democrata. Foi o seu líder mais carismático, Sá Carneiro, referência incontornável para todos os figurões da casa( muitas vezes mais por oportunismo que outra coisa) que afirmou ser o centro-esquerda o lugar do partido, ele sabia o que dizia. Trata-se de uma questão de coerência pois a social-democracia é uma “ideologia” que tem a sua origem em movimentos de inspiração marxista mas que, ao contrário do que sucedeu tradicionalmente com a maior parte das ideologias que daí derivaram, assumiu desde os primórdios uma abordagem reformista e não revolucionária da sociedade, na linha de autores como Eduard Bernstein.

O que separa o socialismo democrático da social-democracia é muito pouco, ambas as ideologias têm raízes comuns e a distinção entre elas é pouco clara, foi feita sobretudo pela História, pelo tempo. É precisamente em face da História que podemos dizer que a social-democracia evoluiu para uma maior aceitação do mercado. É geralmente a posição face ao papel do Estado que distingue hoje uma da outra, com os sociais-democratas evidenciando uma maior abertura ao sector privado, no entanto os valores culturais, sociais, a visão global do mundo, continua a ser em larga medida partilhada.

Paul Spicker, analisando as duas ideologias, afirma que, sendo ambas indiscutivelmente de esquerda, a distinção entre elas é difícil, assemelhando-se muito nos ideais, as duas diferenças que encontra para destrinçar o socialismo democrático da social-democracia referem-se às posições face ao binómio individualismo/colectivismo e face ao igualitarismo. Diz ele que a social-democracia é mais individualista e menos igualitarista que o socialismo. (*) São esses dois pontos que permitem, na opinião do autor, separar as duas ideologias e os partidos que as representam. A fractura é quase invisível e a prova maior disso é que a maioria dos partidos socialistas e social-democratas fazem parte da mesma família supranacional, inserindo-se na Internacional Socialista e honrando assim a tradição política de que provêm.

Na maior parte dos países europeus, caracterizados hoje por sistemas políticos bipolares, onde o poder intercala entre um grande partido de centro-esquerda e outro de centro-direita, os sociais-democratas e os socialistas inserem-se conjuntamente no partido do centro-esquerda ao passo que o centro-direita ou a direita de poder é representada por partidos que albergam sobretudo conservadores, democratas-cristãos e liberais( uma grande mixórdia, na realidade), aproximadamente o equivalente ao que o CDS/PP pretenderia ser em Portugal. Se esta divisão , esta dicotomia, entre o centro-esquerda e o centro-direita, já é pouco perceptível nos restantes países europeus o que dizer então do caso nacional em que a alternância no poder se dá entre forças políticas que fazem parte da mesma tradição originária, de esquerda? Como esperar que PS e PSD divirjam seriamente em algo mais que a atitude face ao Estado, ao mercado?

A conclusão óbvia é que Portugal não tem, desde 1974, qualquer direita de poder, é um país verdadeiramente mergulhado no mais absoluto situacionismo de esquerda proporcionado por 2 partidos irmãos que fazem o papel de dinâmicas opostas, quando o não são. Absurdo porque um partido de inspiração social-democrata, mesmo que com algumas influências liberais, como é o caso do PSD, não é um partido de centro-direita e muito menos de direita; contudo em Portugal passa por tal.

Se os inquéritos aos jornalistas em países onde a distinção partidária esquerda/direita é, ainda assim, mais clara e aceitável, revelam um domínio completo da mundividência de esquerda sobre a informação, no caso português a situação é concerteza mais flagrante pois quantos desses jornalistas que se declaram de direita não se situam na esfera de influência do PSD, partido que é afinal herdeiro de uma tradição de esquerda? E se no Ocidente podemos dizer com segurança que a esquerda controla a comunicação em Portugal poderemos afirmar que quase não há de todo comunicação para lá da esquerda, com todas as implicações que isto tem na sociedade e nos valores que a regem.

(*) Social Policy:themes and approaches, Paul Spicker, 1995, pag 76

21 Comentários:

Blogger Paulo Cunha Porto disse...

Caríssimo Rebatet:
Tem inteira razão no que escreve quanto ao predomínio da Esquerda na imprensa escrita, embora a infuência dela sobre as massas se venha, progressivamente, a atenuar. Neste momento as grandes influências dão o «Metro», o «Destak» e as televisões. Nos dois primeiros, pela brevidade da reprodução das transmissões das agências, a questão não se põe tanto. Já na televisão é fundamental. E noto uma esquerdização crescente na evocação so passado e na celebração dos mitos ideológicos "gauchistes", embora não tanto na abordagem da ordem do dia.
Os jornais continuam, porém a influenciar os quadros intermédios. Vivemos num país em que a "inteligentsia" - no preciso paralelo com que o termo russo significou - ainda se alimenta do que lê no «Expresso». Logo, o seu nível vai acompanhando a progressiva degradação do jornal.
O grande meio de contrarar esta tendência poderia ser a bloguística. E penso que o está sendo. Se nas idades menos jovens só uma elite muito marcada acede à blogosfera, na juventude esse recurso está, penso, muito mais universalizado.
Quanto ao PSD, eu creio que nunca foi social-democrata. A designação que acabou por prevalecer foi, julgo, mais uma tentativa de abichar umas massas à Internacional Socialista. Acredito que a sua índole seja a de um grande partido popular "de direita", sem contornos ideológicos precisos, que juntou dirigentes da oposição moderada aos fimais do Estado Novo a elementos de base da extinta máquina partidária da ANP. Ainda hoje os "leaders" do partido se encontram bastante à esquerda do grosso dos militantes, mas, mesmo assim, lá atiraram com ele para o PPE democrata-cristão, o que diz bem da força de convicções udeológicas daquela gente...
Mas, claro, a Democracia Cristã não é direita, senão em países muito estigmatizados por lutas recentes. É Centro. O espaço da direita teria pois de ser preenchido por uma doutrinação contínua, que implicasse uma grande editora, um semanário de expansão nacional, uma rede de televisão e outra de rádio, actuando concertadamente. Mas claro, temos de recorrer ao que temos à mão e isso pode ser o mundo dos "blogs", que forme um grupo de transmissores doutrinados capaz de fazer chegar os Valores aos vastos grupos de independentes que, neste momento, ainda sentem como polos de atracção os dois grandes partidos do meio.
Um abraço.

8:55 da manhã  
Anonymous Anjo Infernal disse...

Eu ainda me pergunto como é que o presidente do PNR ainda diz que "os jornalistas são apenas vítimas do sistema". Está mais que visto que a maioria dos jornalistas são de esquerda,não tem nada haver com sistemas...

11:32 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

A maior parte dos jornalistas são de "esquerda" porque lhes convém, ou seja, assim não são despedidos!
Que tem a corgem de não alinhar com a esquerda é perseguido!

A esquerda é muito afeita à desestabilização "revolucionária".
Quem melhor do que sensasionalistas e paranóicos de esquerda para fazer reportagens?
Quem melhor do que gente sem caracter para vender a banha da cobra?

Quanto ao sistema político em Portugal é verdade que entre o PSD e o PS a diferença é pequena. No entanto o PS tem sido sempre pior!
O PPD foi engolido pelo PSD!

3:10 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

E quem são os donos dos jornais e televisões? São também eles esquerdistas e comunistas? Então os capitalistas finaciam jornais e televisões esquerdistas? Mais alguém vê aqui uma contradição, ou sou só eu? Para mim só há uma conclusão: capitalistas, igualitaristas, imigracionistas, comunistas, democratas-cristãos, etc., c'est tout le même chose.

NC

6:20 da tarde  
Anonymous Mendo Ramires disse...

O PPD é, em termos ideológicos, fruto da antiga Ala Liberal da ANP, com assento na extinta Assembleia Nacional, e o seu 'leader' natural teria sido, pois, Pinto Leite (estranhamente morto no Ultramar). Hoje em dia - após essa morte, e a de Sá Carneiro -, não há já resquícios dessa raíz doutrinária, que era, claramente, baseada na Social-Democracia Nórdica. As bases eram, sem dúvida, provenientes de ex-filiados e militantes das estrututas locais da Acção Nacional Popular e, portanto, mais "à direita" (até Legionários e "ultras" lá havia; e - Graças a Deus -, ainda subsistem dois ou três no PSD...!).
Quanto aos meios de comunicação social: o que fica escrito, este fim-de-semana, na blogosfera nacional - pelas ilustres e cortantes penas de Manuel Azinhal, Corcunda, Rebatet, Paulo Cunha Porto, Camisa-Negra -, deverá ser o ponto-de-partida para um amplo Debate Nacional (em público e em privado).

6:51 da tarde  
Blogger PlanetaTerra disse...

///

NC said:
" Então os capitalistas finaciam jornais e televisões esquerdistas? Mais alguém vê aqui uma contradição, ou sou só eu? "


Para quem se quiser dar ao trabalho de ler:

A MEGA-INTOLERÂNCIA
--- O conceito 'Mega-Intolerância' refere-se a um determinado tipo específico de Intolerância:
-> A Intolerância é protagonizada por aqueles que - a todo o custo - procuram impedir que os Povos Nativos possuam o LEGÍTIMO Direito de ter o SEU espaço no Planeta.
--- A Mega-Intolerância resulta da ASSOCIAÇÃO entre:
- 1 - Os Capitalistas Selvagens
- 2 - Os Predadores Insaciáveis
- 3 - O Parasita Branco [ a Maioria dos Europeus... ]


§§§
-- 1 -- Os Capitalistas Selvagens são INTOLERANTES para com os Povos Nativos que reivindicam o LEGÍTIMO Direito de ter o seu espaço no Planeta...... PORQUE...... os Capitalistas Selvagens visualizam o Planeta Terra como sendo uma Gigantesca Exploração Agro-Pecuária: -->> cidades IGUAIS por todo o lado... isto é... os Povos ( Raças ) de maior rendimento demográfico [ economicamente mais rentáveis... ] devem possuir todo o Direito de ir ocupar e DOMINAR o espaço dos Povos ( Raças ) de menor rendimento demográfico [ economicamente menos rentáveis...] ...

-- 2 -- Os Predadores Insaciáveis são INTOLERANTES para com os Povos Nativos que reivindicam o LEGÍTIMO Direito de ter o seu espaço no Planeta...... PORQUE...... os Predadores Insaciáveis [ exemplos: os Mestiços, os Islâmicos..., etc... -->> obs: como é óbvio, existem pessoas de Boa Vontade - reconhecem o LEGÍTIMO Direito à existência de Reservas Naturais - que são excepção à regra...] não se contentam em Ocupar e Dominar 50%... eles querem Ocupar e Dominar mais e mais territórios... ou seja, eles querem Ocupar e Dominar 100%!!!... Logo, eles estão contra a existência de Reservas Naturais!!!...

-- 3 -- O Parasita Branco [ a Maioria dos Europeus... ] é INTOLERANTE para com os Povos Nativos que reivindicam o LEGÍTIMO Direito de ter o seu espaço no Planeta...... PORQUE...... o Parasita Branco [ são a Maioria... ] pretende 'COMER-NOS' POR PARVOS: -->> para que a Ocupação da Europa por outros Povos não seja considerada como o resultado da actuação de um BANDO DE PARASITAS no Planeta... mas sim... um ‘Processo Absolutamente Natural’... o Parasita Branco [ também conhecidos por Bandalhos no Branqueamento... ] adoptou uns TRUQUES ENGENHOSOS:
- 1 -> o Parasita Branco promove a mundialização... apoia os Predadores Insaciáveis... e é INTOLERANTE (!!!) para com os Povos Nativos que reivindicam o LEGÍTIMO Direito à Sobrevivência da sua Identidade!?!?!?!......
- 2 -> Como seria 'imoral' serem estrangeiros a pagar as pensões de reforma ao pessoal..., o Parasita Branco alterou a Lei da Nacionalidade... para depois ir gerindo a atribuição da Lei da Nacionalidade aos imigrantes [ e aos filhos de imigrantes ]...
{ NOTA:
--- O Parasita Branco [ são a Maioria dos Europeus!... ] já não engana ninguém!!!...
--- O Parasita Branco FAZ TUDO E MAIS ALGUMA COISA... em troca de:
1- Curtir abundância de mão-de-obra servil...
2- Curtir a existência de alguém que pague as pensões de reforma......
((( ... “ e quem vier a seguir que feche a porta ”... )))
--->>> Nota: O Parasita Branco NÃO possui um Projecto de Luta pela Sobrevivência... isto é... NÃO está interessado em construir uma Sociedade Sustentável: uma Sociedade com a Capacidade de Renovação Demográfica... }
§§§

///

7:09 da tarde  
Blogger alex disse...

Duas notas:

- O único 'world media' fiável e credível é a Fox News (e algumas tv's locais do mid-west).
O resto, é conversa.

- Os liberais do PSD são uma FRAUDE.
São daqueles Liberais que fazem o panegírico ao mercado.....mas passam a vida a defender que as empresas 'mamem'....do Estado.

Liberais Liberais, em Portugal....são muito poucochinhos.
Sou eu e mais uns gajos que bebemos uns copos por aí.
Cabemos todos numa Toyota Hiace.
;)


ps: naturalmente, um Liberal (no sentido europeu do termo) ou um neo-liberal são, forçosamente, de Direita.

1:36 da manhã  
Blogger alex disse...

Duas notas:

- O único 'world media' fiável e credível é a Fox News (e algumas tv's locais do mid-west).
O resto, é conversa.

- Os liberais do PSD são uma FRAUDE.
São daqueles Liberais que fazem o panegírico ao mercado.....mas passam a vida a defender que as empresas 'mamem'....do Estado.

Liberais Liberais, em Portugal....são muito poucochinhos.
Sou eu e mais uns gajos que bebemos uns copos por aí.
Cabemos todos numa Toyota Hiace.
;)


ps: naturalmente, um Liberal (no sentido europeu do termo) ou um neo-liberal são, forçosamente, de Direita.

1:36 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Mas na verdade são os direitistas globalistas (chamem-se liberais novos ou velhos (ou outros dos seus "compadres")) que detêm o poder dos me(r)dia. São quem mantem a corja de parasitas que se chamam "jornalistas" (alguns dos quais nem escrever sabem), que não podem ser nacionalistas (quando muito patrioteiros) porque caso contrario são despedidos (por "justa causa" que é o nome mais comum para perseguição política!).

Não há diferença entre globalistas sejam de esquerda (a famosa internacional socialista/bolchevista/sovietica/...=BE,PC,PS) ou de direita (o famoso comercio (i)mund(o)ial, nato, cia, bancos = PSD e muitos CDS/PP).

11:39 da manhã  
Anonymous Anonymuz disse...

O enjoo de dividir tudo em esquerda, direita e centro!
Que tal em cima e em baixo ou à frente ou atras.

Tudo nhanha de conversa para enganar, escravisar e destruir Portugal! (O embuste intelectual)

Eu ca pertenço à frente , isto é, a libertação de Portugal do lixo que o ocupa!

11:50 da manhã  
Anonymous Glauk disse...

Enfim ta visto!! nao ha ninguem de extrema direita com dinheiro para comprar um canal de televisão?? ou 2??
Assim conseguiriamos apoderar-nos dos meios de comunicação.
Pessoal é poupar dinheiro, fazermos uma sociedade anonima e depois juntarmos o dinheiro todo dos nacionalistas e comprarmos um dos canais de televisao portugueses.

5:06 da tarde  
Anonymous Anonymuz disse...

A verdadeira direita foi proibida pelo sistema da nova ditadura!
Direita é sinónimo de disciplina, respeito, honra, caracter e verdadeira democracia ! Onde estão estes valores? Foram ridicularizados e não tarda proibidos!

Restam o interesse puro e a demagogia!

Quem sofre? Todos os povos!

A mundialização podia fazer-se pela boa vontade e colaboração entre os povos. Em vez disso existe a globalização feitas pelas ditaduras mafiosas e crimonosas da internacional socialista e do neo-liberalismo selvagem!

Chocante é que alguns destes selvagens até já se dizem patriotas ( aquilo a que se pode chamar: os patrioteiros do futball!)

Continua a fazer sentido falarmos na luta entre esquerda e direita ? Claro que não, agora são todos iguais:

Todos "diferentes" todos anormais!

11:11 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Nem caciques nem bolcheviques!

Na Vertical, de pé sobre as ruinas!

Legionário

2:30 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Anonymuz said:
«... O enjoo de dividir tudo em esquerda, direita e centro!
...
O embuste intelectual ...»

Concordo consigo Anonymuz.

7:48 da tarde  
Blogger Passarinha disse...

obrigada pela visita ao meu blog, mas afinal parece q Kant se pode escrever tb Cant, depende do ponto de vista...:-)

7:59 da tarde  
Anonymous Manel disse...

Para se ter um exemplo do que seria uma maior representação dessa tal "direita" na comunicação social, bastará ler estes blogues por aqui, o Novopress ou o jornal "O Diabo". Fica-se com a ideia que seria como abrir as portas do manicómio, ou o início de um desfile de horror, e encontrar-se-ia, por lá, de tudo: desde auto-proclamados neonazis aos gritos contra a pretalhada, saudosos nostálgicos do fascismo e das suas virtudes (a "honra, a Pátria, a Nação"), negacionistas do Holocausto e das atrocidades nazis, "cristãos racialistas" que vão à Igreja mas não querem lá pretos, apologistas da supremacia racial, etc, etc. O que, em geral, teriam em comum, é a ausência quase absoluta de racionalidade e um certo apego ao que há de mais primitivo na humanidade; não valeria a pena falar com tal gente, sequer, do princípio do contraditório, da pluralidade de opiniões, do respeito pelo "outro", quando este tem uma cor de pele ou religião diferente; e como é óbvio, ver-se-ia por lá uma grande raiva. Uma raiva tão grande que ameaça consumir a própria gentinha.

Um bom exemplo é, de facto, os EUA, onde existem estações de TV como a Fox News, assim como jornais, talk shows, programas de rádio e mesmo imprensa conotada com esta direita - que não será a "direita civilizada", como esta gosta de se apresentar, mas a outra... Com algumas nuances, por exemplo. Já não será anti-semita ou anti-judaica (é antes controlada por um poderoso lobby politico-intelectual pró-israelita), mas anti-árabe, anti-mexicanos, anti-isto-e-aquilo.

Perfeitamente dispensável, portanto.

3:55 da tarde  
Blogger Caturo disse...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

4:29 da tarde  
Blogger Caturo disse...

O que, em geral, teriam em comum, é a ausência quase absoluta de racionalidade

Ele vê-se quem é que é inteiramente desprovido de racionalidade - é quem, como o Manel, mostra a sua irracionalidade sentimental ao portar-se como lacaio de uma ideologia universalista totalitária e a tal ponto intolerante para com as diferenças que até preconiza a sua negação e/ou destruição por meio da miscigenação.

Para agravar o caso, esta tropa tem ainda o descaramento de se auto-proclamar defensora do «respeito pelo outro» e «pela pluralidade das opiniões», como se tal gente admitisse que alguém promovesse uma doutrina cujos fundamentos se opõem visceralmente ao internacionalismo militante.

Gente desta não apresenta argumentos, não discute, antes se limitando aos rótulos inquisitoriais destinados a acabar com o debate por meio do apelo ao ostracismo («Não se discute com nazis!»), o que, além de ser desonesto e incompetente, é também sinal de uma profunda cobardia intelectual.

É esse o verdadeiro motivo pelo qual encaram com horror a possibilidade de que a Direita Nacionalista possa vir a estar mais representada na comunicação social - é porque a esquerdalha não quer, não aceita, não admite, que o Povo possa ser exposto a mais de um fundamento doutrinário, a mais de um princípio ideológico; não tolera que o Povo possa pensar com base nos princípios naturais de raça, etnia, nação, numa palavra, de Estirpe. Isso seria permitir o desfazer de um trabalhinho sujo que a esquerdalha tem vindo a fazer desde há muito tempo no sentido de abafar por completo as tendências mais naturais da humanidade em prol de uma aberração apátrida.

São, no fundo, herdeiros culturais da mentalidade internacionalista militante que um certo judeu morto andou a pregar há dois mil anos - acreditam piamente que pôr a Estirpe em primeiro lugar é maldade. Só assim se compreende que chamem «primitivo» a este princípio, e que o tentem aniquilar, assemelhando-se, na postura e atitude, aos beatos medievais que se chicoteavam todos os dias para punirem os pecados da sua mente, «pecados» tão primitivos como o mais salutar desejo sexual...

4:31 da tarde  
Anonymous Anonymuz disse...

Este Sr. que comentou tb é um triste e tb se chama manel.
Este Sr. é concerteza um apoiante da Turquia na Europa em nome das ideias da esquerda internacionalista e anti- nacionalista, e vira concetreza a cara aos crimes cometidos pelos Turcos! Isso não é revisionismo é pura hipocrisia!

Também é daqueles que compra os productos baratos dos chineses, os mesmos que trabalham como escravos nas fábricas em troca de uma mão cheia de arroz por dia!

Também é daqueles que gosta dos imigrantes, especialmente os negros que lhe fazem os trabalhos que o Sr. e outros "importantes" como você não gostam de fazer! E ainda por cima por uns trocados!

Chega ao ponto de confundir o nacionalismo com o judaismo internacional, de facto é um génio da política!

Quem não tem qualquer credibilidade é você!
Já comprou "o avante" de hoje? Ou só lê "o público"?
Então vá lá ler para ver se arranja uma "cassete" um bocadinho melhor?

6:58 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

"...saudosos nostálgicos do fascismo e das suas virtudes (a "honra, a Pátria, a Nação")..."

Pois é, o Sr. manolo não gosta nem da Pátria nem da Nação! Isso já se está a ver!

E quanto à Honra, tb não é uma qualidade sua, pois não?
Nem quer saber dela para nada!
É uma coisa ridícula não é?

7:09 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Keep up the good work Battery backup unit Recherche liste incorporation commercial Automotive wiring diagrams online West virginia microwave ovens supplies and parts apartment search Alchohol zoloft and Sexy+swimsuits dishwasher Peugeot h2o Chile mysql webhosting Medical information on ionamin

9:37 da manhã  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial