quarta-feira, julho 13, 2005

Curiosidades

Mais uma vez e para não variar o país é consumido por uma vaga de incêndios, todos os anos nos deparamos com o mesmo cenário, já previsível, e todos os anos nos deparamos com a mesma sensação de incompetência no combate a esta catástrofe que regularmente se abate sobre Portugal. Os sucessivos Governos não parecem ter qualquer capacidade de minimizar o desastre ou desenvolver planos de prevenção para lidar com um fenómeno que à partida é de ocorrência garantida e sazonal, logo razoavelmente previsível. As condições climatéricas do nosso país não podem explicar tudo, não é compreensível que Portugal seja a nação que invariavelmente, ano após ano, mais área florestal vê destruída pelas chamas e em proporção muito superior à de outros países com condições climatéricas igualmente desfavoráveis.

Existem algumas curiosidades que não deixam de merecer reflexão no que concerne ao problema dos incêndios no nosso país. Particularidades muito nossas que não me parecem minimamente lógicas. Em primeiro lugar é preciso entender que estamos a falar de um negócio, sim, porque em boa verdade os incêndios são também uma oportunidade de negócio, aquilo que para o património natural do país se afigura como calamitoso resulta em possibilidades de lucro para alguns.

Para começar não posso deixar de referir uma questão que me causa incompreensão; todos os anos morrem bombeiros no combate aos fogos, estas pessoas arriscam a vida nas mais duras condições para travar um combate desleal e merecem por isso todo o respeito e é também pelo respeito que a classe em geral merece que não entendo como é possível que existam em Portugal bombeiros que detêm casas que comercializam meios de combate aos fogos. Ainda o ano transacto, ao mesmo tempo que éramos confrontados com as notícias da morte de bombeiros na luta contra o fogo tomávamos conhecimento de que alguns dos incêndios despoletados por mão criminosa haviam sido provocados precisamente por colegas seus. A mim, francamente, não me parece particularmente favorável para a imagem da classe que existam indivíduos que façam profissão da luta aos fogos e ao mesmo tempo sejam proprietários de estabelecimentos que vendem material de combate aos incêndios.

Também me pergunto como é possível que um país que todos os anos sofre os maiores danos com este flagelo não tenha meios aéreos próprios de luta contra o fenómeno. Todos os países da Europa mais sujeitos a problemas do género, nomeadamente os do sul do continente, detêm meios aéreos de combate aos fogos, Portugal, sistematicamente, necessita de os alugar a privados e fá-lo apenas para as épocas consideradas de risco sendo que os concursos públicos arrastam-se no tempo. Fará sentido que o Estado necessite de estar dependente de empresas privadas para o aluguer destes meios? estamos a falar de negócios que envolvem verbas elevadíssimas. A verdade é que estas empresas beneficiam da existência de incêndios e naturalmente beneficiam da existência de Estados sem meios próprios e que por isso estão expostos a condições de mercado desfavoráveis.

Um outro dado curioso e que poderia dar a Portugal uma entrada no “Guinness Book” é a percentagem de indivíduos detidos por deflagração de fogos que têm “problemas psiquiátricos”. Todos os anos em Portugal são apanhados suspeitos de fogos postos que, alegadamente, sofrem de problemas do foro psíquico, o que me leva a crer que Portugal tem a maior percentagem de maluquinhos pirómanos por metro quadrado em todo o mundo. Das duas uma, ou é de facto assim e estamos perante um caso digno dos “Ficheiros Secretos”, o país dos desequilibrados pirómanos, ou então estes indivíduos são induzidos por outros, perfeitamente lúcidos, para fazerem o trabalho sujo, e a ser assim não acredito que seja particularmente difícil à polícia conseguir de pessoas com perturbações psiquiátricas os nomes dos verdadeiros responsáveis. Existe ainda uma terceira possibilidade, estas pessoas não terem realmente problemas e tentarem uma desresponsabilização perante a justiça, mas nesse caso creio que uma avaliação médica dos suspeitos esclareceria a questão. Seja como for, creio que já vai sendo tempo de se reverem as penas aplicadas a certos crimes que merecem, sem dúvida, maior severidade por parte da justiça.

Evidentemente boa parte dos incêndios são provocados por condições ambientais e falta de zelo por parte do Estado na preservação do seu património natural mas não é apenas disso que se trata, temos de ter consciência que também falamos de um negócio que movimenta muito dinheiro. As situações que descrevi causam-me particular perplexidade.

10 Comentários:

Anonymous JM disse...

Boa observação Camarada Rebatet. De facto é inadmissível que Portugal seja todos os Anos, desde o 25 do A, um inferno de chamas.
O Traidor do Mário Soares apelou para que os cidadãos criem brigadas de limpezas das matas e florestas, ou do que resta delas. Ora eu digo que se meta o exército a limpar as matas e que se responsabilize os proprietários dos terrenos arborizados pela limpeza dos mesmos, sob o peso de, em caso de incêndio, serem punidos judicialmente.
Realmente, sempre que é capturado um incendiário, diz-se logo que é um pirómano, o que não deixa de ser bizarro, como bem referes, mas a verdade é que muitas pessoas que perdem as suas habitações sõa vitímas da própria incúria, cujas zonas adjacentes ás habitações mais parecem pocilgas.
Outra situação que o 25 do A nos trouxe, foi a quase extinção dos cantoneiros, mas enfim, foi apenas mais uma emancipação das conquistas de Abril.

10:54 da tarde  
Anonymous Å disse...

A questão da limpeza das matas não passa de desculpas...

O problema são os criminosos e os negócios. Os gajos até andam de avião.

2:25 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Mas não se ouve nenhum comentário por parte dos nossos dirigentes... Ou não lhes convirá dizer nada sobre o assunto? Este país é uma VERGONHA!

10:54 da manhã  
Anonymous Sofia disse...

Bela exposição!
Todos os anos há incêndios e todos os anos prometem meios de prevenção e de combate! E depois, para variar,não é, nunca cumprem!

Temos um país com uma maioria de Corporações de Bombeiros Voluntários, quando se deveria já ter profissionalizado o sector e garantir aos Bombeiros que o possam ser a tempo inteiro, fazendo disso a ocupação exclusiva.

De facto, temos, a ver pelas notícias, um país de pirómanos, o que é estranho! Mas é uma saída fácil, é aquilo que hoje em dia a maioria das pessoas prefere

11:04 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Como tudo o resto nesta republica das bananas, é mais importante gravar as comunicações (telefonemas e e-mails) dos pacatos cidadãos anónimos do que fazer algo pelas cada vez menores áreas naturais do país!

E essa dos piromanos, é mais uma desculpa típica da sociedade dominada por intelectuais cobardes, mas tb se resolvia, era mas é de os fechar na mesma instituição onde se encontram os psicopatas assassinos! Tenho a certeza que o seu numero se começava a reduzir não só entre os que estavam lá dentro mas tb entre os que observavam ca de fora!

Anonymuz

11:20 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Realmente este é um país rico em "curiosidades"...só não convém é falar muito nelas. Excelente texto.

1:11 da tarde  
Blogger alex disse...

Desta vez o A. tem razão

1:47 da tarde  
Anonymous SSoldado_Lusitano disse...

Já tinha ouvido falar do seu blog, mas nunca tinha lido um artigo seu, e devo-lhe dizer que adorei o "A revolução permanente no Bloco de Esquerda", espectacular, já pertencente à minha lista de blogs.

Quando tiver tempo passe pelo meu blog

www.lusitania88.blogs.sapo.pt

Saudações

5:48 da manhã  
Blogger acja disse...

O fogo e as queimadas são passíveis de comparação com o 25 de Abril, demora-se anos para as árvores crescerem e aí de repente, vêm um puto e estraga tudo!Por interesses pessoais e financeiros.

10:53 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Putos e pirómanos? Só se for para entreter as «massas» acéfalas pós 25/4...
Trata-se sim de verdadeiro terrorismo de estado, prepertado pelos bandalhos que tomaram o poder após a maldita «revolução». Há convergência de interesses: negócios, sabotagem económica para nos vergar frente a uma CE, provocar desespero nas populações para que estas aceitem qualquer canga internacionalista que lhes ponham ao pescoço...
E o Anónimo das 2:25 tem toda a razão: a limpeza das matas não passa de uma desculpa... Mesmo com elas limpas, um fogo ateado com rockets ou cargas incendiárias propagar-se-ia na mesma. Antes do 25/4 não havia limpeza de matas e os incêndios não eram uma calamidade
O País arde porque os canalhas no governo querem que ele arda. A evidência salta à vista.

É mais do que a hora! Às armas!

12:13 da manhã  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial