segunda-feira, março 06, 2006

A nação;sangue e tradição!

Tradição: para uma estirpe dotada da vontade de voltar a situar a ênfase no âmbito do sangue, é palavra brava e bela. Que a pessoa singular não viva somente no espaço. Que seja, pelo contrário parte de uma comunidade pela qual deve viver e, sucedida a circunstância, sacrificar-se, esta é uma convicção que cada homem com sentimento de responsabilidade possui e que postula à sua maneira particular com os seus meios particulares. A pessoa singular não se encontra, no entanto, ligada a uma comunidade superior unicamente no espaço, mas, de uma forma mais significativa, ainda que invisível, também no tempo. O sangue dos antepassados está latente, fundido com o seu, ele vive dentro de reinos e vínculos que eles criaram, custearam e defenderam. Criar, custear e defender: esta é a obra que ele recebe das mãos daqueles e que deve transmitir com dignidade. O homem do presente representa o ardente ponto de apoio interposto entre o homem do passado e o homem do futuro. A vida relampeja como o rastilho incendiado que corre ao largo da mecha que ata, unidas, as gerações…queima-as, certamente, mas mantém-nas enlaçadas entre si, do princípio ao fim. Em breve também o homem presente será igualmente um homem do passado mas, para conferir-lhe calma e segurança, permanecerá a ideia de que as suas acções e gestos não desaparecerão com ele mas antes constituirão o terreno sobre o qual os vindouros, os herdeiros, se refugiarão com as suas armas e instrumentos.

Isto transforma uma acção num gesto heróico que nunca pode ser absoluto nem completo como fim em si mesmo e que, pelo contrário, encontra-se articulado por meio de um conjunto dotado de sentido e orientação, dados pelos actos dos predecessores e apontando ao enigmático reino daqueles que ainda estão para vir. Obscuros são os dois lados e encontram-se mais para cá e mais para lá da acção, as suas raízes desaparecem na penumbra do passado, os seus frutos caem na terra dos herdeiros… a qual não poderá nunca vislumbrar quem actua e que é todavia nutrida e determinada por estas duas vertentes nas quais justamente se funda o seu esplendor intemporal e a sua sorte suprema. É isto que distingue o herói e o guerreiro face ao mercenário e ao aventureiro: e é o facto de que o herói extrai a sua força de reservas mais elevadas do que as que são meramente pessoais, e que a chama ardente da sua acção não corresponde ao clarão ébrio de um instante mas ao fogo cintilante que funde o futuro com o passado. Na grandeza do aventureiro há algo de carnal, uma irrupção selvagem, e em verdade não privada de beleza, em paisagens variadas… mas no herói cumpre-se aquilo que é fatalmente necessário, fatalmente condicionado: é o homem autenticamente moral e o seu significado não repousa unicamente em si mesmo, nem só no seu dia de hoje, mas é para todos e para todo o tempo.

Qualquer que seja o campo de batalha ou a posição perdida na qual se esteja, ali onde se conserva um passado e se deve combater por um futuro, não há acção que esteja perdida. A pessoa singular certamente pode andar perdida mas o seu destino, a sua sorte e a sua realização, valem em verdade como o crepúsculo que favorece um objectivo mais elevado e mais vasto. O homem privado de vínculos morre, e a sua obra morre com ele, porque a proporção dessa obra era medida só em relação a ele mesmo. O herói conhece o seu crepúsculo mas o seu crepúsculo assemelha-se àquele sangue vermelho do sol que promete uma manhã nova e mais bela. Assim devemos recordar também a Grande Guerra: como um crepúsculo ardente cujas cores já antecipam uma alvorada sumptuosa. Assim devemos pensar nos nossos amigos caídos e ver no seu crepúsculo o sinal da realização, o assentimento mais duro dirigido à própria vida. E devemos olhar longe, com um desprezo imundo, perante o juízo dos negociantes, daqueles que sustêm que “ tudo isto foi absolutamente inútil”, se queremos encontrar a nossa fortuna vivendo no espaço do destino e fluindo na corrente misteriosa do nosso sangue, se queremos actuar numa paisagem dotada de sentido e significado, e não vegetar no tempo e no espaço onde, nascendo, tenhamos chegado por casualidade.

Não: o nosso nascimento não deve ser uma casualidade para nós! Esse nascimento é o acto que nos radica no nosso reino terrestre, o qual, com milhares de vínculos simbólicos, determina o nosso posto no mundo.Com ele convertemo-nos em membros de uma nação, por meio de uma comunidade estreita de laços nativos. E daqui vamos depois ao encontro da vida, partindo de um ponto sólido, mas prosseguindo um movimento que teve início muito antes de nós e que muito depois de nós terá o seu fim. Nós percorremos apenas um fragmento desta avenida gigantesca, neste trecho, todavia, não devemos transportar apenas uma herança inteira mas devemos estar à altura de todas as exigências do tempo.

E agora, certas mentes abjectas, devastadas pela imundície das nossas cidades, surgem para dizer que o nosso nascimento é um jogo de azar, e que “poderíamos perfeitamente ter nascido franceses como alemães”. Certo, este argumento vale precisamente para quem assim pensa. Eles são homens da casualidade e do azar. É-lhes estranha a fortuna que reside no sentir-se nascido por necessidade no interior de um grande destino e de sentir as tensões e lutas desse destino como nossas, e com elas crescer ou inclusive perecer. Essas mentalidades sempre surgem quando a sorte adversa pesa sobre uma comunidade legitimada pelos vínculos do crescimento, e isto é típico delas. Reclama-se aqui a atenção sobre a recente e bastante apropriada inclinação do intelecto de insinuar-se parasitariamente e nocivamente na comunidade de sangue, e a nela falsear a essência em nome do raciocínio…isto é, através do conceito, à primeira vista correcto, de “comunidade de destino”. Da comunidade de destino, no entanto formaria também parte o negro que, surpreendido na Alemanha ao início da guerra, foi envolto no nosso caminho de sofrimento, nas senhas do pão racionado. Uma “comunidade de destino”, neste sentido, é constituída por passageiros de um barco a vapor que se afunda, muito diferentemente da comunidade de sangue: formada esta pelos homens de um navio de guerra que descende até ao fundo com a bandeira ondulando.

O homem nacional atribui valor ao facto de haver nascido entre confins bem definidos: nisto ele vê, antes de tudo, uma razão de orgulho. Quando acontece que trespasse esses confins, não sucede nunca que flua sem forma para além deles mas de modo a alargar com isso o seu espaço no futuro e no passado. A sua força reside no facto de possuir uma direcção, e portanto uma segurança instintiva, uma orientação de fundo que lhe é conferida em dote conjuntamente com o sangue e que não precisa das luminárias mutáveis e vacilantes de conceitos complicados. Assim a vida cresce numa maior unidade, e assim devém ela mesmo unidade, pois cada um dos seus instantes reingressa numa conexão dotada de sentido.

Claramente definido pelos seus confins, por rios sagrados, por férteis vales, por vastos mares: tal é o mundo no qual a vida de uma estirpe nacional se imprime no espaço. Fundada numa tradição e orientada para um futuro longínquo: assim se imprime ela no tempo. Ai daquele que corta as próprias raízes!..esse converter-se-á num homem inútil e num parasita. Negar o passado significa também renegar o futuro e desaparecer entre as ondas esquivas do presente.

Para o homem nacional, por outro lado, subsiste um perigo grande: o de esquecer-se do futuro. Possuir uma tradição comporta o dever de viver a tradição. A nação não é uma casa na qual cada geração, como se fosse um novo estrato de corais, deva acrescentar tão-somente um piso mais, ou onde, por meio de um espaço preestabelecido de uma vez por todas, não sirva outra coisa que continuar a existir, mal ou bem. Um castelo, um palácio burguês, dir-se-ão construídos de uma vez para sempre. Prontamente, todavia, uma nova geração, incentivada por novas necessidades, vê a obrigação de impor importantes modificações. Ou, por outro lado, a construção pode acabar por arder num incêndio, ou terminar destruída, e então um edifício renovado e transformado vem a ser construído sobre os antigos cimentos. Muda a fachada, cada pedra é substituída, e todavia, como se encontra ligada à raça, perdura um sentido do todo específico: a mesma realidade que foi num princípio. Talvez se possa dizer que somente durante o Renascimento ou na idade barroca tenha existido uma construção perfeita. Por acaso então se detinha uma linguagem de formas válida para todos os tempos? Não, mas aquilo que existia então permanece de algum modo oculto no que existe hoje.

Ernst jünger,"Die Tradition." Die Standarte. Beiträge zur geistigen Vertiefung des Frontgedankens. Sonderbeilage des Stahlhelm. 1.10 (8 de Novembro de 1925)

18 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

Rodrigo,
diga-me se recebeu os meus mail's!?
sou um básico nestas merdas da net e tenho a impressão que não chegaram ao destino.
Obrigado

Legionário

2:36 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Tanta merda que alguns andaram a escrever recentemente sobre a nação, sem acertarem uma e sem passarem da vulgaridade.O auto-elogio em circuito fechado até levaria a pensar que teriam dito alguma coisa digna de consideração, deviam ler isto, está cá tudo, mas os tolinhos e os beatos não aprendem...

3:00 da tarde  
Blogger Rodrigo Nunes disse...

Legionário, recebi e gostei do que li. Ainda hoje conto enviar-lhe a rsposta.

Anónimo,não creio que tudo o que se escreveu por aí tenha sido propriamente "merda".O problema, para mim, é que há demasiada gente que ao falar da nação não consegue sair da matriz "judaica-cristã-husserliana".

5:20 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Comam merda seus fachos

5:04 da manhã  
Blogger acja disse...

Belo texto.Bastante significativo.

7:05 da manhã  
Blogger Mendo Ramires disse...

Um luminoso texto do Sábio Alemão do Século XX.
De quem é a tradução?

1:08 da tarde  
Blogger Rodrigo Nunes disse...

A tradução é minha, mas do francês. Neste blog só se publicam textos na superior língua portuguesa, as línguas bárbaras não entram :))

3:49 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

O Alemão não é propriamente bárbaro, pelo menos desde a queda do Império Romano do Ocidente. É até uma língua muito bela. Mas é claro que considero o Português a mais bela de todas, porque é minha e da minha Pátria.

Creio que o Inglês é que se está a tornar uma língua, senão bárbara, pelo menos de bárbaros, enquanto que o hebraico se parece mais com a «língua negra» de um Mordor tolkiano...

Quanto ao anónimo das 4:04, o seu linguajar diz tudo...

Saudações

4:10 da tarde  
Blogger Rodrigo Nunes disse...

«Creio que o Inglês é que se está a tornar uma língua, senão bárbara, pelo menos de bárbaros, enquanto que o hebraico se parece mais com a «língua negra» de um Mordor tolkiano...»

HEHEHE! Bravíssimo meu amigo, não calcula como concordo, excelente!

4:29 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Oh meus tolos, alguma vez ouviram hebraico?

4:35 da tarde  
Blogger Caturo disse...

enquanto que o hebraico se parece mais com a «língua negra» de um Mordor tolkiano...»

HEHEHE! Bravíssimo meu amigo, não calcula como concordo, excelente!


De notar que o Árabe tem a mesma raiz do Hebraico... e tem muito mais legiões «Mordorescas» do que a língua da Magen David...;)

12:16 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Sublime a materialização em escrito do sentimento abstracto de pertença do Homem Nacional à sua comunidade. Fiquei com aquela sensação do "está tudo cá".

3:05 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

I have been looking for sites like this for a long time. Thank you! cisco network security management Sending a fax with xp through a network Strap on vedio Carleton hotel cannes Vitamin for cellulite Zyrtec ashby minnesota Sports tankini swimwear Baccarat cognac crystal decanters ink cartridges tadalafil bph trial covers for hot tubs coast camping grounds Prozac klub krakow black porn paysite Lose weight weight loss pills buy ephidrine

6:03 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Wonderful and informative web site. I used information from that site its great. Gingham backpack comment mail name tramadol url minivan Cataract removal without surgery penis probing genital wart penis to penis hand Raw xxx movies penis tied up De pamela anderson Bunlap tribe penis wrapper xanax 039 bars Cholesterol levels men palm pilot software

3:10 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

What a great site 120 tramadol and free shipping Buy phentermine inline Black girls on white dick ct state lottery http://www.cleaning-gas-cooktop-cooking-grill.info/eczema-treatment.html

8:51 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Wonderful and informative web site. I used information from that site its great. film editing schools

10:10 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

This is very interesting site... Short term motor insurance us How vicodin prescription Botox for low back pain Man trucks and mercedes flowers Floor mats gmc yukon 2003 Police and covert video surveillance Plant relocation companies Buy cheap bontril online order basketball vitamins dry skin care

8:33 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Some online poker site that have free roll sponsorship, World bigger tours where you don't need to make any deposit to your poker account.
No deposit poker sponsorship, free 50 dollars for online poker. After you have signed up party poker account need to play game.
Bonuses for poker no deposit needed Free $50 for start playing omaha holdem and additional fifty dollars.
Free money bonuses for start play game of life with cards in your hand. You can also choose deposit bonus password.
Find hottest bankroll in whole internet and instant bonuses, free poker cash no deposit bankroll still avaliable to us players, going into down and up.
Game poker free bonuses no deposit required from poker sites. Free poker money no quiz
Enjoy free poker online at Party Poker. Promotions, the most exclusive bonus guide. Play time at online poker rooms, find the best Promo.
no deposit bonuses free money
poker cash no deposit $2.20 Circus token - $250 guaranteed prize fund
This is not another scam that takes lots of your earned cash, this is a no risk investment. Easy Money Making poker System.
Now, you were probably searching for something like - "free cash bonus for poker" hmmm ... get the bankrolls and play.
Online bez depozytu - za darmo - darmowe pieniądze - Full tilt - william hill poker - mansion - pkr
bonus na poker bez depozytu czyli bez własnej wpłaty funduszy aby zagrac texas holdem.
Można także zarknąć na stronę gdzie są darmowe bonusy pokerowe 50 dolarów za darmo.
If you dol be deleted after 48 hrs. r online poker ideally made for Mac users but all players can enjoy the poker bonus guide.

8:06 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial