terça-feira, abril 18, 2006

A caricatura da liberdade

Quando recentemente o jornal dinamarquês Jyllands-Posten decidiu publicar umas caricaturas de Maomé, seguido posteriormente por mais alguns jornais de outros países, a Europa assistiu ao despoletar de uma série de problemas com as comunidades islâmicas. À vontade de provocar de uns correspondeu a esperada irracionalidade e fanatismo de outros.

Perante o costumeiro radicalismo dos islâmicos ergueram-se uns quantos defensores de ocasião do Ocidente( muito de ocasião) em defesa de uma presumida ideia de liberdade tomada como valor civilizacional da Europa. O direito de caricaturar um profeta religioso e abordar livremente as questões da fé foi então tornado a bandeira simbólica da oportunidade de livre expressão que distinguiria as democracias ocidentais do «obscurantismo» de outras partes do mundo.

Por vezes a roçar o histerismo esses defensores de ocasião do Ocidente, que quando toca a defendê-lo integralmente se encontram sempre ausentes, asseguraram-nos que os movia simplesmente a apologia da «liberdade», que se tratava de uma questão de valores… a liberdade seria uma condição fundacional da «Europa democrática» e eram limitações a esses valores base que estavam em causa e não poderiam em consciência aceitar.

Na segunda-feira, 10 de Abril, Pedro Varela, proprietário da Livraria Europa, em Barcelona, foi detido pela polícia da Catalunha. Segundo as forças de autoridade o objectivo principal seria a Associação Cultural Editorial Ojeda, sediada na referida livraria. Na operação foram confiscados vários milhares de livros. As acusações dirigidas a Pedro Varela foram de «delito contra o exercício de direitos fundamentais e liberdades públicas» e «delito contra as liberdades públicas por apologia do genocídio».A sustentar as acusações apresentaram-se os livros editados pela Ojeda e vendidos na livraria, desde obras de ficção a livros nacional-socialistas, revisionistas ou estudos sobre diferenças raciais(*).

Esta detenção de Pedro Varela – que não foi a primeira – não choca os defensores da tal liberdade que dizem valor civilizacional da Europa, pelo menos a julgar pelo silêncio generalizado a que os outrora histéricos defensores dos «valores fundacionais do Ocidente» se remeteram neste caso e noutros semelhantes. Em qualquer livraria podemos encontrar obras que apresentam visões revisionistas sobre os crimes do comunismo, e muito bem , acrescento, uma vez que considero ter o direito de conhecer outras opiniões para além das que são correntemente aceites como verídicas. As pessoas têm o direito de avaliar posições distintas e em posse de informação variada tomarem as suas decisões e fazer os seus julgamentos sem que uma qualquer autoridade lhes passe atestados de menoridade mental legislando o que podem ou não ler, o que podem ou não escrever ou pensar. Mas isto não é válido para a História da segunda guerra mundial ou para questões que abordem o tema racial, aí essa «coisa» da liberdade de expressão transforma-se frequentemente em «apologia do genocídio».

Varela foi preso por vender livros. Onde estão as boas consciências que lembram que a censura ou confiscação de livros é um sinal inequívoco de se estar na presença de Estados autoritários e inimigos da liberdade? As mesmas que criticam a censura literária em Cuba ou que falam da destruição de obras na Alemanha nazi como sinal profético do que estaria para vir? Afinal não vivemos em democracias cujo valor central é a possibilidade de dissidência e de livre opinião? Não é sempre essa a diferença fulcral que apresentam na defesa da superioridade democrática ocidental? Pois…estão de férias agora os defensores dos «valores civilizacionais do Ocidente» que há alguns meses se insurgiam energicamente na defesa do direito à liberdade de expressão, esse dogma das nossas democracias de «homens livres».

Esta «liberdade ocidental» cujos limites são impostos pelo poder político dominante, que decide em função dos seus interesses os critérios do que podemos dizer e escrever é a mais cínica negação do conceito. Ninguém é livre se não puder aceder a informação diferente e for forçado a aceitar as teses únicas da verdade institucionalizada, pois essa é a verdadeira limitação que impede o livre juízo e a decisão autónoma.

De facto, o «homem livre» europeu é como uma criança de 6 anos a quem o poder político, fazendo o papel de adulto responsável pela sua educação, estabelece os limites do que pode ou não saber, e, tal como um adulto faz com uma criança, justifica a sua acção para o próprio bem desse «homem livre» europeu, em boa verdade infantilizado. A liberdade apregoada por alturas da polémica em torno das caricaturas de Maomé quando comparada com a sua negação em tantos outros casos de que Pedro Varela é apenas o exemplo mais recente faz lembrar a liberdade que se permite aos fedelhos: que façam umas caricaturas, uns bonecos e uns rabiscos, mas não se intrometam nos assuntos sérios dos adultos; eles é que sabem o que é melhor para a criançada, incapaz de raciocinar por si.

(*)A este propósito será bom que o professor J.P.Rushton, que recentemente publicou um estudo cientifico mostrando que as diferenças de QI entre os diferentes grupos raciais são sobretudo genéticas e que o ambiente social e educacional não tem um impacto superior a 20% nos resultados ou, para o efeito, o professor Richard Lynn que em «Race Differences in Intelligence: An Evolutionary Analysis» concluiu existirem diferenças de inteligência significativas que separam as raças, evitem passar por Barcelona, não vá dar-se o caso de acabarem detidos por incitamento ao genocídio.

94 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

Por momentos pensei que estava em 1500 (mais coisa menos coisa)!
Será melhor acender uma tocha!
No Rossio?
Não, já está ocupado!
...

Legionário

11:01 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Enfim que mais se pode dizer?
Esta miséria há-de acabar e da pior forma!
Onde se pode adquirir esse estudo do Prof. Lynn sem se ser preso pelo "abuso" da "liberdade" de opinião?

12:41 da manhã  
Blogger Caturo disse...

Esta detenção de Pedro Varela – que não foi a primeira – não choca os defensores da tal liberdade que dizem valor civilizacional da Europa, pelo menos a julgar pelo silêncio generalizado a que os outrora histéricos defensores dos «valores fundacionais do Ocidente» se remeteram neste caso e noutros semelhantes.

A incoerência de alguns não invalida o valor em nome do qual falam ocasionalmente. E, sem Liberdade, não há Livraria Europa para ninguém.

1:08 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Existem leis na Espanha e se Pedro Varela não as quebrou, então não pode ser preso. Mas a polícia tem o direito de investigar, e parece-me um bocado cedo para considera-lo um martir da liberdade de expressão.

Não concordo com leis que visam censurar a exposição de ideias, ainda que as ache repelentes. Elas devem ser rebatidas, e nada melhor com os factos.

O Prof. Lynn, que é británico, já foi rebatido inúmeras vezes. A ideia de que a cultura, o ambiente e a instrução afectam pouco mais que 20% é simplesmente incrível e sem qualquer fundamento real.

Deixo-vos, sem comentários, o resultado do censo feito na Inglaterra em 2000 sobre os resultados dos exames de entrada da universidade, e ficamos todos a espera do próximo livro de Lynn na livrária de Pedro Varela a comentar sobre isto.

]:->

3:22 da tarde  
Blogger Caturo disse...

Curiosa estatística - as raparigas, claro, têm as melhores notas, dado que são mais estudiosas do que os rapazes (em Portugal, é o mesmo, e há cada vez mais mulheres licenciadas e cada vez menos homens a concluir os estudos universitários); mesmo assim, a diferença entre raparigas negras e rapazes brancos, é mínima; e, lá para o fundo da tabela, estão os muçulmanos e os negros... que novidade...:):):)

Os indianos (hindus, presume-se, mas não está esclarecido) estão no topo da tabela, mais as raparigas que os rapazes, dado que são em geral mais obedientes aos pais, mais estudiosos, muito menos influenciados pela moda da «irreverência», que domina boa parte da juventude ocidental.

5:05 da tarde  
Blogger Rodrigo Nunes disse...

Ao Caturo, sim, aqueles indianos são hindus.

5:33 da tarde  
Blogger Rodrigo Nunes disse...

«O Prof. Lynn, que é británico, já foi rebatido inúmeras vezes. A ideia de que a cultura, o ambiente e a instrução afectam pouco mais que 20% é simplesmente incrível e sem qualquer fundamento real.»

Não foi o Lynn que concluiu que o ambiente afecta apenas 20% dos resultados , foi o Rushton, e quanto à credibilidade do estudo chega-me que tenha sido publicado em revistas médicas/ científicas.

De resto o Lynn não foi rebatido várias vezes como afirma,existirá sempre quem discuta as suas conclusões que não são «politicamente correctas» mas a sua credibilidade nos estudos psicométricos mantém-se.

Mais, as conclusões do Lynn não são sequer passíveis de serem rebatidas uma vez que convergem com todos os outros estudos psicométricos, mostrando que existe uma diferença de cerca de um desvio-padrão entre brancos e pretos, na ordem dos 10-15 pontos.

Os extremo orientais têm geralmente os resultados mais elevados, seguidos dos brancos, mas têm uma variância menor que a da raça branca.

Quanto ao quadro dos resultados dos exames de entrada nas universidades em Inglaterra é preciso referir alguns pormenores.

Primeiro os resultados dos GCSE não englobam os alunos de escolas privadas, e numa sociedade classista como a Inglesa é aí que se encontra geralmente a chamada «elite» branca.

Segundo, os resultados não se relacionam directamente com os níveis de QI, é consensual que as mulheres têm uma performance superior na escola, no entanto têm em média um nível médio de QI que vai da igualdade a 5 pontos de inferioridade, dependendo dos estudos. Isto significa que existem factores que afectam a performance escolar que não se relacionam exclusivamente com o QI, embora, naturalmente este tenha o seu impacto. Mas creio que todos compreendemos que para passar num exame numa escola conta sobretudo o número de horas de estudo( e a qualidade).Um individuo X mais inteligente que Y terá provavelemnte piores resultados num exame escolar se estudar menos, e a verdade é que as mulheres estudam mais horas.

Finalmente é preciso referir que os resultados agregados não desmentem a tendência dos testes de QI, embora apresentem algumas distorções. Assim, se agregarmos homens e mulheres vemos que a percentagem de alunos que conseguem bons resultados nos GCSE( entre C e A) é a que segue:

Em primeiro os chineses com mais de 70%, depois os indianos com perto de 70%, depois os brancos acima dos 50% e no fim da lista os pretos de todas as proveniências, inclusive atrás dos paquistaneses e dos indivíduos do Bangladesh.

Estes resultados em Inglaterra são aliás aqueles em que os brancos se saem pior, muito pior que nos EUA, a isto não é alheio o tal factor classista que referi, uma vez que as classes trabalhadoras inglesas( brancas) têm tendência para iniciar cedo a vida sexual e laboral, e muitos deles não pretendem ir para a universidade.

Cumprimentos

5:52 da tarde  
Blogger Rodrigo Nunes disse...

Ao anónimo das 12.41;

Os livros de Lynn estão disponíveis na Amazon, ao que sei.

Ao Legionário;

Estou curioso para ver o festival que irão armar no Rossio.

Ao Caturo;

«A incoerência de alguns não invalida o valor em nome do qual falam ocasionalmente. E, sem Liberdade, não há Livraria Europa para ninguém.»

Certo, mas eu não acho que tenhamos realmente liberdade, ela é muito selectiva como vemos por inúmeros exemplos. E de resto, a Livraria Europa não deve aguentar muito mais,as golpadas financeiras que estas confiscações de livros implicam são uma forma encapotada de encerrar a livraria e a editora.

6:29 da tarde  
Blogger Thoth disse...

Bem haja a santa democracia!
Já chega de palavras...
Remédio santo e eficáz:
1-Extinção das assembleias constituintes; 2-Extinção das assembleias municipais, e afins!
Abolir partidos e sindicatos...
E a história repetir-se-á!...

6:32 da tarde  
Blogger Rodrigo Nunes disse...

Um factor adicional que esqueci de referir e que se relaciona com o objectivo de entrar na universidade; o GCSE é feito aos 16 anos, mas se tomarmos em conta os GCE A-level, realizados aos 18 anos e portanto englobando os alunos que pretendem de facto entrar nas faculdades os resultados colocam os chineses em primeiro lugar, mas colocam os Brancos em segundo lugar já à frente dos indianos e, sobretudo, nos GCE os rapazes brancos superam em muito as raparigas negras.Portanto estes resultados convergem já com as tendências das médias de QI para os diferentes grupos.

Aqui ficam os rsultados de 2004

GCE A-LEVEL

____________Boys_______Girls_______All
W___________264_______288_______277
W/BC________248_______247_______247
W/BA________241_______295_______268
W/A_________285_______316_______301
A___________242_______245_______244
I____________254_______259_______257
P___________213_______221_______218
Ba__________215_______216_______216
Bl___________202_______227_______217
BC__________183_______217_______203
BA__________213_______230_______223
C___________311_______318_______315
All__________260_______282_______272

Legenda:

W = White (n1)
W/BC = Mixed White and Black Caribbean
W/BA = Mixed White and Black African
W/A = Mixed White and Asian
A = Asian (n2)
I = Indian
P = Pakistani
Ba = Bangladeshi
Bl = Black (n3)
BC = Black Caribbean
BA = Black African
C = Chinese (n4)
All = average for all childre

6:44 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

"GCE A-level, realizados aos 18 anos e portanto englobando os alunos que pretendem de facto entrar nas faculdades os resultados colocam os chineses em primeiro lugar, mas colocam os Brancos em segundo lugar já à frente dos indianos. Portanto estes resultados convergem já com as tendências das médias de QI para os diferentes grupos."

A tua correlação não está correcta, visto que o GCE A-level apenas conta com os alunos que querem ingressar a universidade, e portanto como tu referiste no caso dos ingleses - está mais inclinada às elites, e não a população estudantil em geral cuja escolaridade é obrigatória até os 16 anos. Portanto os resultados do GSCE depictam um quadro mais diverso e preciso de cada grupo étnico.

Mas porque é que os chineses têm maior sucesso? É simples: existe um grande número de estudantes que vêm de Hong Kong e da Singapura. São as elites que são preparadas desde o início para virem cá estudar. Em muitos cursos, são eles a maioria.

Penso que foi Lynn que escreveu um livro sobre o QI de cada País. Imagina que para calcular o QI de certos paises, foi fazer a média do QI dos paises vizinhos. Que disparate!

E como é que teve acesso a uma amostra representativa do povo Chinês? Quando uma vasta parte do território está interdita aos estrangeiros - aquela mais pobre, com condições precárias?
Os chineses não são conhecidos pela sua criatividade e inovação mas pelo trabalho e memorização (pudera, com tantos caracteres) - não é a criatividade uma forma de inteligência? Quantos prémios nóbeis de física tem a China e quantos tem a Índia?

Acredito que os valores da família, da sociedade, das oportunidades que proporciona bem como a alimentação e saúde, são factores que determinam o sucesso do indíviduo. É por isso que na Inglaterra, um indiano (hindu/cristão) é médico e o paquistanês está a gritar de ódio por causa de um cartoon. Mas são estruturalmente a mesma raça.

]:->

7:17 da tarde  
Blogger Rodrigo Nunes disse...

Precisamente porque o GCE é um exame mais selectivo, que engloba apenas os que querem realmente ir para a universidade é que é mais fiável a sua correlação com o QI, uma vez que nesse exame a tendência é para que as diferenças de empenho, trabalho e horas de estudo sejam diminuídas ou mais homogéneas se preferir, sendo assim o factor QI ganha mais peso e os resultados acabam por reflectir uma maior aproximação às médias de cada grupo diferente.

Um outro aspecto que entronca no que referiu, a população indiana é muito heterogénea, é uma sociedade assente em castas, logo é natural que a amostra dos estudantes indianos em Inglaterra não seja uma amostra representativa da população indiana como um todo, tal como sucede no caso que refere dos chineses. Isto é, a variância do QI entre os indianos é provavelmente bastante grande, sendo que as castas superiores apresentam bons resultados mas a média da população na Índia, e não uma amostra recolhida da imigração em Inglaterra, mostra que, no todo, os indianos têm um QI médio baixo. Assim é provável que esses alunos indianos em Inglaterra não sejam exactamente o exemplo do indiano médio.

Seja como for, em relação aos extremo orientais, todos os estudos, não só o de Lynn, tendem a comprovar que esses povos têm um QI elevado, aliás, esse livro do Lynn que referiu baseia-se em 3 estudos disponíveis sobre o QI dos chineses que o situa ao nível do dos europeus( superior ao de alguns dos nossos povos e inferior ao de outros) embora inferior ao dos japoneses. Diz-me que a criatividade é uma forma de inteligência, de facto é, mas a capacidade de memorização em que esses povos superam os outros também o é.

Finalmente em relação ao impacto do ambiente no desempenho escolar, de acordo, é importante, mas isso é uma realidade distinta da inteligência inata. Como sabe os alunos sobredotados têm frequentemente problemas de desempenho escolar, necessitando de uma educação dirigida de outra forma, o que não invalida que possuam as competências para a excelência que a média da população não apresenta e que se forem correctamente estimuladas constituirão uma mais-valia para a sociedade.

Cumprimentos

8:53 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

"Precisamente porque o GCE é um exame mais selectivo, que engloba apenas os que querem realmente ir para a universidade é que é mais fiável a sua correlação com o QI"

O GCE apenas testa uma fracção dos estudantes. Pelo contrário, o GSCE testa 100% dos estudantes - e portanto é mais fiável para avaliar a capacidade académica de cada grupo étnico. O que interessa se em 100 alunos, apenas 3 vão a universidade, e todos eles conseguem entrar? Não diz muito, pois não?

O problema de medir o QI é que... não sabemos como faze-lo de uma forma que abstraia a educação e os condicionantes culturais. E depois, temos de saber o que estamos a medir. É um facto de que as populações com escolaridade têm mais sucesso nos testes QI do que quem não tem.

Prof. Lynn é notório por generalizar e abusar os testes QI. Publicou um artigo no ano passado dizendo que em média os homens são mais inteligentes que as mulheres por 5 pontos. Para além de ter tentado provar que os negros mais claros são mais inteligentes que os mais escuros.

De qualquer forma, os testes GSCE puseram os autores na defesa, como podes ler aqui.

10:03 da tarde  
Blogger Rodrigo Nunes disse...

«O GCE apenas testa uma fracção dos estudantes. Pelo contrário, o GSCE testa 100% dos estudantes - e portanto é mais fiável para avaliar a capacidade académica de cada grupo étnico.»

Não, o GCSE apresenta uma amostra fiável da população inglesa branca porque esta está no seu país mas provavelmente não dos outros grupos étnicos, que não representarão necessariamente a sua população mas antes a população desses grupos residente em Inglaterra.

Já o GCE, como referi, terá a vantagem de minorar as diferenças de trabalho e horas de estudo entre os grupos diferentes uma vez que quem o realiza pretende de facto ir para a faculdade e para tal é importante ter bons resultados no exame de forma a poder alargar o leque de escolha universitário. No GCSE basta ter um C para quem apenas pretende acabar a instrução obrigatória. Nesse sentido a relação com o QI no GCE será provavelmente superior.

De qualquer forma, como já disse, o desempenho escolar não é o aferidor do QI, embora exista obviamente ligação.

«O problema de medir o QI é que... não sabemos como faze-lo de uma forma que abstraia a educação e os condicionantes culturais. E depois, temos de saber o que estamos a medir. É um facto de que as populações com escolaridade têm mais sucesso nos testes QI do que quem não tem.»

Não a 100% mas com alguma precisão, basta comparar os resultados de QI dos diferentes grupos étnicos pertencentes a classes socio-económicas similares; os resultados indicam a hierarquia esperada. Os brancos conseguem resultados superiores aos africanos. E com os orientais no topo.

«Prof. Lynn é notório por generalizar e abusar os testes QI. Publicou um artigo no ano passado dizendo que em média os homens são mais inteligentes que as mulheres por 5 pontos. Para além de ter tentado provar que os negros mais claros são mais inteligentes que os mais escuros.»

Isso não prova que ele manipule o que seja e esse estudo não foi realizado por ele isoladamente, há muita gente que não gosta das conclusões dele por razões políticas. Em relação às diferenças de QI entre homens e mulheres ele não chegou a nenhuma conclusão chocante, outras opiniões apontam nesse sentido. Aliás se ler o artigo que aqui deixou verá que o Irwing participou no estudo. Quanto à questão dos pretos claros e escuros, se os pretos claros são indivíduos com ancestrais brancos é lógica a conclusão dele, mas sobre isso não posso adiantar grande coisa pois nunca li sobre o assunto.

Agora não espere que a «informação mainstream» não venha contestar o homem e os outros que chegaram aos mesmo resultados, vivemos na época da apologia do multiculturalismo e do igualitarismo, tudo o que contrarie esse dogma será desacreditado pelo sistema vigente. O problema do sistema com os testes de Qi é só um, os resultados deitam por terra as utopias igualitaristas que nos pretendem vender. No dia em que arranjarem algum estudo que consiga chegar a resultados opostos verá como o promovem como credível.

11:15 da tarde  
Blogger alex disse...

"...considero ter o direito de conhecer outras opiniões para além das que são correntemente aceites como verídicas. As pessoas têm o direito de avaliar posições distintas e em posse de informação variada tomarem as suas decisões e fazer os seus julgamentos sem que uma qualquer autoridade lhes passe atestados de menoridade mental legislando o que podem ou não ler, o que podem ou não escrever ou pensar."

Subscrevo, NA ÍNTEGRA, estas palavras do Rodrigo.

3:40 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Existe um factor em que o Rodrigo tocou mas não abordou da melhor maneira, pelo menos na minha opinião.A memória e a inteligência são coisas diferentes, geralmente é apenas a memória de curto-prazo que influecia os resultados de QI ou o que se define por inteligência. Os exames de GCSE estão mais relacionados com a memória no sentido em que representam a assiduidade, estudo ao longo do ano lectivo, memorização da matéria leccionada, etc.
Os GCE são testes mais complexos em que os alunos são chamados a resolver problemas que exigem maior capacidade de lidar com questões novas,a raciocinar e encontrar soluções que não são tão directamente retiradas do «livro» ou das aulas. Neste caso apelam mais à inteligência propriamente dita que os GCSE.

4:07 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

"Os GCE são testes mais complexos em que os alunos são chamados a resolver problemas que exigem maior capacidade de lidar com questões novas"

Excelente ponto. Mas não me parece apropriado que seja feito qualquer correlação entre o GCE com o QI de um grupo étnico precisamente porque não diz qual é a fracção da população estudantil que vai a universidade. Repito: se 2 em 100 entram na universidade com boas notas - então o seu "score" será alto independentemente do tamanho da fracção, e isto está errado.

E mesmo assim, vocês fazem a correlação.

"O problema do sistema com os testes de Qi é só um, os resultados deitam por terra as utopias igualitaristas que nos pretendem vender."

O problema que eu vejo em relacionar a raça com a inteligência (e comportamento) é precisamente este: leva a generalização. São vocês os igualitaristas ao pensar (ainda que inconscientemente) que os membros de cada raça são todos "iguais". Aquilo que se vê é que cada indivíduo é uma "raça" ou "nação", tendo uma identidade própria, um comportamento próprio obviamente condicionadas pela cultura e ambiente.
E portanto, pessoas de raça diferentes poderão ter comportamentos semelhantes.

E a seguir, vou falar no prof. Lynn e a sua metodologia.

]:->

9:58 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

"Isso não prova que ele manipule o que seja e esse estudo não foi realizado por ele isoladamente, há muita gente que não gosta das conclusões dele por razões políticas"

Haverá com certeza pessoas que não estão no meio científico que gritarão "racista" automaticamente pelas suas conclusões, e vamos ignorar esta gente.

Depois há cientistas que negam as suas conclusões apenas pelo processo com que se chegou. Aqui está o artigo da Scientific American sobre o livro "Bell Curve" baseado no trabalho de Lynn. Não apenas limita-se a criticar Lynn, mas dá exemplos concretos do abuso de dados para ajustar ideias pre-concebidas.

Já agora, para completar o quadro, Lynn utilizou no seu livro sobre o QI das Nações, testes "Wechsler" que são dependentes de cultura, diferentes tamanhos de amostras, médias dos paises fronteiros para determinar o QI de uma região, bem como em certos paises utilizou testes para crianças, e outros testes para adultos.

Não inspira qualquer confiança.

Vocês defendem e aceitam a sua pseudo-ciência apenas porque encaixa na vossa ideologia, não pelo mérito científico. Se não houvesse buracos na investigação destes, seria impossível rebater.

]:->

10:32 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Já agora, e só a título de curiosidade, aqui está uma amostra do teste GSCE de matemática.

]:->

10:51 da manhã  
Blogger Caturo disse...

Certo, mas eu não acho que tenhamos realmente liberdade, ela é muito selectiva como vemos por inúmeros exemplos

Nada é perfeito. Mas tal situação é um incentivo para lutar por mais liberdade - não por menos.

3:05 da tarde  
Blogger Rodrigo Nunes disse...

ao Nelson;

Bem sei, você é coerente nisso, justiça seja feita.

Ao anónimo das 4.07;

Bem observado.

Ao :->( se assinasse com um nome qualquer seria melhor :))

«Mas não me parece apropriado que seja feito qualquer correlação entre o GCE com o QI de um grupo étnico precisamente porque não diz qual é a fracção da população estudantil que vai a universidade. Repito: se 2 em 100 entram na universidade com boas notas - então o seu "score" será alto independentemente do tamanho da fracção, e isto está errado.»

Como já disse, não creio que exames escolares sejam aferidores do QI, GCSE ou GCE, existem vários outros factores que influenciam isso. Mas esse seu raciocínio não o compreendo uma vez que não são apenas os resultados dos tais "2 em 100" que são publicados mas de todos os que fazem o exame, mesmo os que não entram.
Mas adiante, ou não sairemos disto.

«O problema que eu vejo em relacionar a raça com a inteligência (e comportamento) é precisamente este: leva a generalização. São vocês os igualitaristas ao pensar (ainda que inconscientemente) que os membros de cada raça são todos "iguais"»

É claro que é uma generalização, mas as generalizações não têm nada de errado. Eu posso dizer que a maioria dos suecos tem olhos claros e a amioria dos portugueses olhos castanhos, é uma generalização que está correcta mas isso não impede que eu possa encontrar um português de olhos azuis e um sueco de olhos castanhos.

Não somos igualitaristas, eu não acho que todos os indivíduos de uma raça sejam "iguais", de forma alguma.

«Aquilo que se vê é que cada indivíduo é uma "raça" ou "nação", tendo uma identidade própria, um comportamento próprio obviamente condicionadas pela cultura e ambiente.
E portanto, pessoas de raça diferentes poderão ter comportamentos semelhantes. »

É claro que tipos de raças diferentes podem ter comportamentos semelhantes. Não acredito no determinismo biológico absoluto, o que afirmo é que existem diferenças médias de características entre as raças. Cada indivíduo tem uma identidade própria mas tem também uma identidade colectiva, influenciada pela cultura, tradição, raça. Existem factores que são hereditários e esses variam em média entre grupos raciais.
A identidade de um individuo é também rsultado da sua pertença racial, entre outras variáveis.

Quanto ao professor Lynn, você pode encontrar centenas de artigos a contestá-lo tal como eu posso encontrar centenas de artigos a defendê-lo, as suas conclusões têm implicações políticas que o sistema não pretende mas de qualquer forma isso é irrelevante, porque não se tratam de resultados exclusivos de Lynn, se não gosta de Lynn leia Arthur Jensen, J.P. Rushton,Helmuth
Nyborg,Linda Gottfredson, Irwing,Donald Templer,etc, etc, todos chegam às mesmas conclusões.

Quanto ao livro «The Bell Curve», embora seja uma obra muito discutida não é baseada no trabalho de Lynn mas no de vários investigadores.Uma vez mais as conclusões são as que sabemos, existem diferenças de inteligência entre os diferentes grupos. Fica aqui uma lista dos especialistas que subscreveram as conclusões citadas:

* Richard D. Arvey, University of Minnesota
* Thomas J. Bouchard, Jr., University of Minnesota
* John B. Carroll, Un. of North Carolina at Chapel Hill
* Raymond B. Cattell, University of Hawaii
* David B. Cohen, University of Texas at Austin
* Rene V. Dawis, University of Minnesota
* Douglas K. Detterman, Case Western Reserve Un.
* Marvin Dunnette, University of Minnesota
* Hans Eysenck, University of London
* Jack Feldman, Georgia Institute of Technology
* Edwin A. Fleishman, George Mason University
* Grover C. Gilmore, Case Western Reserve University
* Robert A. Gordon, Johns Hopkins University
* Linda S. Gottfredson, University of Delaware
* Robert L. Greene, Case Western Reserve University
* Richard J.Haier, University of Callifornia at Irvine
* Garrett Hardin, University of California at Berkeley
* Robert Hogan, University of Tulsa
* Joseph M. Horn, University of Texas at Austin
* Lloyd G. Humphreys, University of Illinois at Urbana-Champaign
* John E. Hunter, Michigan State University
* Seymour W. Itzkoff, Smith College
* Douglas N. Jackson, Un. of Western Ontario
* James J. Jenkins, University of South Florida
* Arthur R. Jensen, University of California at Berkeley
* Alan S. Kaufman, University of Alabama
* Nadeen L. Kaufman, California School of Professional Psychology at San Diego
* Timothy Z. Keith, Alfred University
* Nadine Lambert, University of California at Berkeley
* John C. Loehlin, University of Texas at Austin
* David Lubinski, Iowa State University
* David T. Lykken, University of Minnesota
* Richard Lynn, University of Ulster at Coleraine
* Paul E. Meehl, University of Minnesota
* R. Travis Osborne, University of Georgia
* Robert Perloff, University of Pittsburgh
* Robert Plomin, Institute of Psychiatry, London
* Cecil R. Reynolds, Texas A & M University
* David C. Rowe, University of Arizona
* J. Philippe Rushton, Un. of Western Ontario
* Vincent Sarich, University of California at Berkeley
* Sandra Scarr, University of Virginia
* Frank L. Schmidt, University of Iowa
* Lyle F. Schoenfeldt, Texas A & M University
* James C. Sharf, George Washington University
* Herman Spitz, former director E.R. Johnstone Training and Research Center, Bordentown, N.J.
* Julian C. Stanley, Johns Hopkins University
* Del Thiessen, University of Texas at Austin
* Lee A. Thompson, Case Western Reserve University
* Robert M. Thorndike, Western Washington Un.
* Philip Anthony Vernon, Un. of Western Ontario
* Lee Willerman, University of Texas at Austin

4:08 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

O problema que eu vejo em relacionar a raça com a inteligência (e comportamento) é precisamente este: leva a generalização. São vocês os igualitaristas ao pensar (ainda que inconscientemente) que os membros de cada raça são todos "iguais".

Acho que entre as nossas fileiras ninguém sofre dessa tara igualitarista (excepto talvez o Caturo). O problema de não se generalizar é que ficamos limitados a ver as árvores e nunca a floresta. E na realidade, a questão não é saber se há negros extremamente inteligentes ou não, mas sim, quantos há. Trata-se de reconhecer que uma sociedade será tanto melhor quanto melhores forem os seus membros.

«As I said, this has a profound effect on the kind of society each group will build. When you have a tiny fraction of the geniuses, and many times more borderline morons compared to White society, your society will be far more dysfunctional, far less able to cope with environmental and social problems, far less competent in defending itself, far more violent, far more criminal, far more diseased, and far more cruel and dictatorial than the all-White society to which you are comparing it. Tiny genetic differences, and small percentage differences in average intelligence, make for gigantic differences in the way people live -- and die.» [http://www.nationalvanguard.org/story.php?id=7599]

A propósito, já repararam como estes académicos são sempre acusados de racismo e white supremacism porque tentaram (é assim mesmo que a imprensa do sistema escreve, que é para não haver dúvidas que tentaram mas não conseguiram) provar que os brancos têm QI’s superiores aos negros, mas nunca se escandalizam com o facto dos “white supremacists” concluírem que os asiáticos têm QI’s superiores aos brancos… só por aqui se vê que a preocupação deles não é propriamente o anti-racismo, mas sim o racismo anti-branco.

Nada é perfeito. Mas tal situação é um incentivo para lutar por mais liberdade - não por menos.

Mais liberdade para quem? Para nós, naturalmente. E quando formos nós a mandar, vamos dar aos nossos inimigos a liberdade que eles nos negam? Vamos dar-lhes a liberdade de nos destruírem?

NC

4:25 da tarde  
Blogger Caturo disse...

Acho que entre as nossas fileiras ninguém sofre dessa tara igualitarista (excepto talvez o Caturo)

O NC não percebeu ainda o que afirmo porque sofre da tara elitista António-Britina. Ele não percebeu que falta por completo a justificação lógica do critério de escolha anti-democrática que parte do princípio que o povo é sempre idiota e que a elite é que tem razão.

5:09 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

"Mas esse seu raciocínio não o compreendo uma vez que não são apenas os resultados dos tais "2 em 100" que são publicados mas de todos os que fazem o exame, mesmo os que não entram."

Os 2 em 100 são os que fazem o exame e passam com boas notas. Mas não conta os restantes 98 que não fizeram o exame de entrada por incapacidade académica ou outras razões. O meu ponto é que um teste como o GSCE, ainda que mais fácil, é mais preciso porque abrange 100% dos alunos, e portanto mais indicativo da capacidade académica de cada grupo étnico. Não tenho mais nada acrescentar, mas espero que tenha percebido.

"Eu posso dizer que a maioria dos suecos tem olhos claros e a amioria dos portugueses olhos castanhos, é uma generalização que está correcta mas isso não impede que eu possa encontrar um português de olhos azuis e um sueco de olhos castanhos."

Mas a diferença é que a altura, a côr dos olhos é facilmente medida - não há ambiguidades no que se está a medir. Assim sendo, pode-se generalizar o que é um português ou um sueco no seu aspecto físico. O mesmo não acontece com a inteligência.

Mas vamos ao básico - o que estamos realmente a discutir é se a inteligência é herdada, ou não - certo?

]:->

5:14 da tarde  
Blogger Caturo disse...

Mais liberdade para quem?

Para todos.


Para nós, naturalmente.

Também, mas não só. Senão, não se fala em Liberdade, mas sim em ditadura - e ditadura totalitária se tivermos liberdade total sobre outros.


E quando formos nós a mandar, vamos dar aos nossos inimigos a liberdade que eles nos negam?

Claro. Vamos ensinar o que é liberdade a sério.


Vamos dar-lhes a liberdade de nos destruírem?

Como nos poderiam destruir, se garantíssemos a liberdade para nós próprios?

5:14 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

"...a questão não é saber se há negros extremamente inteligentes ou não, mas sim, quantos há. Trata-se de reconhecer que uma sociedade será tanto melhor quanto melhores forem os seus membros."

Então, a melhor a sociedade é atingida quando os melhores de todas as raças (e o "Bell Curve" afirma que todas as raças têm pessoas com alto QI) vivem juntas. É isso?

]:->

5:32 da tarde  
Blogger Rodrigo Nunes disse...

«Então, a melhor a sociedade é atingida quando os melhores de todas as raças (e o "Bell Curve" afirma que todas as raças têm pessoas com alto QI) vivem juntas. É isso?»

Não, a melhor sociedade é uma sociedade homogénea e coesa, onde os laços culturais, étnicos e históricos são mais fortes e portanto os factores de solidariedade e identificação atingem níveis mais elevados, ou seja, a haver imigração é preferível que ela seja etnica e culturalmente próxima da população receptora.

Uma sociedade não pode ser só constituida por indivíduos que realizam trabalhos de elevada exigência intelectual.É preciso portanto um equilíbrio entre ambos os factores.

5:57 da tarde  
Blogger alex disse...

"...sofre da tara elitista António-Britina."

LOOOOOOOOOOOOL!

"...falta por completo a justificação lógica do critério de escolha anti-democrática que parte do princípio que o povo é sempre idiota e que a elite é que tem razão."

Ora nem mais.

6:11 da tarde  
Blogger Rodrigo Nunes disse...

«O NC não percebeu ainda o que afirmo porque sofre da tara elitista António-Britina. Ele não percebeu que falta por completo a justificação lógica do critério de escolha anti-democrática que parte do princípio que o povo é sempre idiota e que a elite é que tem razão.»

Bom, mas falta também a justificação lógica que assegura que a escolha democrática é a escolha certa, a maioria não tem necessariamente razão.

6:16 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Oh Caturo, esta: «Como nos poderiam destruir, se garantíssemos a liberdade para nós próprios?» fez-me rir à gargalhada. Com que então há liberdade para tudo, menos para destruir o nosso sistema??? Isso não é muito diferente do que já temos.

NC

6:30 da tarde  
Anonymous CiscoKid disse...

"Quanto ao professor Lynn, você pode encontrar centenas de artigos a contestá-lo tal como eu posso encontrar centenas de artigos a defendê-lo, as suas conclusões têm implicações políticas"

Mas fizemos um acordo em que ignoramos as defesas e acusações políticas, e focamos unicamente no mérito ciêntifico. O artigo que apresentei expõe o método de Lynn e as inúmeras falhas. Existem imensos outros que criticam o seu método estatístico - e portanto, agradecia que me apresentasse pelo menos um artigo que defenda alguma das acusações que lhe são feitas.

É que é estranho que os cientistas não consigam explicar que exista algo de intrínsico (biológico, genético) nas raças que permita explicar as diferenças de QI. E mesmo os autores, quando confrontados com a evidência de que imigrantes em paises desenvolvidos têm maior sucesso do que nos seus paises de origem - já falam no ambiente e na sociedade.

O que se sabe hoje é que os primeiros anos de vida de uma criança são fundamentais para o desenvolvimento da inteligiência de uma criança. E é natural que paises do terceiro mundo - e Lynn aceita isso - tenham um QI mais baixo, precisamente pela falta de nutrição e desenvolvimento social. Portanto, acaba por ser um ciclo vicioso, não é? Pobreza <-> baixo desenvolvimento intelectual.

E se Lynn acredita nisto, então é inaceitável que a China tenha uma pontuação maior que a Europeia, quando a grande maioria da população vive na miséria e sofre de problemas de nutrição.

Mas o que se discute é simples: será que a inteligência é herdada? Sabemos que temos os olhos claros porque herdamos dos nossos Pais ou Avôs... mas seremos burros ou inteligentes porque herdamos essas características deles?

"Bom, mas falta também a justificação lógica que assegura que a escolha democrática é a escolha certa, a maioria não tem necessariamente razão."

Em democracia não há escolhas certas, mas sim diferentes rumos. Mas o Povo não tem sempre razão, e não vejo razão para que a democracia acomode a qualquer seu capricho. Não vá um dia quererem queimar bruxas pagãs outra vez, e dai perdemos de vez o nosso Caturo. O que seria uma pena. ;)

]:->

6:39 da tarde  
Blogger Caturo disse...

Bom, mas falta também a justificação lógica que assegura que a escolha democrática é a escolha certa, a maioria não tem necessariamente razão.

Pois falta, porque nenhum de nós sabe qual é a verdade, ou sequer se a verdade existe (a saber, se há uma só escolha certa ou várias).

A maioria pode não ter razão, mas tem certamente direito a escolher.

6:52 da tarde  
Blogger Caturo disse...

Com que então há liberdade para tudo, menos para destruir o nosso sistema???

Depende do que entendes por «destruir o sistema». Especifica.

6:53 da tarde  
Blogger Caturo disse...

Não vá um dia quererem queimar bruxas pagãs outra vez,

Curiosamente, quem decidia isso era quase sempre a elite... uma elite auto-iluminada que amava o seu rebanho, mas, claro, não o deixava decidir por si próprio, e que tudo fazia para impor o seu amor universalista em toda a parte do mundo... enfim, uma elite que é antepassada «ética» da actual «elite» que decide em que é que o Povo pode ou não pode votar, para tranquilidade dos ciscokids que não têm argumentos para combater o «Nazioracismo».

6:57 da tarde  
Anonymous CiscoKid disse...

"Não vá um dia quererem queimar bruxas pagãs outra vez,
Curiosamente, quem decidia isso era quase sempre a elite... "


Mas quem executava era o Povo, supersticioso e inculto. Não houve qualquer resistência. Para isto bastava dizer ao povo que o pagão era bruxo e que rezava ao diabo, que o judeu tinha uma cauda e comia bebés cristãos ao pequeno-almoço, que o homosexual abusa sexualmente crianças, e que o imigrante viola e mata... uhm... estarei a confundir épocas? :)

"dos ciscokids que não têm argumentos para combater o «Nazioracismo»."

Não existem argumentos que rebatam pontos de vista diferentes e as batalhas que cada um escolhe na sua vida, que é necessariamente fruto da nossa experiência.

Por exemplo, o Mário Machado - que é porta-voz da extrema-direita em Portugal, fundador da FN e do forum nacional, que recebeu a medalha de activismo político do PNR em 2005, escolheu a sua.

]:->

9:59 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Como é que se fazem links nos comentários??

NC

12:31 da manhã  
Blogger Caturo disse...

Mas quem executava era o Povo, supersticioso e inculto

Executava porque a elite o condicionava a pensar que precisava de o fazer... e é claro que o Povo se queria defender dos perigos que o atormentavam.
Felizmente, já não se vive nesse tempo e já nenhuma elite tem sobre o Povo esse poder todo, por mais que tentem... por conseguinte, quando dizes
o pagão era bruxo e que rezava ao diabo, que o judeu tinha uma cauda e comia bebés cristãos ao pequeno-almoço, que o homosexual abusa sexualmente crianças, e que o imigrante viola e mata... uhm... estarei a confundir épocas?

estás realmente a confundir épocas, porque, no caso medieval, a elite convencia o povo de que o pagão era bruxo, e o judeu isto e aquilo e etc., mas, actualmente, a elite dominante quer convencer o Povo de que os nazis é que comem crianças ao pequeno-almoço, enquanto os imigrantes são bonzinhos, nossos amigos e a gente devíamos ter vergonha!!!! por não querermos cá esses mártires laborais que vêm fazer o que nós, preguiçosos!!!!, não queremos fazer... mas enfim, como disse antes, as elites já não têm o poder que tinham e o Povo já não vai na fita com tanta facilidade, por isso é que, apesar de todas as queimas de bruxas, o Nacionalismo cresce em toda a Europa...:):):) e a Nova Inquisição bem grita «Hereges, blasfemos!!!!! Somos todos iguais, as raças não interessam!!!!!, o que interessa é a irmandade que a gente anda a construir!!!!!!»; mas, como há cada vez menos gente disposta a fazer coro (de castrati) com tal elite, eis que a Democracia começa a meter muito medinho à elite reinante...



"dos ciscokids que não têm argumentos para combater o «Nazioracismo»."

Não existem argumentos que rebatam pontos de vista diferentes

Aaaahhhh... já aprendeste isso, depois de muitos falhanços... fartei-me de explicar isto por outras palavras, mas julgavas ainda que conseguias evangelizar os «pagãos».

11:25 da manhã  
Blogger Caturo disse...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

11:31 da manhã  
Blogger Caturo disse...

A todos:
de momento, não consigo nem publicar mensagens no Gladius nem sequer abrir as caixas de comentários.

NC: o marreco ~temeroso vedou-me a possibilidade de responder no seu pasquim, motivo pelo qual não posso corrigir as aldrabices do costume nem sequer responder àquela do cabeludo de saltos altos. Mas tu conheces o indivíduo, quase de certeza.
Também não consigo abrir a tal página do ministério de educação.

11:58 da manhã  
Anonymous CiscoKid disse...

"Aaaahhhh... já aprendeste isso, depois de muitos falhanços... fartei-me de explicar isto por outras palavras..."

A sério que tentaste explicar que não há argumentos que rebatam pontos de vista diferentes? Então, força: diz-me onde escreveste tal coisa. Então, se realmente acreditas isso, então *tu* não tens argumentos contra aquilo que eu acredito. Então ficamos conversados.

]:->

1:23 da tarde  
Blogger Caturo disse...

A sério que tentaste explicar que não há argumentos que rebatam pontos de vista diferentes? Então, força: diz-me onde escreveste tal coisa.

Qualquer bom entendedor o percebia quando eu disse, repetidas vezes, que as visões do mundo nacionalista e internacionalista eram visceralmente incompatíveis, e o que para uns é um valor, para outros é um não valor...

2:55 da tarde  
Blogger Caturo disse...

Então, se realmente acreditas isso, então *tu* não tens argumentos contra aquilo que eu acredito.

Mas és tu quem vem aos blogues nacionalistas.

2:56 da tarde  
Anonymous CiscoKid disse...

"Então, se realmente acreditas isso, então *tu* não tens argumentos contra aquilo que eu acredito.
Mas és tu quem vem aos blogues nacionalistas."


Mas és tu que queres mudar o mundo como ele é, eu não. Não preciso de "envangelizar" nazioracistas. Se estou aqui é para debater pontos de vista, e aprender alguma coisa no processo.

"Qualquer bom entendedor o percebia quando eu disse, repetidas vezes, que as visões do mundo nacionalista e internacionalista eram visceralmente incompatíveis, e o que para uns é um valor, para outros é um não valor..."

É extraordinário que alguém que acredite em verdades absolutas como tu, esteja agora a falar na existência de outros sistemas de crença contrários ao nacionalismo que não podem ser rebatidos.

Mas, não sejas tímido: se disseste isto repetidas vezes, ao menos dá-me um link de um post teu que ilustra este ponto. Não vá alguém pensar que estás a mentir.

]:->

3:25 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Este doente mental a falar do Mário Machado?!
O MM pelo menos tem coragem suficiente para dar a cara e não se esconder atrás de um nome de um cowboy! Deves ser um granda cowboy, mas é daqueles de Brokeback Mountain!

3:35 da tarde  
Anonymous CiscoKid disse...

"O MM pelo menos tem coragem suficiente para dar a cara e não se esconder atrás de um nome de um cowboy! "

E com certeza deves ter pensado - vou chamar covarde o outro por não assinar com o seu verdadeiro nome, e para dar maior credibilidade ao meu comentário, vou escreve-lo anonimamente. :)

Mas disse alguma coisa do Mário Machado aqui que te tivesse ofendido?

]:->

4:29 da tarde  
Blogger Caturo disse...

Mas és tu que queres mudar o mundo como ele é,

«O mundo como ele é» porque a tua laia o fez assim... e é por o ter feito assim que temos de o combater. É simples.

Ora tu não gostas que nós nos ergamos contra a vossa monstruosidade - e tens tentado evangelizar os resistentes à tua nova (des)ordem, embora o queiras negar.



"Qualquer bom entendedor o percebia quando eu disse, repetidas vezes, que as visões do mundo nacionalista e internacionalista eram visceralmente incompatíveis, e o que para uns é um valor, para outros é um não valor..."

É extraordinário que alguém que acredite em verdades absolutas como tu, esteja agora a falar na existência de outros sistemas de crença contrários ao nacionalismo que não podem ser rebatidos.

Eu sempre disse que podiam ser confrontados, e podem; rebatidos... em que medida? Por demonstração lógica, fazer-vos mudar de opinião? Nunca o julguei possível.

Aquilo que defendo não são verdades absolutas - são valores que derivam de uma mentalidade rigorosamente oposta à vossa.


Mas, não sejas tímido: se disseste isto repetidas vezes, ao menos dá-me um link de um post teu

Dou pelo menos três títulos, não estou para procurar no blogue; e aliás, quem passa por mentiroso se não conseguires provar o que dizes, és tu, dado que a minha palavra é de confiança.

NACIONALISMO CONTRA UNIVERSALISMO, RIGOR LÓGICO CONTRA CONFUSIONISMOS E USURPAÇÕES

AS PÁTRIAS E OS PÁRIAS

E, sobretudo, a parte final deste artigo: NACIONALISMO E POLITEÍSMO - A AUTÊNTICA IDENTIDADE DO OCIDENTE.

4:48 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

«Executava porque a elite o condicionava a pensar que precisava de o fazer... e é claro que o Povo se queria defender dos perigos que o atormentavam.
Felizmente, já não se vive nesse tempo e já nenhuma elite tem sobre o Povo esse poder todo, por mais que tentem...»

Infelizmente ainda assim é; grita-se "racismo" e o povo corre atarantado como uma barata a esconder-se debaixo da cama. Todas as épocas têm os seus mitos e as suas "verdades" e toda a gente deseja estar em conformidade com esses mitos e "verdades", ninguém quer ser olhado como um "maluco"... é um mecanismo básico da psicologia humana (que os nossos inimigos conhecem bem).

NC

5:33 da tarde  
Anonymous CiscoKid disse...

"Eu sempre disse que podiam ser confrontados, e podem; rebatidos... em que medida? Por demonstração lógica, fazer-vos mudar de opinião? Nunca o julguei possível."

Nunca julgaste possível rebater a ideologia do adversário? Uhm... então devias estar a delirar quando disseste...

"És completamente vexado e rebatido em todas as argumentações de cariz ideológico e históricos, todas, e, raivoso, tentas vingar-te com jogos de palavras, acabando, também aí, por seres batido e cuspido nas trombas."

Os teus leitores com certeza reconhecerão o estilo.

]:->

5:46 da tarde  
Blogger Caturo disse...

Nunca julgaste possível rebater a ideologia do adversário? Uhm... então devias estar a delirar quando disseste...

"És completamente vexado e rebatido em todas as argumentações de cariz ideológico e históricos, todas, e, raivoso, tentas vingar-te com jogos de palavras, acabando, também aí, por seres batido e cuspido nas trombas."

Nem eu estava a delirar nem tu estás a melhorar, afinal - efectivamente, esqueceste-te de citar o contexto, o qual mostrou precisamente o que eu disse: que tu bem tentaste vir contestar os argumentos nacionalistas com a tua lógica internacionalista, tentando encontrar falácias no que dizíamos, e foste inteiramente rebatido no teu intento, porque se provou aí que a nossa lógica nacionalista era perfeitamente coerente, rebatia por completo as tuas críticas e, sobretudo, mostrava a superioridade da nossa argumentação em termos éticos (à luz da mentalidade nacionalista, evidentemente).

7:17 da tarde  
Blogger Caturo disse...

Infelizmente ainda assim é; grita-se "racismo" e o povo corre atarantado como uma barata a esconder-se debaixo da cama.

Nem tanto... é que, à partida, muita gente mostra medo, publicamente, mas, em conversas de amigos, acabam por revelar a sua repulsa por anti-racistas e pela misturada (é conhecido e imensamente citado o argumento de que o português típico diz «Eu não sou racista, mas... não queria ter netos mulatos (por exemplo)»).

Duvido que, na Idade Média, as pessoas falassem mal de Jesus ou do papa à surrelfa.


e toda a gente deseja estar em conformidade com esses mitos e "verdades", ninguém quer ser olhado como um "maluco"... é um mecanismo básico da psicologia humana (que os nossos inimigos conhecem bem).

Sim, conhecem. Mas há sempre quem diga que o rei vai nu.

7:21 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

"efectivamente, esqueceste-te de citar o contexto,o qual mostrou precisamente o que eu disse"

Mostrou precisamente o que disseste? Então qual era o assunto que estavamos a debater?

"porque se provou aí que a ... a superioridade da nossa argumentação em termos éticos (à luz da mentalidade nacionalista, evidentemente)."

Não faz muito sentido falar em superioridade argumentativa quando ela se refere apenas ao teu código ético e moral. É como alguém a gabar-se que é campeão numa corrida só com um atleta.


]:->

7:34 da tarde  
Anonymous CiscoKid disse...

"Duvido que, na Idade Média, as pessoas falassem mal de Jesus ou do papa à surrelfa."

Tem tudo a ver. Na altura, tal como agora, as pessoas eram queimadas vivas por criticar Jesus, o Papa, o Louçã, ou os pretos.

]:->

7:37 da tarde  
Anonymous João Dias disse...

""O MM pelo menos tem coragem suficiente para dar a cara e não se esconder atrás de um nome de um cowboy! "

E com certeza deves ter pensado - vou chamar covarde o outro por não assinar com o seu verdadeiro nome, e para dar maior credibilidade ao meu comentário, vou escreve-lo anonimamente. :)

Mas disse alguma coisa do Mário Machado aqui que te tivesse ofendido?

]:->
"

Ó pá, eu cago nas tuas discussões.
E os teus argumentos só enganam os estúpidos! Nem perco tempo a ler!
Portanto quem sou ou deixo de ser tanto faz!

Mas volto a repetir: o MM é o que é, mas tem a coragem de se mostrar! Tu não! É só essa a diferença!

12:24 da manhã  
Blogger Camisa Azul disse...

O relatado neste poste mostra como os “democratas” andam à deriva.

12:33 da manhã  
Blogger Caturo disse...

Mostrou precisamente o que disseste? Então qual era o assunto que estavamos a debater?

Se me não falha a memória, falava-se da justeza de a Nação ser considerada como uma extensão da Família.
Mas enfim, o resultado das nossas discussões é quase sempre o mesmo - e, já agora, devias ser tu a dizer qual o contexto, porque tu é que foste buscar essa frase.



"porque se provou aí que a ... a superioridade da nossa argumentação em termos éticos (à luz da mentalidade nacionalista, evidentemente)."

Não faz muito sentido falar em superioridade argumentativa

Faz sentido sim, pela razão que já expliquei, mas repito por outras palavras: pode-se defender x de maneira coerente ou de maneira incoerente.

E a tua laia, no seu fanatismo típico, acredita piamente que o Nacionalismo não pode ser defendido coerentemente.

Logo, julgam que conseguem invalidar os argumentos nacionalistas por meio das vossas falácias. Mas, de facto, tem-se provado, aqui e noutros lados, que a doutrina nacionalista pode de facto ser apresentada sem mácula lógica, isto é, sem contradições ou erros.

10:45 da tarde  
Blogger Caturo disse...

Tem tudo a ver. Na altura, tal como agora, as pessoas eram queimadas vivas por criticar Jesus, o Papa, o Louçã, ou os pretos.

Se não sabes ao menos ler os argumentos do oponente, como é que esperas criticá-los com êxito?...

É assim: na altura, as pessoas podiam de facto ser queimadas vivas por falarem mal de Jesus (até o eram por menos); hoje, podem ser «queimadas» na sua vida profissional, podem ser caluniadas ou podem sofrer consequências físicas violentas por falarem mal dos pretos - e, se forem líderes ou militantes de partidos «racistas», podem apanhar dez anos de cadeia, com tudo o que isso implica em termos sociais, profissionais, físicos, psicológicos.

Ora não é o povo que faz isto: é, isso sim, a elitezinha internacionalista que está no poder.

10:49 da tarde  
Anonymous CiscoKid disse...

"Mas, de facto, tem-se provado, aqui e noutros lados, que a doutrina nacionalista pode de facto ser apresentada sem mácula lógica, isto é, sem contradições ou erros."

O que tem-se provado é que não existe uma doutrina nacionalista, mas sim várias correntes, muitas delas conflituosas. É a falta de uma voz coerente que torna o vosso movimento sem força. Isto é um facto.

"hoje, podem ser «queimadas» na sua vida profissional, podem ser caluniadas ou podem sofrer consequências físicas violentas por falarem mal dos pretos"

Comparares o "falar mal" de outrora onde as pessoas eram mortas de uma forma brutal, com agora... onde falar mal é simplesmente ignorado, é o cúmulo da estupidez.

Sim, obviamente se andares com uma t-shirt onde dizes: PRETOS = SÍMIOS, e atrás escreves: É MAIS FÁCIL TIRAR UM PRETO DA SELVA, DO QUE A SELVA DE UM PRETO, e se tiveres o azar de encontrar um grupo de afro-tugas... sim, é bem provável que apanhes.

E é por isso que existe o forum nacional, onde os nazioracistas podem escrever tais mensagens sem parecerem uns atrasados mentais.

]:->

11:20 da tarde  
Anonymous CiscoKid disse...

"E os teus argumentos só enganam os estúpidos! Nem perco tempo a ler!"

Assim mesmo, João. Para que ler os argumentos dos outros, se basta dizer que são falsos?

"Mas volto a repetir: o MM é o que é, mas tem a coragem de se mostrar! Tu não! É só essa a diferença!"

Há muitas mais diferenças. Por exemplo, eu pago impostos - o Mário Machado não os paga e ainda incentiva os "facilmente provocáveis" para não pagar. Ainda bem que ao menos este criminoso e parasita da sociedade organizou uma manifestação contra os imigrantes, para acusa-los de criminosos. E isto só para aumentar a ironia de que muitos imigrantes estarão a pagar os impostos que ele não paga, para sustentar entre outras coisas a nossa população idosa. Ah sim. Já tinha dito que esteve Hitler-lover recebeu uma medalha do PNR há dois meses pelo seu grande activismo político?

]:->

11:29 da tarde  
Anonymous joão dias disse...

"Assim mesmo, João. Para que ler os argumentos dos outros, se basta dizer que são falsos?"

Tu ou és estúpido ou queres fazer dos outros estúpidos! Já repetiste aqui (e no Gladius) a tua "cassette" vezes sem conta. Achas que tenho tempo para andar a ler sempre as mesmas tangas?

O nacionalismo para mim é muito claro, mas tu e os teus "camaredas" têm concerteza um problema qualquer no cerebro pois não conseguem entender o valor da identidade cultural e biológica, da família, etc ... entre outros!

Enfim, todos somos limitados, não queiras entender o que está para alêm das tuas capacidades! Toma lá uns calmantes senão podes vir a ter um esgotamento!

Meu caro pagar impostos para encher os bolsos a mafiosos que andam a fazer pouco do povo Português, só mesmo os estúpidos ou quem não tem outra alternativa!
Comece-se a moralização por cima (pelo governo, pelos políticos e pelo fim dos tachos dos teus "camaradas") , e só depois terão então o direito de fazer exigências ao povo!

"E isto só para aumentar a ironia de que muitos imigrantes estarão a pagar os impostos que ele não paga, para sustentar entre outras coisas a nossa população idosa."

Isso é completamente FALSO!

Volto ao mesmo, a maior diferença entre o MM e tu é que o MM dá a cara pelas ideias que tem (quer se gostem ou não delas) e tu não! Não passas de um neurótico fala-barato!

Quanto à medalha, o BE ainda não te deu nenhuma? Mas olha que bem a tens tentado merecer!

Assinado: João Dias!

E acabou a conversa! Faz lá os teus malabarismos com as palavras e pseudo-interpretações e outras tangas à vontade! Que eu já disse o que tinha a dizer e não vale a pena repetir 100 vezes o mesmo!

2:34 da manhã  
Anonymous CiscoKid disse...

"E isto só para aumentar a ironia de que muitos imigrantes estarão a pagar os impostos que ele não paga, para sustentar entre outras coisas a nossa população idosa.

Isso é completamente FALSO!"


É absolutamente verdadeiro. Que o Mário Machado não paga os impostos ele já o afirmou. Que os trabalhadores imigrantes/não-brancos/estrangeiros em Portugal pagam impostos é uma verdade indiscutível, a não ser que me proves que *nenhum* o faz.

É que basta que *um* destes pague, então está a contribuir mais para a sociedade - e para quem realmente precisa - do que o Mário Machado que é simplesmente um parasita da sociedade.

Eu pago os impostos - como eu assumo a maioria dos nacionalistas aqui presentes - não com o intituito de encher os cofres dos ricos (porque não precisam), mas para que seja distribuido entre outras coisas aos idosos e aos mais necessitados no nosso País.

"E acabou a conversa! Faz lá os teus malabarismos com as palavras e pseudo-interpretações e outras tangas à vontade!"

Acalma-te, João. Não vale a pena irritares-te por pouco. :)

]:->

10:01 da manhã  
Blogger Caturo disse...

O que tem-se provado é que não existe uma doutrina nacionalista, mas sim várias correntes, muitas delas conflituosas.

O que se tem provado, é que todas as doutrinas nacionalistas raciais concordam nos aspectos essenciais, não havendo aí qualquer conflito.

De resto, o facto de tentares aplicar esse argumento atesta novamente a tua indigência: como não tens resposta para as tuas derrotas lógicas, tentas fazer crer que estamos uns contra os outros, porque no fundo querias que as nossas divisões fizessem por ti o que tu és impotente para fazer...:):):)


"hoje, podem ser «queimadas» na sua vida profissional, podem ser caluniadas ou podem sofrer consequências físicas violentas por falarem mal dos pretos"

Comparares o "falar mal" de outrora onde as pessoas eram mortas de uma forma brutal, com agora... onde falar mal é simplesmente ignorado,

Dizer que falar mal dos negros é «simplesmente ignorado», é ainda outra prova de desonestidade mentecapta que caracteriza o teu discurso. Na verdade, a escumalha da tua laia anda sempre à espreita, de tal modo que esse «falar mal» é dito com uma certa cautela e de preferência entre amigos.

Mais: se a afirmação for feita em grupo, dá cadeia.

Por conseguinte, continuas sem conseguir demonstrar que a censura medieval nada tem a ver com a actual - tu não gostas que eu aponte estes factos, e, por isso, recorres à parvoíce infantilóide de comparar coisas relativas (grau de punição) com coisas essenciais - a censura/criminalização de uma opinião.

Compreendo que digas que nós somos «simplesmente ignorados» - dizes isso porque era isso que desejavas que sucedesse: que fossemos simplesmente ignorados, que o povo não nos ligasse nenhuma.
Mas como, na verdade, o povo ouve-nos cada vez mais, vocês têm de «dar uma ajudinha» para que sejamos ignorados, recorrendo então à proibição da nossa expressão...:):):)

É um facto que a escumalha da tua laia não gosta de encarar. Sabem que isto vos tira toda a legitimidade democrática e que, a partir daí, andam simplesmente a manter uma mascarada democrática.


Sim, obviamente se andares com uma t-shirt onde dizes: PRETOS = SÍMIOS, e atrás escreves: É MAIS FÁCIL TIRAR UM PRETO DA SELVA, DO QUE A SELVA DE UM PRETO, e se tiveres o azar de encontrar um grupo de afro-tugas...

Ou até pode acontecer que a «lei» tome medidas... e, de facto, os três nomes que foram dados para que a manifestação tivesse lugar, estão em tribunal.


E é por isso que existe o forum nacional, onde os nazioracistas podem escrever tais mensagens sem parecerem uns atrasados mentais.

Grande coisa. Tu dizes o contrário disso e não deixas de parecer atrasado mental.

4:22 da tarde  
Anonymous CiscoKid disse...

"Mais: se a afirmação for feita em grupo, dá cadeia."

Dá-me um exemplo de uma afirmação que dê cadeia a um comum cidadão português quando o faz em grupo.

]:->

6:24 da tarde  
Blogger Caturo disse...

Dá-me um exemplo de uma afirmação que dê cadeia a um comum cidadão português quando o faz em grupo.

Um advogado ou um juíz que te diga. Isto está no Código Penal (pena de prisão até dez anos para líder ou membro importante de associação de carácter racista).

7:23 da tarde  
Anonymous CiscoKid disse...

"Um advogado ou um juíz que te diga. Isto está no Código Penal (pena de prisão até dez anos para líder ou membro importante de associação de carácter racista)."

Não, és tu que fizeste a afirmação de que se pode ser preso por fazer uma afirmação racista em grupo, e portanto és tu que vais elaborar.

Repito: que afirmação te pode levar a cadeia? O que não podes dizer que te leva a "crucificação" ou seres "queimado" pelo regime?

]:->

10:20 da tarde  
Blogger Caturo disse...

Não, és tu que fizeste a afirmação de que se pode ser preso por fazer uma afirmação racista em grupo,

Não, eu disse o que toda a gente sabe e está no Código Penal. Aliás, a pergunta que fazes é já de si de um ridículo absurdo, dado que é bem sabido o cuidado que os nacionalistas têm de ter porque a tua escumalha criou leis que proibem a expressão do «racismo», criando assim um delito de opinião punido com cadeia.

8:48 da tarde  
Anonymous CiscoKid disse...

"Aliás, a pergunta que fazes é já de si de um ridículo absurdo, dado que é bem sabido o cuidado que os nacionalistas têm de ter porque a tua escumalha criou leis que proibem a expressão do «racismo», criando assim um delito de opinião punido com cadeia."

Tens um blogue onde escreves a vontade sobre o que te vem na cabeça. Existe um forum nacional onde os homo-nazis e os homo-nazi-nazis escrevem as maiores barbaridades contra todas as minorias... portanto deixa-te de tretas.

Se tens medo, em vez de "preto" utiliza a palavra "portista" e faz uma afirmação que te possa levar à cadeia por dizeres a frente de um grupo. É que deste a entender que os portugueses não fazem opiniões racistas porque podem ser presos. E já agora, diz-me qual é artigo do código penal que referes.

12:02 da manhã  
Blogger Caturo disse...

Tens um blogue onde escreves a vontade sobre o que te vem na cabeça

O blogue é feito por um indivíduo, não por vários.


Existe um forum nacional onde os homo-nazis e os homo-nazi-nazis escrevem as maiores barbaridades

Cada um é responsável pelas suas afirmações. Esse trabalho não é feito por um grupo.


De resto, o Fórum Nacional já foi deitado abaixo quando estava em Portugal... teve de ser deslocado para um servidor americano para poder existir.

De resto, nunca o PNR poderia dizer metade do que eu ou outros dizem nos blogues e nos fóruns.

Portanto, deixa-te tu de tretas (dizer-te isto é como dizer a uma abelha que deixe de picar).


É que deste a entender que os portugueses não fazem opiniões racistas porque podem ser presos

O que eu disse é que os portugueses não expressam opiniões racistas em grupo e, se o fizerem, podem ser presos. Isto é um facto jurídico. Vai tu procurar no Código Penal, já que és tu o único que não o sabe (para não cansares a vista e o miolo, pergunta a um dos teus camaradas anti-racistas que quis processar o PNR pelo facto de este ter feito uma propaganda televisiva em que uma voz off falava de «bandos étnicos» enquanto a imagem mostrava «jovens»).

12:17 da tarde  
Anonymous CiscoKid disse...

"O blogue é feito por um indivíduo, não por vários."

O blogue é uma forma de comunicação de um indíviduo a um grupo. Que é precisamente o caso que falamos.

"O que eu disse é que os portugueses não expressam opiniões racistas em grupo e, se o fizerem, podem ser presos.

... quis processar o PNR
"


Já sabemos que existem leis que proibem o discurso racista nos partidos políticos.

Mas continuas incapaz de responder que tipo de crítica é que um cidadão português como tu e eu pode fazer aos africanos que pode dar cadeia, nem o artigo do código penal que referes.

É que queria confirmar isso antes de te chamar - mais uma vez - um mentiroso.

]:->

12:28 da tarde  
Blogger O Sentinela disse...

Já estou a ver que o ciscokid, o senhor das redes, gosta de provocar. Gosta tanto de provocar… Os da laia dele também provocam… sem dúvida, provocaram mais de 500 mil desempregados(lá se foram os tais 150 mil empregos para o galheto..), provocaram o endividamento das famílias Portuguesas( lá se foi a tão prometida protecção social…), não asseguraram um crédito de habitação estável(necessidade básica!!!), os custos de educação dispararam, a desburocratização do Estado e dos seus institutos públicos foi implementada contra a lógica consciente. Então diga-me lá o que estes “badamecos” são? Isso mesmo, são MENTIROSOS, e são logo os tais que o ciscokid, o senhor das redes, defende e por consequência, identificando-se a ele próprio assim, com a famosa laia de reles seres burlões, como os “meninos à volta da fogueira” na nossa Assembleia da República o são, interessante não é?
MENTIROSOS, foram aqueles que prometeram uma revolução que iria entregar o poder ao proletariado(ah! ah!, esta só pode ser para rir… ou talvez chorar..) e “despues”… começaram a falar “espanhol”(catalão), inglês, russo, chinês e nenhum português percebeu o que realmente queriam e então… estes foram na onda…e deixaram-se levar pelas correntes… que pouco tempo depois os iriam amarrar com um nó bem apertado. MENTIROSOS, foram os senhores da ladainha do politicamente correcto, comportando-se como prostitutas, a abrir as pernas para tudo e para todos, fornicando o povo português, só porque uns quantos senhores gostavam de “pegar de empurrão” ou “abafar palhinhas” e ganhar mais uns trocos. OS MENTIROSOS, foram aqueles que aceitaram todo o tipo solidariedade encapotada de tráfico de seres humanos, tráfico de influências de doutrinas e culturas, que em nada têm a ver com a nossa, sujeitando o povo Português a um choque cultural extremo e obrigando-os a engolir a política ditatorial do “aceitar tudo e todos sem questionar”, que só podia dar em violência, fazendo com que o mais conhecedores de atitudes bárbaras e violentas, ou seja, os negros, os magrebinos, etc, fossem os vencedores e o povo Português, pobre, ingénuo, esperançado, e com o orgulhoso dividido, fosse o vencido. OS MENTIROSOS, são aqueles que abriram uma “caixa de Pandora” vinda de outros países, no meio da nossa cultura portuguesa e deixaram matar os nossos costumes. MENTIROSOS são aqueles que deixaram entrar vários “cavalo de Tróia”, sabendo exactamente o que lá estava “dentro” e qual o seu objectivo em relação ao nosso modo de vida.

A melhor táctica dos ciscokid’s e dos da sua laia, deste país e dos outros, já que são internacionalistas, é inserir o tal choque cultural, a tal anarquia, a tal alteração repentina das pessoas e das coisas em que, ignorando a razão e qualquer pessoa de bom carácter e sabedoria, que sempre disseram, que as pressas só davam desastres, provocando os Portugueses e aproveitando-se da “moda” da época, gozando-os de seguida, chamando-os de “velhos do Restelo”, etc. aos que resistem.

MENTIROSO é o ciscokid, o senhor das redes. Mas nós não somos peixinhos e não nos deixamos apanhar nas suas redes. Nós não somos aqueles seres com que está habituado a lidar tipo, gente iletrada, burlões, criminosos, pretinhos, drogados, deputados, etc.

Só provocações cínicas por parte do ciscokid, mas nada de argumentações. È pena, que só saiba fugir às questões em vez de atirar mais uma provocação.
Em relação ao assunto liberdade de expressão e da proibição de atitudes racistas em pessoas singulares, porque não pergunta aos seus capangas de serviço? Eles e os negrinhos de que tanto gosta, sabem bem o que é…. Eu só vou dar uma pista…um “ditado popular”, uma frase muito utilizada… CULPADO POR ASSOCIAÇÃO, não conhece? Então pergunte aos “rappers” e aos terroristas de que tanto gosta.

6:18 da tarde  
Anonymous CiscoKid disse...

"Só provocações cínicas por parte do ciscokid, mas nada de argumentações. È pena, que só saiba fugir às questões em vez de atirar mais uma provocação."

Não é provocação. Foi aqui insinuado que um cidadão português não faz comentários racistas porque pode ser preso. E que tal está no código penal.

Ora se tal é verdade (e onde já se viu os nazioracistas mentirem descaradamente), então quero saber a) que tipo de afirmação de caracter racial leva um cidadão português a cadeia; b) qual é o artigo no código penal.

São perguntas supostamente fáceis para os especialistas em materias raciais do nosso País, e ainda mais, algo que os Nacionalistas deveriam saber porque supostamente são vítimas de repressão do regime.

Agora, peço desculpa se não respondi a alguma pergunta sua, mas realmente não me lembro de si. Que questão quer que eu responda?

]:->

6:54 da tarde  
Blogger Caturo disse...

blogue é uma forma de comunicação de um indíviduo a um grupo. Que é precisamente o caso que falamos.

Que imbecilidade. Quanto mais pensas, mais te enterras e duvido que seja do calor. Por essa ordem de ideias, quem dissesse algo de racista na rua, podia ser punido, porque havia muita gente a ouvir.

Estás tão desesperado ou és tão atrasado mental que não percebes sequer a diferença entre o emissor e o receptor... e que a punição só aplica ao emissor.


"O que eu disse é que os portugueses não expressam opiniões racistas em grupo e, se o fizerem, podem ser presos.

... quis processar o PNR
"

Já sabemos que existem leis que proibem o discurso racista nos partidos políticos.

Partidos e associações.


Mas continuas incapaz de responder que tipo de crítica é que um cidadão português como tu e eu pode fazer aos africanos que pode dar cadeia,

Críticas que, em sendo feitas por uma associação, podem dar cadeia, porque a lei diz claramente que qualquer membro importante de uma associação de cariz racista, pode apanhar uma pena de dez anos de cadeia.


É que queria confirmar isso antes de te chamar - mais uma vez - um mentiroso

Ou seja, querias que eu te fizesse o trabalhinho todo que tu não queres fazer, sempre na esperança de poderes distorcer para tentares, ao menos desta vez, provar que eu fosse mentiroso. Tal é a tua rasquice de carácter e indigência argumentativa.

7:32 da tarde  
Blogger Caturo disse...

Já estou a ver que o ciscokid, o senhor das redes, gosta de provocar

O que ele não esperava é que, no fim, acabasse por ser ele o provocado...:):):)... e, como é intelectualmente mediocre e tem um carácter mesquinho e rasca, baba-se de raiva e sua as estopinhas para tentar descridibilizar o oponente e distorcer os factos...:):):)

7:36 da tarde  
Blogger Caturo disse...

Foi aqui insinuado que um cidadão português não faz comentários racistas porque pode ser preso

Mentira de ciscokid - tal é o seu rancor que perde as estribeiras e acaba por ser ele a provar que é mentiroso. Ninguém aqui afirmou tal coisa - o que se afirmou, e se repete, e qualquer português que conheça a lei sabe, é que fazer comentários racistas num grupo organizado pode dar cadeia.


Ora se tal é verdade (e onde já se viu os nazioracistas mentirem descaradamente

Desafio seja quem for a vir aqui demonstrar que os nazioracistas mentem descaradamente - por enquanto, só o anti-racista mentecapto é que foi apanhado a querer aldrabar o discurso do adversário, com toda a falta de vergonha nas ventas que o caracteriza.


então quero saber a) que tipo de afirmação de caracter racial leva um cidadão português a cadeia;

Não está, tanto quanto sei, definido, o que é porreiro para os teus donos usarem a lei conforme lhes apeteça parfa lixarem quem quiserem.


b) qual é o artigo no código penal

Era o que faltava que eu deixasse o que tenho a fazer para ir procurar algo que toda a gente que discute o assunto sabe. Já te foi dito que perguntasses à tua escumalha.

7:41 da tarde  
Anonymous CiscoKid disse...

"qualquer português que conheça a lei sabe, é que fazer comentários racistas num grupo organizado pode dar cadeia. "

Mas se entre um grupo de amigos - como deste a entender - alguém fizer um comentário racista, não vai preso, certo? Porque não existe nada no Código penal que proiba o discurso racial para o comum dos cidadãos, num café a comentar que os pretos deviam voltar a África. Se não dizem não é porque podem ser presos.

"Desafio seja quem for a vir aqui demonstrar que os nazioracistas mentem descaradamente"

É preciso ser descarado. Não apresentei as mentiras e a prova que o BNP mente ... hoje mesmo?

A mentira mais suja do PNR - na minha opinião - foi dizer que 80% dos pedófilos são homosexuais. Já tive imensas oportunidades de falar sobre isto no teu site.

]:->

8:13 da tarde  
Blogger Caturo disse...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

8:38 da tarde  
Blogger Caturo disse...

Mas se entre um grupo de amigos - como deste a entender

Nunca na vida dei a entender nada de parecido com isso, essa é mais uma das tuas deturpações mentecaptas para fugir à conversa e ao mesmo tempo chamares mentiroso aos outros.


Porque não existe nada no Código penal que proiba o discurso racial para o comum dos cidadãos, num café a comentar que os pretos deviam voltar a África.

Pois não.


Se não dizem não é porque podem ser presos.

Pois é.

Por isso é que dizem.:)


É preciso ser descarado. Não apresentei as mentiras e a prova que o BNP mente ... hoje mesmo?

E, hoje mesmo, apanhaste em cheio com o desmentido, escrito pelo líder do BNP.


A mentira mais suja do PNR - na minha opinião - foi dizer que 80% dos pedófilos são homosexuais

E quem disse que isso é mentira?


Já tive imensas oportunidades de falar sobre isto no teu site.

Não tiveste imensas oportunidades não porque eu nunca fiz um tópico sobre o assunto.

8:48 da tarde  
Anonymous CiscoKid disse...

"Porque não existe nada no Código penal que proiba o discurso racial para o comum dos cidadãos, num café a comentar que os pretos deviam voltar a África.

Pois não."


Ah bom. Então, porque é que o discurso racial têm de ser falado só entre amigos?

"Dizer que falar mal dos negros é «simplesmente ignorado», é ainda outra prova de desonestidade mentecapta que caracteriza o teu discurso. Na verdade, a escumalha da tua laia anda sempre à espreita, de tal modo que esse «falar mal» é dito com uma certa cautela e de preferência entre amigos. Mais: se a afirmação for feita em grupo, dá cadeia."

]:->

8:55 da tarde  
Anonymous CiscoKid disse...

"E, hoje mesmo, apanhaste em cheio com o desmentido, escrito pelo líder do BNP."

Sim, o lider disse que o BNP não tinha qualquer panfleto em Dagenham sobre o subsidio de 50.000 libras aos africanos para irem viver naquela região. Mas eu mostrei-te o panfleto que realmente existiu.

Ou seja, não só o BNP mente para conseguir uns votos a mais, mas depois mente negando que mentiu. Mas as evidências estão lá para todos verem.

9:00 da tarde  
Blogger O Sentinela disse...

Eu sei que sabe bem, a resposta às suas perguntas, por isso, não vou perder tempo a responder a si ou aos da sua laia, porque, lá está, está a MENTIR. Se se lembra de mim ou não, isso não me interessa. E já agora, porque é que se deu ao trabalho de tentar lembrar-se de mim? Esta agora não entendi.

Sabe, ciscokid, senhor de todas as redes, eu sei muito bem como é que os da sua laia funcionam e por isso mesmo, vou informar as pessoas de bem, o porquê, de não se poder dizer certas coisas contra esta ditadura e contra os pretinhos fofinhos. O desacato da ordem pública é crime, e daí pode subdividir-se em vários outros crimes, conforme o Ministério Público (advogado do governo) quiser desenvolver. As leis ( juntamente com o Código do Processo Penal) foram elaboradas de forma distintas e variadas, mas estas são do tipo, “Legos” da crianças, juntam-se quando mais se precisa. Neste caso, juntam-se quando os ciscokid’s, apanham na rede, as pessoas que têm a aquela atitude irritante(para “eles”) de se exprimir livremente.

O tipo de perguntas que o ciscokid faz, são das tais que sempre enganaram o Zé povinho Português, discutindo sempre aquilo que não é o cerne do problema. E depois lançam a discussão para uma variante, que nem 10% da população portuguesa e estrangeira a viver cá em Portugal, sabe do que está a falar ou sequer percebe qualquer palavra do que dizem . Depois, como parece um “Shôr Doutor” a falar, lá arranjam mais uns votos e perpetuam a burla, como “eles” entendem. A ladainha é sempre a mesma, mas as pessoas já começaram a ficar fartas, por isso é que a ditadura já colocou o S.I.S.(TEMA) no terreno contra os Nacional-Socialistas, que é, nem mais nem menos, uma política ou uma forma diferente de ver as coisas. Ninguém sabe o que são, os terroristas de extrema-esquerda, os ditadores comunistas e os sociais-democratas capitalistas dos judeus. Os problemas do nosso mundo, é o Nacional-Socialismo, eles é que andam a “enriquecer os ricos e a empobrecer os pobres”.
Ó, tu aí, que te chamas “ciscoKid”, já que és Cisco, é porque sabes o que é uma rede e um sistema, A TUA “cassette”(K7), NÃO TOCA NESTES LADOS! A REDE de ditadores e o SISTEMA de que tanto gostas, não quer saber de ti para nada, quando não necessitarem de ti, “eles” descartam-te sem contemplação. Mas se és isto que queres….olha, eu não tenho pena de ti, nem por sombras. Lembra-te disto “A pá com que trabalhas serve também para te enterrar nos tais 7 palmos de terra”.

Pois eu vou explicar o seguinte, de forma generalizada, para que todas as pessoas de bem, entendam. O Código de Processo Penal é um documento administrativo, um texto, ou seja, foi elaborado para que os Tribunais Judiciais (Juiz e Magistrado) se regessem por este. O Código não diz, de forma directa, o que é ou não é crime.
(Por isso, Zé Povinho e outros seres ingénuos, comecem a responder aos “ciscokid’s” deste país, que não estão interessados no produto que eles querem vender ou simplesmente, comecem a ignorá-los.)
Bom.. continuando… Maior parte do que é ou não é crime, está no Diário da República, que é outro documento, ou seja, outro texto, bem complexo e que deriva do outro texto, a Constituição, e que só alguns sabem e podem alterar, só os deputados e o governo da ditadura podem alterar a seu belo prazer. Os deputados e o governo, não representam nem 1% da população Portuguesa, ou seja, a maioria dos portugueses (99%)não podem elaborar, contra-argumentar, contrariar e votar em Leis que defendam a sua comunidade.

Se juntarmos os Decretos-Lei, Portarias, etc., que são as várias divisões do Diário da República, que estão relacionados uns com os outros (e que na maioria delas, de forma a prejudicar e a enganar o Zé Povinho e a sustentar os Senhores da Ditadura e os seus Boys), da forma como “eles” sabem, vamos ter problemas, e não vai ser o ciscokid nem ninguém, que vai alterar isso( exemplo: Processo Casa Pia), se “eles” te caiem em cima, estás mesmo lixado, por isso…

Só para dar uma ideia com lei funciona… Um merdas que ia a conduzir bêbado um veículo de 2 toneladas e provoca um “acidente”(como dizem eles) e mata 4 pessoas, vai ter uns “anitos” de pena suspensa, ou seja, vai estar livre e só irá para a prisão, se matar mais alguém, não vai para a prisão de conduzir bêbado outra vez! O Magistrado do Ministério Público é que acusa como lhe convém e o Juiz é que decide como lhe convém também, basta só juntar os tais “Legos”(leis) como entenderem.
Se um indivíduo matar 1 pessoa de forma deliberada, com uma arma de fogo ou de outro tipo, vai logo para a prisão por entre 15 a 25 anos. Para mim, são ambos criminosos, mas para mim é mais grave matar 4 pessoas ou mais, atirando com 2 toneladas para cima delas do que matar 1 pessoa com uma arma. Mas enfim… são eles que decidem…depois dizem às pessoas que foi um acidente…pois… claro… a ingestão de bebidas alcoólicas foi um acidente, claro… ele não teve culpa…foi só um acidente.

Tal como uma pessoa que pratica o honroso acto de Liberdade de Expressão e diz as verdades e que discursa contra um governo ou contra a etnia cigana(que, por acaso, tem vindo a praticar o que melhor sabe fazer, crimes), pode vir a ser lesada para sempre, é só juntar as leis como entenderem e pronto… nem a Constituição lhe vai valer para defender a sua Liberdade de Expressão, nem o Código Penal vai ser condescendente com o tal indivíduo, nem o Código de Trabalho lhe vai trazer de volta o emprego que ele perdeu entretanto.

Chegamos ao que os Ditadores queriam, uma associação, um conjunto de pessoas, não pode falar sobre “as verdades verdadinhas”, porque está contra o sistema..ai desculpem…contra a Lei. “Eles” sabem que as coisas organizadas e com vários grupos e ideias, são mais difíceis de contrariar e controlar, do que uma só pessoa. Mas, uma só pessoa, vai ficar mais vulnerável em relação ao sistema ditatorial. Só uma pessoa não pode bater-se contra vários monstros, mas se formar um grupo, lixa-se na mesma, porque está contra a Lei…

Parabéns ciscokid, tens o que querias, mas tu(eu acredito que ainda vais mudar, já que vais em modas, pode ser que, daqui a uns anos, o Nacional-Socialismo esteja “na onda”, que seja “bué fixe” ou que entre na moda) e os da tua laia, vão pagar bem caro, o terrorismo social e económico que actualmente defendem.

Mas que mania que o ciscokid tem, de chamar de mentiroso a tudo e a todos. Aquele é mentiroso, o outro é mentiroso, aquilo é mentiroso… bom é melhor falar com alguém sobre o seu problema, porque já se está a tornar ridículo.

Eu minto.
Tu mentes.
Ele mente.
Nós mentimos.
Eles mentem.
Ciscokid, lê estas linhas com atenção e repetidamente, talvez chegues à conclusão que, nem tudo o que parece, de facto, o é. Discutir doutrinas políticas é chato e aborrecido, mas importante, etc., É bom saber um pouco, mas perde-se sempre a noção do que as pessoas, a nossa gente sente. A nossa gente, não são os africanos, os magrebinos, os asiáticos, etc. Os “Africanos e companhia de empregadores, S.A.” não querem resolver os problemas de África, têm petróleo, têm metais preciosos, têm pedras preciosas, têm terras abundantes e ricas para o cultivo de todo o tipo de agricultura, mas viram-se sempre para a Europa, podiam viver melhor que os Europeus, mas como são mentalmente preguiçosos e só querem apanhar o arroz e o pão vindo dos céus(atirado dos aviões), pronto está feito, está resolvido, eles preferem morrer à fome, do que trabalhar e pedir explicações aos governos fantoche, formados pelos capitalistas, preferem morrer de doenças invés de pedir explicações aos macaquinhos que os governam e que os mantêm propositadamente pobres e doentes, a mando dos tais Senhores do Mundo. É este tipo de gente que não quero cá na minha terra, NÃO QUERO!!!
Quando os africanos, verificarem, que aqui na Europa, não são bem vindos e não resolvem nada, aí, as coisas irão mudar nos países deles, em África. E o mesmo acontecerá para os outros.

12:05 da tarde  
Blogger Caturo disse...

Ah bom. Então, porque é que o discurso racial têm de ser falado só entre amigos?

Porque o clima de medo está instituído, além de que as pessoas têm medo que haja negros ou comunas a ouvir. É assim que funciona o totalitarismo - com maciças campanhas de intimidação das supostas minorias ideológicas, como bem explica Ernst Jünger.

12:38 da tarde  
Blogger Caturo disse...

Sim, o lider disse que o BNP não tinha qualquer panfleto em Dagenham sobre o subsidio de 50.000 libras aos africanos para irem viver naquela região. Mas eu mostrei-te o panfleto que realmente existiu.

Mostraste mal, como de costume, porque Nick Griffin explicou ao que se referia: ao modo indirecto como o governo financiou a presença dos africanos em Daggenham. Naturalmente que os teus donos não gostaram que o BNP topasse a manobra e vai daí lançaram uma campanha em toda a sua imprensa (ou seja, toda a imprensa), argumentando ao teu estilo (a merda da escola é a mesma), fedendo a histeria raivosa, pegando em merdices literais para ao mesmo tempo caluniar os Nacionalistas e esconder o gesto de «africanização» da área.

12:41 da tarde  
Anonymous CiscoKid disse...

Este é o desmentido de Nick Griffin:

"Despite claims all over the papers today, no BNP leaflet has ever said that Barking & Dagenham Labour council have been paying African families to move in to the area. Because they haven’t"

E o panfleto do BNP - que obviamente existe está na pag 9: "The Labour government also has a similar scheme, offering £50.000 together with a 75% mortage, which allows immigrants to buy houses here in Dagenham".

Não existe qualquer ajuda directa ou indirecta que envolva 50,000 libras para ajudar os imigrantes a comprar casas em Dagenham. É pura mentira, e o valor de 50,000 foi simplesmente inventado. E é isto que todos os media reportaram, independentemente do que o Nick Griffin anda agora a dizer que não disse.

]:->

1:27 da tarde  
Blogger Caturo disse...

Este é o desmentido de Nick Griffin:
"Despite claims all over the papers today, no BNP leaflet has ever said that Barking & Dagenham Labour council have been paying African families to move in to the area. Because they haven’t"
Não existe qualquer ajuda directa ou indirecta que envolva 50,000 libras para ajudar os imigrantes


Até nisso és mentiroso e mesquinho.

Aqui está a resposta completa de Nick Griffin, ou seja, a parte que tu não querias que as pessoas lessem - a parte da qual te «esqueceste» vai a grosso, para tua maior vergonha:
Despite claims all over the papers today, no BNP leaflet has ever said that Barking & Dagenham Labour council have been paying African families to move in to the area. Because they haven’t. The Africans have moved in. And many have come from inner London boroughs such as Hackney, which pay people living in council flats tens of thousands of pounds to move out of the area and free up homes for fresh waves of bogus asylum seekers straight off the planes or through the Chunnel. That’s what we call Labour’s “Africans for Essex” scheme – and one only has to walk around Barking and Dagenham to see that it’s all too real.


E porque é que a ralé anti-racista está tão apostada em provar que o BNP mente? «Se calhar» é porque, para além de não ter argumentos para contrariar os Nacionalistas, ainda por cima essa mesma ralé já foi apanhada a mentir, como Nick Griffin relata na mesma resposta:
The trouble, of course, is that we don’t lie. For several years we were accused of lying about the Joint Tenancy Agreement whereby the Home Office contracts with private landlords to give asylum seekers benefits that mere native Brits could never dream of getting (all utility bills paid, brand new colour TVs complete with licences, complete redecoration every three years, all new whitewear goods, windows cleaned every six weeks, etc, etc). The Home Office even denied the JTA existed, until we produced copies of it, whereupon the media just buried the story.


Pois - é assim que os mé(r)dia actuam, ao serviço de quem te domesticou.

2:02 da tarde  
Anonymous CiscoKid disse...

"Parabéns ciscokid, tens o que querias, mas tu(eu acredito que ainda vais mudar, já que vais em modas, pode ser que, daqui a uns anos, o Nacional-Socialismo esteja “na onda”, que seja “bué fixe” ou que entre na moda)"

Antes de mais, quero agradecer as suas mensagens, que sendo longas mostram que dispende algum tempo a escreve-las. Retribuo o favor dizendo que sinto-me perfeitamente confortável em personificar todo o mal que existe no nosso País para os seus desabafos. :)

"Parabéns ciscokid, tens o que querias, mas tu(eu acredito que ainda vais mudar, já que vais em modas, pode ser que, daqui a uns anos, o Nacional-Socialismo esteja “na onda”, que seja “bué fixe” ou que entre na moda) e os da tua laia, vão pagar bem caro, o terrorismo social e económico que actualmente defendem."

Uhm... "bue fixe" era uma expressão que se utilizava no meu tempo de adolescente (há mais de uma década), ainda se utiliza?

Ninguém defende o terrorismo social e económico. O problema da segurança social é real e tem de ser resolvido. Como diz, e bem, é bom que os partidos políticos oiçam os problemas da população, e é mau quando o BE grita "racismo" a torto e direito quando se fala no crime de gangues negros.

Como já se viu em todos paises, a população vota em partidos extremistas quando existem problemas sociais e económicos, porque estes falam receitas fáceis e bodes expiatórios.

]:->

2:21 da tarde  
Anonymous CiscoKid disse...

"Aqui está a resposta completa de Nick Griffin, ou seja, a parte que tu não querias que as pessoas lessem"

Nick Griffin pode agora explicar a verdade. Mas a mentira está no panfleto para todos verem: com todas as letras está escrito que o governo labour dá 50,000 aos imigrantes e outras facilidades para que estes comprem casas. E depois pergunta, descaradamente... és branco? Pois olha, não tens os 50,000.

Sim agora Nick Griffin explica que afinal não é assim. E depois diz que não mente e que a culpa é dos média. Não são precisos os média para ver uma mentira. Basta que vejam o panfleto que está no link que eu indiquei.

]:->

2:30 da tarde  
Blogger Caturo disse...

Nick Griffin pode agora explicar a verdade. Mas a mentira está no panfleto para todos verem: com todas as letras está escrito que o governo labour dá 50,000 aos imigrantes

Sim, não eram 50.000... eram 50.001!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Isto PROVA que o nazioracista mentiuuuuu!!!!!!!!!!!! SÃO TODOS MENTIROSOS, PROÍBAM JÁ O BNP QUE É PELA EXCLUSÃO SOCIAL!!!, ops, não é por isso, é porque mente!!!!

3:54 da tarde  
Anonymous CiscoKid disse...

"Sim, não eram 50.000... eram 50.001!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!"

Não. O valor exacto que o governo labour deu é ZERO. Mas esta é apenas uma das mentiras eleitorais.

Que o BNP continue no processo eleitoral, mas que se fique a conhecer como este (e outros) partidos operam para conseguir votos.

]:->

4:25 da tarde  
Blogger Caturo disse...

Não. O valor exacto que o governo labour deu é ZERO

Mas o valor exacto que o governou labour acabou por facilitar para que o negror se instalasse, foi ELEVADO. Mas esta é apenas umas das verdades eleitorais.


Que o BNP continue no processo eleitoral, mas que se fique a conhecer como este (e outros) partidos operam para conseguir votos

E, sobretudo, que se fique a conhecer o modo como os mé(r)dia escondem a realidade e as mentiras da esquerdalha imigracionista.

5:02 da tarde  
Blogger O Sentinela disse...

“Antes de mais, quero agradecer as suas mensagens, que sendo longas mostram que dispende algum tempo a escreve-las.”

As minhas mensagens não eram só para si. Mas que convencido, hein? As mensagens têm o intuito de informar as pessoas que vêm a vários sites como este, para verificar outros pontos de vista, sem ser os da ditadura. Desmascarar “vendedores de sonhos” e burlões como os que os ciscokid defende, é uma coisa que eu faço com grande prazer. Mesmo tendo, ou não, tempo.

”Retribuo o favor dizendo que sinto-me perfeitamente confortável em personificar todo o mal que existe no nosso País para os seus desabafos. :)”

E sempre a provocar(eh! eh!)… Vá provocando, gozando e brincando, com a vida das pessoas e dos seus problemas, enquanto pode. Isto é típico dos vários ciscokid’s que fui encontrando por aí fora, transformam a informação, num momento mágico de cinismo ou anedota, como não têm argumentos…
A disciplina é uma coisa muito gira, sabia? Aquilo que o ciscokid e os da sua laia, não gostam nada. É por isso mesmo, pela disciplina, que não costumo cair na tentação de em provocações e respondo sempre de . Interessante, vai lançando perguntas, pelas quais, já sabe a resposta, depois esquiva-se do assunto, provocando, com frases e conteúdos que não correspondem a essência dos problemas.
Provocam e esquivam-se, acredito que o sr. Ciscokid não é assim, mas como está numa de gozo… enfim…

“Uhm... "bue fixe" era uma expressão que se utilizava no meu tempo de adolescente (há mais de uma década), ainda se utiliza?”

Exactamente por isso que utilizei a expressão “bué fixe”, para que os da sua laia entendam, e que corresponda de acordo com a sua infantilidade mental( agora foi a brincar :-) ). Com essa pergunta, revelou também que desconhece a realidade que se “desfaz” à sua volta, porque os jovens, (não os tais”jovens”, não confunda, está bem?) ainda o dizem. Dizem e fazem também muitas coisas que não deveriam dizer nem fazer, mas é claro, como o ciscokid não sabe o que se passa à sua volta... tá a ver que também eu posso gozar consigo… :-).

Agora a sério, o desfasamento da realidade, por parte dos políticos e das elites económicas, é o grande inimigo de todos nós. Nisso com toda a certeza, estamos acordo. O que me custa muito (tempo, dinheiro, etc.) é o facto de muita gente “colar-se” à “luta pela liberdade”, “luta pelos trabalhadores” e tal e coisa, menos coisa, e depois relegar por completo, outras visões políticas e sociais. O incitamento ao ódio, por parte dos capitalistas e comunistas, pelos Nacional-Socialistas e vice-versa, leva sempre a que se perda muito tempo a discutir, a agredir e a excluir em vez de discutirem as coisas tal como elas são e como deveriam ser resolvidas. Enquanto o ciscokid, eu, o caturo e outros andamos a gozar e a agredir, uns aos outros, existem uns “meninos” que se rebolam no chão(de ouro e sem um único grão de pó) de tanto rir. “Eles” gostam deste tipo de entretenimento, o ciscokid gosta de ser gozado todos os dias? Aaaahhh, então é por isso que descarrega a sua frustração em sites como este. Gozam consigo, mas como não pode gozar com “eles”, então sobra só a hipótese de “gozar” com os da minoria( que a todo momento cresce…), assim, como pensa que está abater em “pequeninos”, pronto… sente-se feliz.

O ofensiva do sistema começou à pouco tempo, só não vê, quem não quer ver.
O ciscokid defende os pretinhos e a sua cultura destrutiva, certo? Defende também que as outras culturas se insiram definitivamente na nossa, sem “filtrar” o mal das outras, desse tipo de pensamento ao internacionalismo, vai uma pequeníssima distância. Continue a batalhar por coisas que não querem saber de si para nada, desculpe, enganei-me, ainda serve para pagar impostos e votar… claro.

O ciscokid, está a ser “gajo bacano” ( os jovens e os drogados também ainda dizem isto…) “descarrega” mensagens insultuosas para pessoas que só vêm desgraças a acontecer à nossa gente, ao nosso povo, continuo a dizer que não tenho pena nenhuma de si, por que sei que pensa, só é pena que seja adepto do Clube de Futebol do Sistema, que é assim que “eles” o tratam. Tratam-no como um idiota como nas “assembleias gerais” desses “clubes”. Qualquer dia, vai ver as coisas mudar e vai dar razão a quem tanto odeia.
A paz (encapotada) não vai durar para sempre, lembre-se disso.

5:38 da tarde  
Anonymous CiscoKid disse...

"As minhas mensagens não eram só para si. Mas que convencido, hein?"

Ah, provavelmente porque o meu nick "ciscokid" aparece em cada duas palavras suas. :)

"Agora a sério, o desfasamento da realidade, por parte dos políticos e das elites económicas, é o grande inimigo de todos nós.

Os políticos não sofrem do desfasamento da realidade. É simplesmente negligência e incompetência. Desfasamento da realidade é por exemplo pensar que
se pode tornar Portugal numa sociedade 100%Branca, e que os problemas desvanecem. Ou pensar que o PNR poderá travar a nova ordem mundial: globalização.

"Gozam consigo, mas como não pode gozar com “eles”, então sobra só a hipótese de “gozar” com os da minoria( que a todo momento cresce…), assim, como pensa que está abater em “pequeninos”, pronto… sente-se feliz."

Gostei deste seu parágrafo, porque também costumo fazer deduções sobre as motivações das pessoas que cá escreve. Não, a minha motivação é apenas debater pontos de vista diferentes.

Uma das coisas que vejo nas suas mensagens é uma característica muito portuguesa: é de culpar o governo por todos os nossos problemas, e esperar que este os resolva todos. E depois existe uma certa resignação com o facto. Não admira que fale tanto "deles".

Eu estou bem na vida, mas trabalhei imenso para chegar onde estou. Não espero empregos vitalicios, ou que o governo me proteja contra a competição dos paises asiáticos. É preciso começar a tomar em conta que os tempos da dominancia europeia terminaram, e os paises asiáticos e sul-americanos estão alcançar-nos.

Nada está perdido, mas é necessário ter a consciência que cada um tem de lutar para conseguir o que se quer, e não arranjar bodes expiatórios para os nossos falhanços, nem os D. Sebastiões para nos salvar.

]:->

7:00 da tarde  
Blogger O Sentinela disse...

”Ah, provavelmente porque o meu nick "ciscokid" aparece em cada duas palavras suas. :)”
Tenho de referenciar bem o nickname que apoia o sistema internacionalista, porque ciscoskid’s, há por aí muitos... pronto tá bem... já não insisto mais no nick.... :-)


”Os políticos não sofrem do desfasamento da realidade. É simplesmente negligência e incompetência.”

Concordo com a negligência e incompetência, embora consigam ser bem competentes ao servir os seus próprios interesses e de certas “entidades”, como multinacionais, governos, etc. Mas o desconhecimento da realidade é um facto comprovado, infelizmente, já não podemos incluir só os outros motivos.

”Desfasamento da realidade é por exemplo pensar que
se pode tornar Portugal numa sociedade 100%Branca, e que os problemas desvanecem. Ou pensar que o PNR poderá travar a nova ordem mundial: globalização.”


Já está a falar de algo que não entende, mais uma vez, espero que não seja de propósito. A criminalidade é algo bem poderoso, incita à violência e, ao terror psicológico junta-se a “desconfiança”, até entre vizinhos, porque sentem que, se juntarem e tentarem “desafiar” os criminosos, não poderão competir com as várias armas que estes têm e ainda por cima, sabendo que a polícia não estará lá para os ajudar em momentos aflitivos e, por consequência, sofrer com represálias. Por isso, aplica-se a tal táctica anárquica, óptima para os governos do sistema, do “cada um por si”. Tente compreender isto, tente sentir o medo vivido diariamente por aquelas pessoas, por favor, tente imaginar o sentimento de medo. Para responder ao tal facto da sociedade 100% branca, tem de ler mais um pouco noutros tópicos e noutros sites, eles irão elucidar em relação a esta questão. Tente compreender uma coisa, antes da década de 70, os nossos avós, sentiam que pertenciam a uma comunidade familiar(na altura nunca tinham visto um africano!!!), embora com dificuldades, devido a erros cometidos por Salazar(investiu em África, contra tudo e todos, sem preparar devidamente os africanos para deixarem de ser escravos em vez de investir em Portugal) mas viviam em casas construídas pela família e pela comunidade com espaço suficiente para todos e eram obrigados a respeitar a autoridade, sabiam que os criminosos tinham um medo de morte dos Guardas, sentiam a protecção e entre-ajuda da comunidade e da autoridade dos Guardas. Os nossos pais, sentiram a segurança de viver em comunidade, na sua comunidade branca e portuguesa, conheceram de forma violenta, os africanos, numa guerra fundada pelos capitalistas por um lado e comunistas por outro. É espantoso, os nossos pais conheciam as pessoas das aldeias e vilas nos arredores. Deslocavam-se a pé às localidades vizinhas( algumas a 15 Km de distância) para desfrutar a alegria dos bailes, mais uma vez, sempre com brancos, gente humilde e trabalhadora, os nossos pais viveram o 25 de Abril, acreditaram nos “vendedores de sonhos”, e agora comparam as coisas de agora e do antigamente. Ao longo dos tempos, eu vivi a minha adolescência maioritariamente com brancos, contactei e brinquei com gente de muitas raças, verificando sempre, que os “outros”(africanos, etc.), quando estavam em maioria, a violência, a exclusão por parte de negros a vários brancos (sim, foi um facto consumido e verificado com surpresa por todos os brancos que viviam na zona, os africanos, os “monhés” e os ciganos excluíram-se a eles próprios), os pequenos “gangs” copiados das séries norte-afro-americanas, e mais umas quantas coisas, levaram-me a concluir que eles não eram pessoas de confiança. Ao tentar esclarecer o facto de eles serem assim, a resposta foi simples e clara, “BRANCOS DE MERDA” o meu pai disse aquilo e isto sobre os portugueses... Eu vi na televisão isto e aquilo... Dito por gente que jogava à bola comigo, jogava basketball comigo. Nenhum argumento serviu para justificar o que eles estavam a fazer, porque eu só conhecia África, pelos livros e pela televisão. Eu nunca lhes fiz mal nenhum e fui ameaçado. Em toda minha vida de adolescência bati e levei na cara de brancos( coisas de adolescentes, tu sabes...), só por duas vezes fui agredido por negros e ciganos e respondi, convicto que estava certo, mas sabendo que a violência não iria dar em nada, mas... quando o ambiente aquece... vai lá vai. Começou assim... a tal desconfiança. Pequenas coisas, interessante, os tais senhores do sistema verificaram o desentendimento e o choque cultural de ambas as raças, e em vez de tentar corrigir os factos, parar um pouco com a miscegenação das culturas e raças, e estudar o “impacto ambiental” dessas mesmas incógnitas da equação, não o fizeram, deixaram andar e, agora, é o que se vê. Depois da minha adolescência, foi só verificar o que estava acontecer à minha volta, aprendi que se podia levantar e criar um novo país em poucos anos, em menos de 5 anos e verifiquei e comparei com outras políticas e... surpresa minha, já lá iam uns 20 anos, agora mais de 30, e estamos a perder muito e vamos perder ainda mais.

Sentiu o tal medo que as pessoas sentem? Agora compreenda o seguinte, todas as recordações de segurança e de cultura viva e alegre dos meus avós, dos meus pais e minhas, “situam-se “ no ceio maioritariamente branco. E agora quer convencer as pessoas a aceitar os negros e outros no nosso meio, na nossa vida? Verifique os dados relativos à população prisional, à criminalidade, ao esgotamento e entupimento dos Tribunais. Só para dar um exemplo, verifique os salários reduzidos destes estrangeiros, que não chegam para descontar em nada para os serviços sociais, nem para suportar as despesas que os negros e outros, nos obrigam a suportar. Verifique as condições miseráveis destes, e ter ainda de levar com o ódio do tal branco do construtor civil... como não batem nele... só vai sobrar para pessoas como tu e eu, não tenhas as menores dúvidas. Um português, que por instinto, tem respeito pela autoridade, tenta resolver as coisas em Tribunais, Instituições de protecção no trabalho, Associações, etc. Mas um negro, que nunca conheceu a autoridade, e a que conheceu, teve vários dissabores( por parte dos da sua própria raça, ainda por cima), resolve as coisas como os bandidos fazem, como o africano resolveu, com o Presidente de uma Junta de Freguesia de Portugal.

O instinto é algo que demora a modificar, talvez várias gerações e se o racismo, comum entre diferentes raças e etnias (olhe que os humanos não são deuses!!!), estiver ainda dentro de nós, brancos e negros, sendo os últimos mais racistas que os primeiros, bom... só existe um remédio para isso, separar o que não se quer juntar.

A tal globalização extrema de que fala, pode ser evitada, se tivermos controlo do nosso mercado português, estudando o consumo de produtos consumidos por nós e criando empresas geridas por nós. Podemos produzir e comercializar produtos de outros países mas sem depender deles, ou seja, produzir em Portugal, numa empresa portuguesa, um produto estrangeiro, que os portugueses consomem. Se não temos matérias primas, podemos adquiri-las e transforma-las aqui, em Portugal, em produtos “consumíveis”. Veja-se o caso da indústria dos lanifícios, podemos não ter a lã e o algodão como matéria prima, o design pode até ser estrangeiro( Paris, NY, etc.) colaborando com eles e pagando pela utilização do trabalho de design, mas podemos transformá-los em vestuário aqui, em Portugal, para os Portugueses consumirem. São as ideias de negócios que devem ser trocadas entre todos os países, não a mão-de-obra em si. Por favor, metam isso na cabeça de uma vez por todas.

”Gostei deste seu parágrafo, porque também costumo fazer deduções sobre as motivações das pessoas que cá escreve. Não, a minha motivação é apenas debater pontos de vista diferentes.”

Algumas pessoas que aqui escrevem, também poderão estar bem na vida, mas lá que escrevem, escrevem...Se a sua motivação é essa, então debata-os não lance perguntas e questões em que já sabe a resposta. Por várias intervenções suas, houve vezes, em que eu não acreditei nessas, suas motivações. Espero que não esteja a mentir, quanto á sua motivação ou a brincar como brincou, noutras intervenções.

“Uma das coisas que vejo nas suas mensagens é uma característica muito portuguesa: é de culpar o governo por todos os nossos problemas, e esperar que este os resolva todos. E depois existe uma certa resignação com o facto. Não admira que fale tanto "deles". “

Isto é típico de alguém que fala com a barriga cheia, também o Ronaldinho( do FC Barcelona) diz que, não é pelo dinheiro que joga futebol. Enfim... não faça como as Técnicas da Segurança Social ou da Protecção de Menores, vêem uns rabiscos em relatórios e depois andam crianças a serem violadas e mortas pelos seus familiares. Se acredita em tudo o que escrevem, o seu problema é agrave, porque tem de ver e ler pelos seus olhos também.

“Eu estou bem na vida, mas trabalhei imenso para chegar onde estou. Não espero empregos vitalicios, ou que o governo me proteja contra a competição dos paises asiáticos.”

Lá está a barriguinha cheia a falar outra vez. Também as trabalhadoras de uma empresa de lanifícios, trabalharam imenso ( vários anos) e em condições bem mais miseráveis que as suas, e agora passam fome e perderam as suas casas.

” É preciso começar a tomar em conta que os tempos da dominancia europeia terminaram, e os paises asiáticos e sul-americanos estão alcançar-nos.”

Não seja assim... não fale da boca para fora ou, não escreva fora da folha, coisas dessas. Eu penso, não o conheço, que não é uma pessoa inculta na questão da interpretação do que se passa na economia mundial e não só, mas essa agora... foi mesmo... mal dada...
Então, os tais países asiáticos e sul-americanos, não se lançaram para as “luzes da ribalta” através de um proteccionismo, nunca visto desde a nova ordem económica e “globalizante”, e de mão de obra escrava? Quer colocar os portugueses a trabalhar como escravos para poder competir com eles? Dessa agora, não estava à espera... ou será que deveria esperar? Penso que não, mas...

”Nada está perdido, mas é necessário ter a consciência que cada um tem de lutar para conseguir o que se quer, e não arranjar bodes expiatórios para os nossos falhanços, nem os D. Sebastiões para nos salvar.”

Mas não o é nas condições actuais, não é assim que se incentiva uma pessoa a investir num negócio. Necessitamos de uma segurança estatal para nos lançar numa nova aventura, não é o “de cada um por si”, assim lá caíam as tais multinacionais em cima e a nossa empresa “ia logo para o caneco”. Não são bodes expiatórios, eles estão bem identificados e justificados. O D. Sebastião nem sequer reinava, ele era apenas uma criança, certos elementos da corte é que fizeram o que fizeram.... por isso, não vou em frases feitas desse tipo, mas entendi o que quis dizer.
Mas necessitamos de alguém ou de um conjunto de pessoas fortes para nos incentivar a ultrapassar os actuais problemas, as pessoas só por si, sem dinheiro para investir, sem casa nem carro ou carrinha de trabalho( são do banco, não das pessoas, pelos próximos 50 anos, dizem eles...), o que é queres que nós façamos? Por mais que uma pessoa estude uma maneira de “agarrar” subsídios do Estado, da União Europeia e ainda faça negócio de empréstimo com um banco, quando vem uma empresa vender produtos iguais aos nossos por metade do preço, o que quer que nós façamos? O investimento na robótica, para substituir a mão-de-obra actual, é muito mais caro que a utilização de escravos. A robótica tira empregos nas monótonas(assassinas de tendões e pulmões) linhas de produção, mas criam muitos mais empregos em relação a Engenheiros, Programadores Informáticos, Gestores, etc. Mas, lá está, é necessário dinheiro..., não se investe na formação, logo, acusam-nos logo de sermos utópicos e de gastar dinheiro para nada...assim não dá.

1:08 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

I really enjoyed looking at your site, I found it very helpful indeed, keep up the good work.
»

2:59 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Wonderful and informative web site. I used information from that site its great. History on model t ford Gas dryer reviews Trinity pending neo bbw radar detector Bike rack car millburn nj buy zithromax Shared web hosting merchant account cheap calls to croatia Celexa secondaire effet Cadillac fairview calgary Tafe.3655 one space search engine placement

2:36 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

That's a great story. Waiting for more. video editing schools

6:36 da manhã  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial